Concurso PM e PC-RJ: com o 13º pago, convocações ficam próximas

Com o pagamento do 13º salário dos servidores estaduais, as chamadas de aprovados nos concursos Polícia Civil e Polícia Militar-RJ estão mais próximas. Entenda!

O pagamento do 13º salário dos servidores ativos, inativos e pensionistas do Estado do Rio de Janeiro era o principal entrave para as convocações de aprovados nos concursos Polícia Civil e Polícia Militar-RJ.  Como o governo pagou as últimas parcelas do 13º no último dia 24 de abril, aumentaram as expectativas para que a convocação, enfim, seja publicada.
 
Alex de Medeiros Júnior, representante dos quatro mil aprovados no concurso Polícia Militar-RJ, explica que o Executivo só apresentaria um cronograma de convocações após o pagamento do 13º salário.
“Tivemos diversas reuniões na Alerj na Comissão de Segurança Pública. O que foi passado não só para os candidatos da Polícia Militar, como da Polícia Civil, dos Bombeiros e dos agentes penitenciários é que só depois do pagamento do 13º salário que o executivo traria um novo cronograma”, detalha Júnior.

Aprovados lutam por novas convocações

Após quatro anos sem novidades, os aprovados nos concursos PC-RJ e PM-RJ continuam a lutar para que as convocações sejam publicadas. O representante dos candidatos da Polícia Militar contou à FOLHA DIRIGIDA que nesta quarta-feira, 30, está marcada uma nova reunião com a Deputada Martha Rocha (PdT) e com o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, André Ciciliano (PT).
 
Mais de mil aprovados no concurso PM-RJ aguardam convocação
para o curso de formação (Foto:Divulgação)
 
“Nesse encontro, iremos buscar as respostas do Governador a cerca das contratações. Tudo indica que, irão marcar uma nova reunião com o atual chefe do governo na casa, Deputado Gustavo Tutuca (MDB). Geralmente é dele que vem as informações do Executivo”, revelou o candidato.

Pedido de convocações já foi enviado à Casa Civil

A boa notícia é que o secretário de segurança, general Richard Fernandez Nunes, já encaminhou à Secretaria da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico o processo para nomeação de 96 papiloscopistas e convocação de mil aprovados no concurso PM-RJ, realizado em 2014. A informação foi confirmada à FOLHA DIRIGIDA pelo presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Sindpol-RJ), Márcio Garcia.
 
O representante sindical esteve com o general Nunes, durante reunião do Conselho de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (Consperj).
“Ele garantiu que já encaminhou o processo de nomeação para a secretaria da Casa Civil publicar. A expectativa é para essa nomeação sair nos próximos dias”, disse Garcia.
A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Segurança Pública, por sua vez, informou por telefone que existe a intenção e o desejo do secretário da pasta em recompor os quadros de servidores da Polícia Civil e Militar do Estado do Rio de Janeiro. No entanto, não soube informar datas para que as nomeações aconteçam, tendo em vista que isso depende de viabilidade orçamental.

Mais de mil aprovados nos concursos PC-RJ e PM-RJ serão convocados

O presidente do Sindpol-RJ especificou que serão convocados mais de mil aprovados no concurso Polícia Militar-RJ para ingresso no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP). Os 96 papiloscopistas que serão nomeados, por sua vez já realizaram curso de formação na Academia de Polícia (Acadepol), em 2014, após serem aprovados no concurso Polícia Civil-RJ. 
 
Anunciada equipe de intervenção federal no Rio de Janeiro
Equipe de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro,
chefiada pelo general Braga Netto (Foto:Divulgação)
 
Para Márcio Garcia, essas convocações podem ser um sinal de que a chamada de aprovados em concursos é tida como prioridade da intervenção federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro.
 
"Estamos lutando pela convocação desses 96 papiloscopistas policiais há quase dois anos. O anúncio do secretário de segurança sobre o envio da nomeação desse grupo para a casa civil publicar é uma grande vitória e nos dá muita esperança que a situação dos concursos será priorizada pela intervenção federal”, relatou o presidente do Sindpol-RJ.
 
De acordo com o chefe de Gabinete da Intervenção, Mauro Sinott, o aumento do efetivo em órgãos de Segurança será prioridade na gestão do interventor federal, general Braga Netto. A informação foi dada em entrevista coletiva realizada no dia 27 de fevereiro.

Polícia Civil-RJ conta com déficit de 15 mil agentes

A Lei Estadual 699/1983 determina que a Polícia Civil do Rio de Janeiro tenha 23 mil agentes. No entanto, hoje em dia, a corporação apresenta somente 8 mil policiais em todo estado. Isso representa carência de 15 mil agentes. Aliado a essa situação, os profissionais tem precárias condições de trabalho, como falta de manutenção nas viaturas.
 

Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida