Como as mães concurseiras conciliam maternidade e estudos

Em um papo animado com algumas mamães concurseiras, FOLHA DIRIGIDA conheceu mulheres que encararam o desafio da maternidade e dos concursos.

Todo mundo já sabe que a vida de concurseiro não é nada fácil: são horas de estudos, trabalho, família e o cansaço. Agora já imaginou como é a rotina de uma concurseira que também é mãe? Agora sim a coisa ficou séria! Nesse Dia das Mães, FOLHA DIRIGIDA conversou com algumas delas para entender como mães concurseiras conciliam maternidade e estudos. Se esse é o seu caso, não pare de ler por aqui!

Cuidar de um bebê e ao mesmo tempo estudar para concursos públicos pode até parecer mágica, mas, na verdade, se trata de muita dedicação, foco e horas a menos de sono. Lara Vasconcelos é cabeleireira e descobriu como ser mãe e concurseira há quatro anos. A mãe do Vinícius conta que a madrugada era o único tempo disponível.
 

Lara Vasconcelos
Lara Vasconcelos e o filho Vinícius, de
7 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Resultado de imagem para aspas pngEu tive meu filho com 15 anos. Na época que foquei nos estudos ele já tinha quase três anos. Era muito desgastante, pois, além de tudo, eu também trabalhava. Eu optava por estudar de madrugada, que era quando eu tinha  tempo livre e ele já estava dormindo.Nenhum texto alternativo automático disponível.
 

Estudar noite à dentro é uma tática usada por muitas mães concurseiras, em razão da falta de tempo durante o dia. Para Mayara Silveira, que é estudante, concurseira e mãe da Laura, uma de suas grandes preocupações era não deixar nada a desejar para sua pequena.

“De manhã eu dava atendimento a minha filha: alimentação, banho, ajudava nos temas da escola. À tarde, quando ela ia estudar, fazia minhas tarefas do lar. Depois eu fazia cursinho e minha mãe cuidava dela. À noite quando eu retornava, dava atenção a Laura até ela dormir. Então o tempo que eu tinha para estudar, além do cursinho, era na madrugada”, explica Mayara.

Já a Dayan Becker, economista, concurseira e mãe de duas meninas, explica que ainda é muito difícil conciliar estudos para concursos com a maternidade - e todas as responsabilidades que ela traz. Para ela, o segredo é ter organização e não se esquecer da família.

“Com organização, equilíbrio emocional e, sobretudo força de vontade, é possível encaixar um cronograma de estudos para o cargo desejado. O que não pode é querer abarcar todo tipo de concurso que aparece, pois nosso tempo é limitado e família é prioridade”, reforça Dayan.

Supermães enfrentam calor, distância e saudade

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up
Andressa Milano com sua bebê Alycia: ajuda da família
para estudar (Foto: Arquivo Pessoal)
Todas as mulheres com quem FOLHA DIRIGIDA conversou reforçaram que um dos maiores desafios de ser concurseira e mãe simultaneamente é a falta de tempo para se dedicar aos estudos. Para algumas, as dificuldades eram ainda maiores, como no caso de Andressa Milano, mãe de uma bebê de sete meses.

“Meu maior desafio foi quando intensifiquei os treinos para prova física do concurso da Brigada Militar-RS e tive que deixar minha filha muito mais com minha família. Essa falta de tempo para ela foi a pior parte pra mim”, revelou.

Dayan também enfrentou muitos problemas durante sua trajetória no mundo dos concursos.

“O maior desafio pra mim foi realizar uma prova em Paranaguá-PR, com um bebê de quase um ano de idade, grávida de 8 meses e no calor do verão perto dos 40ºC. Achei que não aguentaria, mas fiquei entre os 50 aprovados na seleção. Ali percebi que estava no caminho certo”, lembrou.

Ajuda da família é de suma importância

A verdade é que para conseguir dar conta de todas as tarefas, as mães concurseiras precisam se desdobrar em mil funções. E é claro que a ajuda da família é sempre bem-vinda. Na maioria das vezes, as mães dessas concurseiras, ou seja, as vovós são as quem seguram a barra.

Dayan Becker
Dayan Becker com suas bebês Eduarda
e Rebeca (Foto: Arquivo Pessoal)

No caso da Andressa Milano, que iniciou no mundo dos concursos há pouco tempo, é sua mãe que fica com a bebê para ela estudar.

“Minha família me ajuda muito. Quando precisava estudar e a minha filha não estava dormindo, ela ficava ou com minha mãe ou com minhas irmãs. Eu só estudava quando dava e quando elas podiam ficar com minha bebê”, diz.

Já para Mayara, além da mãe, seu pai e seu namorado também foram essenciais em sua caminhada concurseira.

“Minha família sempre me ajudou, em especial minha mãe, que cuidava sempre da minha filha com todo amor, meu pai e meu namorado, que sempre me apoiaram em tudo”, lembra.

Para Dayan, o marido é quem dá suporte para encarar todos os desafios. “Nesse tempo todo meu grande apoiador é meu marido, que decidiu segurar as pontas até que eu seja nomeada. Sem ele, nada disso poderia ser feito”, destacou.

Mães concurseiras conciliam maternidade e estudos

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, selfie
Mayara com a filha Laura de 6 anos
(Foto: Arquivo Pessoal)

Se você, assim como Lara, Mayara, Dayan e Andressa também é mãe e está pensando em ingressar no mundo dos concursos públicos, saiba que para elas toda a trajetória valeu a pena! Não pense em desistir!

“Ter um filho se tornou minha maior fonte de esperanças para não desistir dos meus sonhos. Ele me motiva a seguir em frente. Em cada etapa do concurso, até agora, foi por ele que segui”, disse Lara.

“Nosso mercado de trabalho ainda é muito preconceituoso com a mulher, especialmente com as mães. Meu conselho às mães que pretendem voltar a trabalhar e veem na iniciativa privada falta de empatia em relação à maternidade, é a de que nada é impossível se você possui um objetivo maior. Tudo ao final é recompensado, saiba enxergar seu crescimento ao longo do caminho”, aconselha Dayan.

Já Mayara dá uma dica às mães que querem ser concurseiras: “O conselho que eu daria é em tentar ao máximo se esforçar no estudo, mas nunca deixar de lado a responsabilidade de mãe. E sabemos que somos capazes. Quando se sentirem cansadas, pensem no anjinho que têm e no futuro que eles terão”, finaliza.