Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Investir na capacitação dos servidores é uma das prioridades da nova presidente da Ceperj

Investir na capacitação dos servidores é uma das prioridades da nova presidente da Ceperj

Márcia Andrade: “A importância da capacitação reside na própria razão de ser de nosso estado: servir o cidadão com excelência”

Márcia Andrade informa que a Ceperj
firmou parceria com a Enap para oferecer cursos de
capacitação em EaD (Foto: Divulgação)

 

Investir na capacitação e qualificação dos servidores públicos do Estado do Rio de Janeiro é uma das bandeiras da nova presidente da Fundação Ceperj, Márcia Andrade, que tomou posse em janeiro deste ano. Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, ela afirmou que sua gestão tem investido fortemente no público interno, ou seja, nos servidores da própria fundação.

“Capacitar o público interno é fundamental para sensibilizar nossos servidores sobre a importância da qualificação para os profissionais que atuam em todo o estado”, disse Márcia Andrade, destacando que a Ceperj realiza, mensalmente, ciclo de palestras com os servidores da casa. “Trazemos temas relacionados à gestão e liderança”, enfatizou.

Escolhi a carreira errada! O que fazer agora?

Veja 5 passos para planejar uma transição de carreira

No entanto, segundo Márcia Andradade, existe a mesma preocupação com a formação dos demais servidores do estado. Por isso, a Fundação Ceperj iniciou, na última terça, dia 21, o Ciclo de Atualização do Servidor Público, programa que abrange diversos cursos de capacitação gratuitos para o público externo.

“Os cursos são abertos a qualquer servidor público, desde que tenha autorização de seu chefe imediato, já que as capacitações ocorrem em horário de expediente. As inscrições podem ser realizadas pelo site www.ceperj.gov.rj.br”.

A presidente da Fundação Ceperj ressaltou que o servidor que busca se capacitar tem mais possibilidades de crescer na carreira pública. “Algumas instituições têm programas que valorizam cada especialização que o servidor realiza, outras têm esse critério como requisito para progressão na carreira”, explicou.

Na entrevista abaixo, Márcia Andrade falou, também, sobre as ações que vem promovendo para reestruturar a fundação, bem como dos esforços que o governo realiza para que a Ceperj volte a ser uma referência na área de concursos:

FOLHA DIRIGIDA - A senhora recebeu a Fundação Ceperj logo após o estado passar pela pior crise da sua história. Efetivamente, como a senhora encontrou a instituição? Está sendo um grande desafio administrar a instituição frente às dificuldades financeiras do estado?
Márcia Andrade -
Eu costumo dizer que quando cheguei à Ceperj encontrei uma terra arrasada. Pegamos uma instituição que há tempos não recebia atenção e investimentos e está sendo preciso muito empenho e dedicação para organizarmos a casa. Com o apoio do governo do estado, o suporte da Casa Civil e uma equipe aguerrida, que luta diariamente, está sendo possível traçar novos projetos e começar a desenvolver o que tínhamos em mente quando decidimos aceitar o desafio de estar à frente da Fundação Ceperj. Estamos falando de uma instituição que tem a tradição de pesquisa, estatística e de escola de governo e é esse protagonismo que vamos trazer de volta. 

Como sua experiência no setor privado poderá contribuir para revitalizar a Fundação Ceperj e torná-la, novamente, uma grande referência nas áreas de concurso, capacitação e produção de dados estatísticos? Quais projetos já estão sendo desenvolvidos nesse sentido?
Eu sou advogada e atuei na iniciativa privada durante toda a minha trajetória. É uma experiência muito nova para mim. Enfrentar o serviço público e todas as dificuldades pelas quais ele vem passando é um desafio por si só, mas tenho certeza que a minha visão empresarial e empreendedora pode acrescentar bastante. Trago experiências muito distintas, montei uma equipe essencialmente técnica, composta por mestres e doutores, e creio que é uma oportunidade poder inserir um novo modelo de trabalho, de cultura e de estratégia para a fundação. Na Ceperj, todos estão trabalhando muito duro para reestruturar esta instituição. E o que posso afirmar é que farei o que for preciso para dar condições para que isso ocorra.  

