Versão nova do site ativada

Concurso TRF3: professora dá dicas para a prova de redação

A professora Vivian Barros listou algumas dicas para a prova de redação do concurso TRF3 para técnicos.

23/11/2018 13:18 | Atualizado: 26/11/2018 11:27

23/11/2018 13:18 | Atualizado: 26/11/2018 11:27

O setor de Gestão de Pessoas do Tribunal Regional Federal da 3ª região, que abrange os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, já trabalha na fase preliminar do concurso TRF3. Embora o edital ainda não tenha previsão para ser divulgado, a professora Vivian Barros alerta que esta é a melhor hora para se dedicar aos estudos, sobretudo à redação, etapa tradicional do concurso.

"Garante a sua vaga na fila da nomeação quem começa a se preparar com antecedência. Não se espera edital sair para estudar", defendeu.

A necessidade de concurso para o TRF3 é evidente quando se olha para o acúmulo de vacâncias no órgão. Só para técnicos, cuja exigência é o ensino médio, há 142 cargos vagos. Já os cargos de analista, que exigem nível superior, o registro é de 101 vacâncias.

Com base nesses indicativos, a expectativa é que o edital saia no próximo ano. Sendo assim, é importante começar a se preparar desde já. A professora Vivian Barros listou alguns pontos principais da prova discursiva para técnicos da última seleção.

♦ Provas Discursivas: saiba tudo sobre a estética do texto

Segundo Vivian, a tendência é que a avaliação siga o mesmo formato das provas discursivas do concurso anterior, independentemente da organizadora. Para técnicos, a prova consiste na elaboração de um texto dissertativo-argumentativo.

O primeiro ponto é atentar-se para as extensões mínima e máxima do texto. "Escrever menos que a extensão mínima indicada pode causar até a eliminação do concurso", alertou.

Quer adiantar a preparação para o concurso TRF3? Saiba como!

menina fazendo prova
Professora ressaltou a importância de começar a preparação desde já
(Foto: Pixabay)

Professora destaca principais pontos avaliados na redação

A organizadora do último concurso do TRF3 foi a Fundação Carlos Chagas (FCC). E um ponto com grande relevância para essa organizadora, segundo a especialista, é a capacidade de argumentação. 

"Às vezes a FCC nem deixa o tema de forma explicita, ela traz só o texto motivador e a partir daí o candidato vai elaborar seu texto. Então essa capacidade de análise, de ler, compreender e interpretar é a primeira tarefa do candidato", explicou Vivian.

Outra questão importante é o critério de aprovação. A FCC avalia a prova com base em três eixos:

  • Conteúdo: qualidade da  argumentação do candidato (vale até 40 pontos) 
  • Estrutura: texto no estilo dissertativo-argumentativo. O candidato não deve apresentar muitos dados, por exemplo, sem fazer uma análise (vale até 30 pontos)
  • Expressão: análise das questões gramaticais (vale até 30 pontos)

Provas Discursivas: dicas para a banca FCC

"Atingir 60% da prova pode não ser fácil para a maioria dos candidatos. Então vale a pena começar desde agora a treinar a redação para não cair na armadilha de deixar para última hora e depois não conseguir atingir a pontuação mínima exigida", reforçou a professora. 

Os assinantes da FOLHA DIRIGIDA têm acesso a alguns conteúdos exclusivos de preparação, como o programa Gabaritando Provas Discursivas com Vivian Barros, sobre o TRF3. Não perca tempo! Assine já e confira esses conteúdos

Concurso TRF3: o que esperar das provas discursivas? 

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!

Sobre o concurso

Inscrições Encerradas

TRF3 SP/MS - 2019 - técnico e analista

MS...
Não informado
Fund...
9 vagas