Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Não está satisfeito, servidor? Então...

Não está satisfeito, servidor? Então...

Marcus Silva dá dicas e orientações para aqueles que estão insatisfeitos e querem trocar de carreira pública

Antonio Batist e Marcus Silva

 

* Antonio Batist e Marcus Silva

Olá, servidor! Tudo bem? Espero que sim. Mas, caso contrário, pode ser que nossa conversa de hoje te ajude um pouco. Você já se viu insatisfeito no seu ambiente de trabalho no serviço público? Você já se viu ocupando aquele cargo "melhor" que o seu? 

Sua vida seria melhor se fosse "diferente"? Outra pergunta: se você não está satisfeito com a sua condição atual, o que você pode fazer para melhorar tudo isso?

Oportunidades ao alcance dos servidores

Reforma de Previdência: você está preocupado, servidor?

Até mesmo pela minha própria experiência de mais de 27 anos ininterruptos no serviço público, eu (Marcus Silva) acho que posso te ajudar com isso. E vou responder à pergunta anterior falando um pouco sobre mim. Já passei pela área militar federal, quando fiquei por aproximadamente 18 anos na Marinha do Brasil. 

Faltavam cerca de 12 anos para eu ir para a reserva remunerada, mas, por escolha própria e por vários motivos e entendimentos particulares, resolvi que era hora de mudar, sair daquela rotina. Então, assim decidi e trabalhei nesse sentido. Saí no 5º ano de Capitão-Tenente.

E a primeira dica que deixo para você que deseja mudar a sua situação por insatisfação com a sua posição atual é: decida rápido! Sei que isso pode ser difícil, mas é muito importante que você se decida rapidamente, pois as chances de sucesso são maiores quando isso acontece. 

Quem decide rápido, quem toma decisões de forma célere, tem maiores chances de não desistir pelo caminho. E o contrário também é verdadeiro: quem demora muito para decidir tem mais chances de desistir rapidamente da mudança.

E assim eu fiz: decidi e segui em frente. Fiz outros concursos públicos. Ingressei como analista de planejamento e orçamento no antigo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Fui trabalhar na Secretaria de Orçamento Federal (SOF) e ali fiquei por algum tempo até que decidi, novamente por motivos de cunho particular, que era hora de mudar! 

 

 

O que eu fiz? Entrei em ação e ingressei na Controladoria-Geral da União (CGU), por meio de concurso público, para ocupar o cargo de Auditor. Foi, então, que surgiu a necessidade de sair de Brasília e regressar ao Rio de Janeiro, por motivos familiares.

Nesse momento, mais uma decisão, mesmo que representasse ganhar menos financeiramente. Decidi e segui em frente: novo concurso público, agora para o cargo de analista de planejamento e orçamento da antiga Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado do Rio de Janeiro. Lá trabalhei com a área Planejamento, diferentemente do que aconteceu na SOF. 

Nesse momento, cheguei a ser rotulado como "maluco" por algumas pessoas que nem me conheciam. Para elas, como poderia alguém largar um cargo público federal do porte de Auditor da CGU para ir trabalhar no Estado e ganhando 60% menos? 

E aqui fica uma outra dica: cargo é descartável, não abra mão dos seus valores. E aqui havia um valor que não abro mão: minha família. E naquele momento isso era necessário e fui lá e fiz, simples assim.

Mas era necessário reparar esse lado financeiro. E, mais uma vez, decidi que era hora de mudar. Fiz vários outros concursos. Passei para auditor da Finep, analista da CVM e auditor do TCMRJ. Abri mão da posse na Finep e na CVM. Fui para o TCMRJ e aqui estou há quase 7 anos. 

Por enquanto, tudo ótimo! Mas, nunca se sabe sobre como será o dia de amanhã, não é? E aqui fica a última dica de hoje: se for necessário mudar, decida rápido, aja, trabalhe duro para isso acontecer, não desista e conquiste. Você é capaz. Grande abraço e até a próxima!

* Antonio Batist é diretor da Escola de Governança em Gestão Pública da Universidade Federal Fluminense (EGPP/UFF), doutorando em Administração, consultor, professor, empreendedor e servidor público.

Marcus Silva é auditor de controle externo do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro (TCMRJ), exercendo a função de assessor de conselheiro, além de ter ocupado vários outros cargos públicos.

 

 





CADASTRE-SE AGORA E VEJA MAIS SOBRE ESTE CONTEÚDO

OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações