Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

APPAI discute fake news e educação

APPAI discute fake news e educação

Realizado pela Appai, III Encontro de Educação reuniu servidores, educadores e vários outros profissionais

Olá! Tudo bem com você? A Associação Beneficente dos Professores Públicos Ativos e Inativos do Estado do Rio de Janeiro (Appai) existe há mais de trinta anos e reúne mais de 200 mil pessoas. Em outubro ela realizou o seu III Encontro de Educação. 

Centenas de participantes - boa parte deles, professores da rede pública - lotaram auditório no Prodigy (estrutura estrategicamente integrada ao aeroporto Santos Dumont).

Fundação João Goulart lança Programa Líder Multiplicador

Currículo Lattes: aprimoramentos a caminho?

O evento contou com uma programação diversificada e com temáticas contemporâneas que iam de memes e games a fake news, tudo conectado ao universo educacional.

Entre os homenageados e convidados, estavam Carlos Alberto Serpa (fundador e presidente da Fundação Cesgranrio), Juliano de Mello Costa (vice-presidente da Pearson no Brasil), Thiago dos Santos Conceição (professor que foi agredido por alunos em Rio das Ostras e recebeu a solidariedade de seus pares durante o Encontro), Ronaldo da Costa (atleta recordista da Maratona de Berlim de 1998), Luiz Fernando Caldeira (diretor de redação da FOLHA DIRIGIDA), Ágata Desmond (presidente da Academia Brasileira de HQ), Victor Prado (fundador da For Games/"Iniciação à Gamificação"), Luiz Frota (coordenador do Unicirco Ator Marcos Frota), José Marcos de Assis Couto Júnior (eleito Educador do Ano 2018) e este que vos escreve.

Luiz André Ferreira, Luiz Fernando Caldeira e Antonio Batist (da esquerda
para a direita) debatem sobre fake news em evento da Appai (Divulgação)

 

Com apresentação do inoxidável Luiz André Ferreira e em parceria com Luiz Fernando Caldeira, tive a honra de falar com centenas de outros professores que ali estavam e com muitas outras pessoas que acompanharam a cobertura do evento ao vivo pela internet. 

Falamos sobre fake news e educação, destacando, entre muitos outros, alguns dados:

  • Brasil foi considerado em setembro de 2018 como o país que mais acredita em notícias falsas (entre 27 nações pesquisadas pelo instituto Ipsos);
  • Notícias falsas estão longe de ser uma novidade, embora a tecnologia atual permita uma ampliação até então inimaginável desse fenômeno;
  • Tecnologia não pode ser considerada vilã em função de fake news, pois é o ser humano o real autor, inclusive da robotização;
  • Fake news são um grande desafio contemporâneo (isso sem nem falar das eleições) e são também uma nova demanda para o educador;
  • Mais do que tecnológico, o processo é social, antropológico, cultural etc.;
  • Não adianta o educador ignorar as notícias falsas, muito menos sair simplesmente demonizando a tecnologia;
  • Se houver bom planejamento, o educador pode utilizar as notícias falsas para gerar conhecimentos, esclarecimentos etc.;
  • A necessidade de conhecer as mídias e redes sociais só aumenta;
  • O educador deve ensinar não apenas a ler livros, mas a ler o mundo - e ler o mundo hoje significa também ler as mídias e tecnologias;
  • O educador precisa verificar a sua realidade e a realidade da escola em que trabalha, como ponto de partida;
  • Outros fatos eventualmente podem combinar notícias falsas, mentiras e chantagens, como jogos com incentivo à automutilação, ao suicídio etc.;
  • Esqueça as montagens grosseiras. Está avançando o deep fake, falsificação refinada que pode envolver, entre outros, o uso de inteligência artificial;
  • Não são só robôs: estudo do MIT em março de 2018 apontou o apelo emocional (revolta, surpresa etc.) como um grande propulsor das fake news;
  • Existem projetos de lei, mas, até hoje, não há nenhuma lei específica sobre o assunto no Brasil;
  • Por enquanto, no Brasil, só se pode combater juridicamente as fake news de forma subsidiária (quando houver calúnia ou difamação, por exemplo);

Além da checagem, há outros caminhos para o educador quanto às fake news: midiaeducação e educomunicação são duas das melhores opções. A íntegra do vídeo está neste link: http://twixar.me/Pgv3.

Educação, tecnologia, EAD, fake news etc. Voltaremos a abordar esses temas aqui. Continue com a gente! Forte abraço e até breve. 
 

 





CADASTRE-SE AGORA E VEJA MAIS SOBRE ESTE CONTEÚDO

OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações