Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Ceperj abre mais de 30 cursos de capacitação

Ceperj abre mais de 30 cursos de capacitação

Fundação Ceperj lançou o Programa de Capacitação Técnico-Gerencial para o segundo semestre deste ano

Diretor da EGPP, Leonardo Mazzurana diz
que meta da Fundação Ceperj é chegar a 5 mil
servidores capacitados até o final deste ano


A Escola de Gestão e Políticas Públicas (EGPP) da Fundação Ceperj lançou o Programa de Capacitação Técnico-Gerencial para o segundo semestre. São oferecidos mais de 30 cursos em áreas como Administração Pública, Informática, Orçamento, Gestão de Pessoas, Assessoria e Planejamento e Gestão.

Servidores acometidos de doenças podem ter isenção de IR

O networking para o servidor público

Segundo o diretor da EGPP, Leonardo Mazzurana, os cursos podem ser realizados por servidores públicos de qualquer esfera governamental. “Os cursos são abertos a servidores do estado, como também de qualquer outra prefeitura. Basta apresentarem a autorização do chefe imediato para poderem se inscrever. O órgão público que tiver interesse também pode nos procurar, pois podemos fechar uma turma para os seus servidores”, disse.

Mazzurana destacou ainda que os cursos, que serão realizados de setembro a novembro, também são abertos à comunidade, ou seja, não são exclusivos para concursados. “Qualquer pessoa que tenha interesse em um dos cursos oferecidos pode participar”, destacou.

Como a Fundação Ceperj é uma instituição sem fins lucrativos, o diretor da EGPP explica que as taxas de inscrição são bem módicas, variando, em sua grande maioria, entre de R$72 a R$200. “Cursos com carga horária menor e em outras instituições estão na faixa de R$1 mil.”

 

 

As aulas ocorrerão na sede da Fundação Ceperj, em Botafogo, em diversos horários. As inscrições devem ser feitas no site da instituição. Basta clicar na aba “Cursos” e, em seguida, em “Programa de Capacitação Técnico-Gerencial”. Lá, o interessado poderá consultar a carga horária, a ementa, a taxa e o horário das aulas. 

“Nas aulas presenciais, temos um limite de 35 alunos por turma. Já nos laboratórios, 16. Há todo um projeto aqui da presidência para a ampliação tanto do laboratório quanto da sala de aula para que possamos aumentar esse trabalho”, informou o diretor da EPGG.

Mazzurana explica ainda que os cursos oferecidos pela Fundação Ceperj estão alinhados com a Casa Civil e Governança do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Segundo ele, somente de janeiro a junho, foram capacitados cerca de 2 mil servidores. Já os planos para esse semestre é de atingir 3 mil servidores. 

“A ideia é, até ao final do ano, capacitar cerca de 5 mil servidores. Só como comparação, para se ter uma dimensão de diferença, em 2018, na qual essa gestão não pertencia, foram capacitados 389 servidores”, apontou.

Embora a Fundação Ceperj esteja inscrevendo, no momento, para o Programa de Capacitação Técnico-Gerencial, a instituição possui em seu portfólio mais de 170 cursos de capacitação, conforme disse o diretor da EGPP. 

“Temos um portfólio permanente com todos os cursos que a Ceperj é capaz de ministrar e o candidato pode manifestar interesse em um desses cursos. Quando temos um número significativo de interessados ou um órgão público se interessou por algum deles e quer realizar a capacitação, nós desenvolvemos operacionalmente o curso.”

 

Servidores também podem dar aulas

A Fundação Ceperj, além de capacitar, também costuma contratar servidores públicos para serem professores dos cursos que são oferecidos pela instituição. Mazzurana explica que os interessados devem ficar atentos aos editais de chamada pública que são divulgados pela instituição.

O diretor da EGPP diz que quando há demanda de um curso, a instituição define as disciplinas que serão ministradas e fixa, no edital de chamada pública, o perfil do docente necessário. É feita uma análise do currículo do candidato, onde avalia-se a experiência do profissional, e elaborado um ranking.

“Quando formos lançar o curso, chamamos o candidato na ordem de classificação do ranking para uma prova de aula, que é eliminatória. 

Sendo aprovado, o servidor precisará da autorização do seu chefe imediato para poder dar aula Vários professores nossos são servidores do Estado”, explicou o diretor da EGPP, informando ainda que os contratados serão remunerados pela Ceperj.

Mas nem sempre é possível abrir um edital de chamada pública para a contratação de professores, já que, segundo Mazzurana, há cursos que são demandados de forma repentina. 

Neste caso, o servidor interessado em se tornar professor passará por uma análise da EGPP, para depois a contratação ser submetida à presidência da Ceperj, com a motivação de que não houve tempo de se realizar a convocação pública.

De acordo com Mazzurana, os cursos oferecidos pela Ceperj têm sido bastante elogiados pelos alunos, inclusive o corpo docente.

“Temos inovado no processo de avaliação. Nós fazemos uma avaliação parcial da disciplina e depois ao final. Normalmente, as escolas de governo fazem apenas ao término do curso. Então, costumamos realizar uma avaliação depois da terceira aula, onde os alunos nos dão uma indicação sobre a aula do professor. Caso haja necessidade, orientamos o docente com as indicações necessárias para aperfeiçoar o curso.”

 







Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida

Comentários