Notícia principal

Burnout: psicóloga fala sobre a síndrome que afeta muitos servidores

Burnout: psicóloga fala sobre a síndrome que afeta muitos servidores

O programa Servidor + desta semana recebe a psicóloga Michele Silveira para um bate-papo com o apresentador Antonio Batist

Michele Silveira é a entrevistada de
Antonio Batist no programa Servidor + desta semana

 

Como servidor público, você, provavelmente, já deve ter ouvido falar na Síndrome de Burnout. Descoberta pelo psicanalista Herbert Freudenberger, em 1974, após ter sido experienciada por ele mesmo, essa síndrome é um estado físico, emocional e mental de exaustão extrema, resultante do acúmulo excessivo em situações de trabalho.

Traduzindo do inglês — "burn" quer dizer queima e "out" exterior —, o termo remete a situações que são emocionalmente exigentes e/ou estressantes, e que demandam muita competitividade ou responsabilidade, especialmente nas áreas de educação e saúde. 

Saiba como preparar-se para assumir cargos de gestão e liderança

Entenda a importância do design thinking na gestão pública

Para falar sobre o assunto, o programa Servidor + desta semana recebe a psicóloga Michele Silveira para um bate-papo com o apresentador Antonio Batist, com objetivo de trazer mais informações sobre esse distúrbio psíquico.
 
Conhecida também como "Síndrome do Esgotamento Profissional", a Síndrome de Burnout é comum em profissionais que atuam diariamente sob pressão e com responsabilidades constantes, como médicos, enfermeiros, professores, policiais, jornalistas. Entre as categorias mais expostas estão aquelas que lidam mais diretamente com público. 

 

 

"A pessoa se doa tanto, se coloca tanto à disposição, que é possível gerar esse esgotamento característico da burnout", explicou Michele Silveira.

De uma forma geral, os sintomas podem ser confundidos com os da depressão, que pode estar contida nesse pacote. Mas geralmente se assemelham mais ao estresse. Confira alguns desses sintomas:

- palpitações
- ansiedade
- insônia
- dor de cabeça constante
- cansaço excessivo
- dificuldade de concentração
- isolamento
- fadiga
- alterações de humor
- sentimentos de derrota e desesperança

A especialista explica, no vídeo, que o diagnóstico da Síndrome de Burnout é feita por profissional especialista após análise clínica do paciente. 

Michele também ressaltou que muitas pessoas não buscam ajuda médica por não saberem ou não conseguirem identificar todos os sintomas. Por isso, acabam negligenciando a situação. O que pode atrasar o tratamento — feito, basicamente com psicoterapia e que, geralmente também envolve o uso de medicamentos como antidepressivos e/ou ansiolíticos.  

Assista abaixo ao programa Servidor + com a psicóloga Michele Silveira:

 







Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida

Comentários