Concursos públicos do Tocantins: retomada só depois do 2º turno

Concurseiros do estado do Tocantins aguardam pelo segundo turno das eleições para governador suplementar para saberem futuro das seleções.

Matéria atualizada em 06/06/2018

Os concurseiros do estado do Tocantins precisarão aguardar o segundo turno das eleições suplementares para governador para terem novidades sobre as seleções que estavam em andamento e foram suspensas. No último domingo, 3 de junho, a disputa foi acirrada entre os candidatos Mauro Carlesse (PHS) e o Vicentinho Alves (PR), que agora se enfrentarão em um segundo turno no próximo dia 24.

Enquanto o estado é comandado por um governador interino, diversos processos foram interrompidos, inclusive o prosseguimento de seleções públicas. Um desses concursos que está parado é o da Polícia Militar, que agora aguarda a definição de um novo chefe de estado.

“Nós precisamos ter um novo governador permanente. O interino só pode atuar por 60 dias. Pode ser que o presidente da Assembleia se candidate e ganhe, mas por enquanto é interino”, explicou Gleidson Carvalho, capitão da Polícia Militar do Tocantins.

Urna - Agência Brasil/ Portal Senado Federal
Tocantins enfrenta eleições suplementares
(Foto: Agência Brasil/ Portal Senado Federal)

Quem está na disputa pela vaga de governador suplente é o atual governador interino, Mauro Carlesse (PHS), que é ex-presidente da Assembleia Legislativa, e o senador Vicentinho Alves (PR).

Quem vencer as eleições governará apenas até 31 de dezembro, já que em outubro acontecerão eleições regulares, cujo novo representante tomará posse em janeiro de 2019 e assumirá por quatro anos.

Tocantins passa por eleições suplementares: entenda

O estado do Tocantins está enfrentando eleições suplementares em pleno mês de junho e o motivo é a cassação do mandato do ex-governador do estado, Marcelo de Carvalho Miranda, por ter usado recursos ilegais em sua campanha de 2014. A informação foi divulgada no portal no Ministério Público no dia 26 de março.

O MP foi o órgão que solicitou a suspensão do concurso ao TJ. Segundo a notícia publicada em seu site, a ação foi motivada pela investigação que o governador do estado estava sofrendo devido à denúncias de condutas em desacordo com a lei. Os mandatos do chefe de estado e de sua vice-governadora foram definitivamente cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 22 de março.

Concursos de Tocantins aguardam atualizações

Os concursos de Tocantins também foram afetados pelo cassação do ex-governador. Dois deles, inclusive, foram suspensos pela Justiça: é o caso da seleção da Polícia Militar e da Procuradoria Geral do estado.

O primeiro, já estava em andamento e já havia aplicado provas objetivas e dissertativas do concurso dia 11 de março. Os candidatos aguardavam a publicação do resultado da primeira fase quando foram surpreendidos pela notícia de suspensão.

A Assessoria de Comunicação da Polícia Militar-TO informou que o resultado da primeira fase do concurso, já foi contabilizado pela banca AOCP. Mas, mesmo com os resultados em mãos, a banca organizadora não poderá divulgá-los enquanto não sair a decisão judicial.

Segundo o representante da PM-TO, o concurso não será cancelado. Mas é necessário que a Justiça decida pela retomada da seleção, que depende da definição do governo do estado para dar prosseguimento as fases.

O concurso PGE-TO está em situação parecida e também foi suspenso. A primeira etapa da seleção, de prova objetiva, também já havia acontecido em março e agora os candidatos aguardam por novidades.