O que tem sido feito, internamente, para estimular e motivar os servidores da Fundação Ceperj? Têm sido realizadas, também, capacitações para o público interno?
Capacitar o público interno é fundamental para sensibilizar nossos servidores sobre a importância da qualificação para os profissionais que atuam em todo o estado. Assim, realizamos duas estratégias de capacitação. A primeira é a criação de um Ciclo de Palestras, com uma palestra por mês, trazendo temas relacionados à gestão e liderança. Já houve a participação 82 servidores, com a previsão de atingir mais 490 até novembro de 2019. A outra é o Ciclo de Capacitação do servidor da Ceperj, previsto para ocorrer no período de 29 de maio a 24 de julho, contendo os seguintes cursos: Previdência do Servidor Público no Cenário Contemporâneo (30 vagas); Noções de Informática (16 vagas ); Universo Google (16 vagas); Noções de PowerPoint (16 vagas); Noções de Word (16 vagas); Excel Básico (16 vagas); Excel Intermediário e Avançado (16 vagas); Gerenciamento de Rotina (30 vagas). 
 
A Fundação Ceperj lançou um grande programa gratuito de capacitação  para os servidores públicos do estado, com mais de 20 cursos. Fale um pouco sobre esse projeto. Quais cursos são oferecidos? Como realizar a inscrição?
O Ciclo de Atualização do Servidor Público já foi iniciado e está previsto para ocorrer até 3 de julho, na Fundação Ceperj. O programa inclui os seguintes cursos: Excel Básico (16 vagas); Processo Administrativo (30 vagas); Sistema de Gestão Enxuta (Lean) (30 vagas); Excel Intermediário (16 vagas); Discussão e Atualidades em Língua Portuguesa (30 vagas ); Excel Avançado (16 vagas );  Prestação de Serviços Públicos (30 vagas ); Organização e Gestão de Documentos (30 vagas );  5S na Empresa (30 vagas ); Contratos e Convênios Administrativos (30 vagas);  Gestão de Risco e Controles Internos (30 vagas); Políticas Públicas e Meio Ambiente (30 vagas); Thinking Environment (30 vagas ); Improbidade Administrativa e Crimes contra a Administração Pública (30 vagas). Os cursos são abertos a qualquer servidor público, desde que tenha autorização de seu chefe imediato, já que as capacitações ocorrem em horário de expediente. As inscrições podem ser realizadas pelo site www.ceperj.gov.rj.br.

A Fundação Ceperj firmou um convênio com a Enap para oferecer cursos em EaD. Fale um pouco sobre essa parceria e o benefício que trará aos servidores do estado?
Estive em Brasília, juntamente com o professor Mazuranna, diretor da Escola de Gestão e Políticas Públicas (EGPP) da Ceperj, para formalizar esta parceria que prevê várias possibilidades de capacitação para o servidor, incluindo a construção de trilhas de conhecimento envolvendo cursos EAD, que serão selecionados conjuntamente entre a EGPP e a instituição parceira, tendo a gestão dessas qualificações e a emissão de certificados a cargo da EGPP, da EG.V e Enap. 
 
A Ceperj tem uma pós-graduação em Administração Pública muito conceituada, que existe há 25 anos. Qual o diferencial desse curso para outros que existem no mercado? As inscrições são abertas? 
O Curso de Especialização em Administração Pública (Ceap) completa 25 anos este ano e estamos com inscrições abertas para a sua 42ª edição. As inscrições podem ser realizadas no nosso site. A tradição do curso já faz parte da formação de diversos gestores públicos e, a partir da atual gestão da Ceperj, o currículo foi inteiramente atualizado, com ênfase na adoção do método do caso como estratégia de ensino e na elaboração de Projeto Aplicado, em lugar do tradicional TCC. Essa mudança permite que o curso desenvolva competências de gestão e liderança por meio da discussão, problematização e oferecimento de alternativas aplicáveis à realidade e aos desafios enfrentados pelos servidores públicos.

 


 
Está nos planos da Ceperj elaborar um programa de mestrado em Administração Pública, aproveitando essa expertise?
Sim. E não apenas na área de Administração Pública, mas também em outras áreas. Aproveitaremos tanto a experiência acumulada na produção científica de nossas especializações, quanto à reestruturação física de nossa Escola de Governo. Está em nosso planejamento esse oferecimento aos servidores de nosso estado muito em breve.

Qual a importância para o servidor público manter-se permanentemente capacitado e buscar sempre uma melhor qualificação?
A importância da capacitação reside na própria razão de ser de nosso estado: servir o cidadão com excelência. Isso só é possível com um servidor que tenha suas competências conceituais, procedimentais e atitudinais constantemente aprimoradas, gerando não apenas eficiência como, também, valorização profissional.
 
Na sua visão, aqueles servidores que procuram participar de capacitações e, além disso, buscam se qualificar por meio de cursos de graduação e pós-graduação têm maiores posibilidades de crescer na carreira pública, podendo ocupar cargos de chefia e liderança?
Sim, isso ocorre em qualquer setor de trabalho. Algumas instituições têm programas que valorizam cada especialização que o servidor realiza, outras têm esse critério como requisito para progressão na carreira. Sobretudo, independentemente  de quaisquer incentivos, o ser humano constantemente desafiado pela busca do conhecimento é um cidadão motivado e um servidor empenhado em servir com excelência.

Em momentos de crise econômica, quais ações estão sendo adotadas para preservar atividades de pesquisa e formação no estado? 
Em um cenário atual de severa recessão econômica, os municípios são os mais impactados com relação à redução maciça de seus aportes financeiros oriundos de tributos e repasses constitucionais. Desta forma, os estudos e pesquisas desenvolvidos pela Fundação Ceperj auxiliam os gestores municipais nas tomadas de decisão, cumprimento de metas e planejamento estratégico. Além do apoio aos órgãos públicos, a Ceperj oferece, de forma permanente, dados utilizados pela iniciativa privada, instituições de pesquisa e pela sociedade em geral. Nesse momento de crise econômica, a instituição vem trabalhando para ajustar suas atividades e atribuições à realidade dos investimentos, utilizando  acordos de cooperações técnicas e recursos tecnológicos disponíveis. Quanto às ações para preservar as atividades de pesquisa e formação do estado, o nosso Centro de Estatísticas, Estudos e Pesquisas (Ceep) por meio de suas coordenadorias temáticas, desenvolve, em caráter permanente e/ou sob demanda, a produção dos seguintes produtos e serviços: boletins de mercado de trabalho e de conjuntura econômica fluminense; relatório de acompanhamento da realidade socioeconômica do Estado do Rio de Janeiro;   estudos temáticos sobre políticas públicas; indicadores sociais, econômicos e ambientais; ferramentas de disseminação web de dados estatísticos municipais e estadual; elaboração da base cartográfica oficial do Estado do Rio de Janeiro; mapa oficial do Estado do Rio de Janeiro; participação na Comissão do Zoneamento Ecológico Econômico (ZEE-RJ); consolidação e publicação dos índices que compõem o ICMS Ecológico do Estado do Rio de Janeiro; convênios de cooperação técnica com órgãos públicos e privados; pareceres técnicos em resposta aos recursos dos municípios; treinamento a assessoria técnica especializada aos municípios fluminenses. 

Qual participação a estatística pode ter na recuperação econômica e formação de servidores?
A Fundação Ceperj é a responsável por produzir, analisar e promover pesquisas primárias e secundárias, além de desenvolver planos, programas e projetos afins no âmbito do Estado do Rio de Janeiro e seus municípios, mediante a sua realidade social, demográfica, geográfica e ambiental. As atividades estatísticas representam a melhor maneira de apoiar, elaborar, acompanhar e coordenar planos, programas, projetos e ações relativos à melhoria e aperfeiçoamento da gestão municipal e ao desenvolvimento regional e local, assim como promover a produção, sistematização e disseminação das informações. O grau de importância atribuído à estatística é tão grande que praticamente todos os governos têm organismos oficiais destinados à realização de estudos estatísticos. Sabemos que, atualmente, a utilização da estatística está disseminada nos órgãos públicos, universidades, iniciativa privada,  sendo considerada a principal ferramenta para o seu planejamento estratégico. Nós, da Fundação Ceperj, trabalhamos em busca de melhorias contínuas na utilização de ferramentas digitais modernas de disseminação de dados estatísticos, de forma a prover a sociedade de informações sistematizadas e de fácil acesso, para compor os indicadores fundamentais para o acompanhamento das políticas públicas e pesquisas temáticas.   

E no que tange aos concursos públicos? A Ceperj vai voltar a fazer concursos para o estado e para diversos outros municípios? 
Sim, a Ceperj está trabalhando para firmar parcerias e convênios com diversos órgãos, com o objetivo de realizar os concursos e/ou processos seletivos tanto dos órgãos estaduais, quanto de prefeituras. 

O governador vai prestigiar a instituição com os concursos do estado? 
Com certeza, por meio da Casa Civil e Governança, já estamos reunindo todos os nossos esforços e recebendo o apoio operacional para este desafio.  

A Ceperj havia sido escolhida pelo Degase para realizar o concurso da instituição. Efetivamente, há uma previsão de quando esse edital será divulgado? Quantas vagas serão oferecidas? Todas serão para agente socioeducativo?
Até a presente data não fomos consultados sobre o fato.  
 
Quais concursos serão abertos a curto ou médio prazos para a Fundação Ceperj?
Estamos em contato com órgãos estaduais e municipais. Várias parcerias também estão em andamento, uma vez que sejam concretizados, vou dar publicidade às informações. 

 

 







Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações