Notícia principal

Servidor, como anda sua satisfação profissional?

Servidor, como anda sua satisfação profissional?

Coach de carreira e de líderes, Priscila Monzato fala sobre a necessidade de os servidores conhecerem a si mesmos

Priscila Monzato: "Foque em melhorar aquilo que
você pode gerenciar: isso se chama autoconhecimento"

 

* Priscila Monzato

Acho curioso o fato de, ao longo da vida, estudarmos sobre vários assuntos, diversas matérias e leituras acadêmicas, aprendermos sobre tudo, mas não conhecermos sobre o mais importante: nós mesmos! 

Tire suas dúvidas sobre Processo Administrativo Disciplinar

Entenda como funciona o PAD do rito sumário

Qual oportunidade você, caro leitor, teve para entender sobre suas emoções, seus pontos fortes e seus pontos a desenvolver? Nesse momento você pode estar pensando, mas como servidor público eu não participo de recrutamento e seleção, nem dinâmica de grupo, como ocorre no mercado privado, então que diferença isso faz? 

Pois é, mas você faz uma escolha, estuda e se dedica, às vezes por anos para passar em um concurso público e, quando enfim é aprovado pensa que vai viver um “mar de rosas” profissional. Mas nem sempre é assim, certo? 

Alguns, no “desespero”, esquecem de critérios importantes antes de escolher se dedicar para algum concurso, parte para opções menos concorridas e deixam de lado a avaliação da atuação, se tem correlação com sua área de conhecimento, outros almejam os concursos que pagam mais e esquecem de avaliar se gostam das atividades propostas para o cargo, enfim, me arrisco a dizer que é a minoria ou ninguém que avalia o próprio perfil comportamental, os próprios valores, talentos, que dirá propósito. 

Mas o que isso acarreta? Um profissional frustrado, desmotivado, que alimenta sua “satisfação” em uma gratificação, nas férias ou à espera da aposentadoria. 

Conhece algum servidor assim? Ao longo da minha carreira foram muitos assim que conheci. Tinham aqueles, com nível superior, que se sentiam subaproveitados, porque fizeram concurso para nível médio e as atividades não agregavam na sua área. 

Tinham aqueles de nível médio, que fizeram porque o salário era atrativo, mas detestavam as atividades que desenvolviam. Também conheci aqueles que estavam motivados, mas que ao longo da carreira não viam espaço para crescer e implementar suas ideias e logo foi perdendo a energia. 

 

 

E um servidor insatisfeito faz a sua melhor entrega? Gera um bom atendimento? É produtivo ou criativo? Provavelmente não! E isso pode afetar quem está na ponta, o cidadão. 

É claro que existem vários fatores que impactam na motivação profissional, mas uma coisa eu te garanto: foque em melhorar aquilo que você pode gerenciar: isso se chama autoconhecimento. 

Ninguém além de você mesmo pode entender o que se passa dentro de você, portanto, se hoje você passa por um momento de insatisfação profissional o melhor caminho é: olhe para dentro, busque entender a causa, se sua escolha do concurso foi a melhor, se é nessa instituição ou nesse setor que você pode utilizar seu potencial. 

Vá atrás do seu propósito! Nada de deixar o tempo passar, ser um servidor mediano, ficar contando o tempo para se aposentar, perder tempo da sua vida e ainda tirar a vaga de pessoas que poderiam estar felizes no seu lugar. Me acompanha aqui que eu prometo escrever, no próximo artigo, umas dicas práticas para te ajudar a buscar um melhor caminho. Seja feliz a semana inteira e não só na sexta-feira!

* Priscila Monzato é pedagoga com especialização em Educação Corporativa e MBA em Gestão de Projetos; coach de carreira e de líderes; practitioner em Programação Neurolinguística e professora universitária. Atua também em projeto social de coaching vocacional e tem vasta experiência em liderança e qualificação de servidores públicos.

 







Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida

Comentários