Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Saiba quais são as atribuições para cada cargo do concurso TRF4

Saiba quais são as atribuições para cada cargo do concurso TRF4

Conheça as atribuições para cada um dos cargos oferecidos no concurso para o Tribunal Regional Federal da 4° Região.

Todo concurseiro conhece a importância de ler o edital do concurso para entender não só quais conteúdos serão exigidos nas avaliações, como também os critérios para aprovação. Porém, outra informação relevante, que às vezes passa despercebida, são as atribuições do cargo que pretende concorrer.

Os editais especificam detalhadamente as atividades para que o candidato possa avaliar se a função desejada se adequa ou não ao seu perfil. Pensando nisso, FOLHA DIRIGIDA listou as exigências para os cargos do concurso TRF4. Confira e descubra quais atividades são contempladas por cada uma das funções.

No concurso TRF4 2019 são oferecidas vagas para as carreiras de técnicos e analistas. Para técnicos, são oferecidas oportunidades nas áreas Administrativa, Segurança e Transporte e Tecnologia da Informação. 

⇒ Técnico Judiciário —área administrativa

Os profissionais dessa área têm como função oferecer o auxílio técnico e administrativo necessários para o funcionamento adequado do tribunal. A exigência para a carreira é o nível médio. Dentre as atribuições básicas estão:

  • Processamento de feitos;
  • Redação de minutas;
  • Levantamento de dados para elaboração de relatórios estatísticos, planos, programas, projetos e para instrução de processos;
  • Pesquisa de legislação, doutrina e jurisprudência;
  • Emissão de pareceres, relatórios técnicos, certidões, declarações e informações em processos;
  • Distribuição e controle de matérias de consumo e permanente;
  • Elaboração e conferência de cálculos diversos;
  • Digitação, revisão, reprodução, expedição e arquivamento de documentos e correspondências;
  • Prestação de informações gerais ao público; e
  • Manutenção e consulta a bancos de dados.

⇒ Técnico judiciário — especialidade em Segurança e Transporte

Os técnicos na especialidade de Segurança e Transporte trabalham pela segurança dos magistrados, servidores, visitantes, instalações e bens patrimoniais do órgão. Além disso, são eles que garantem a adequada condução dos veículos oficiais.

O cargo exige o nível médio e a Carteira Nacional de Habilitação categoria “D” ou “E”. Também estão entre as atribuições do cargo as seguintes atividades:

  • Controle de entrada e saída de pessoas e bens;
  • Realização de rondas para verificação das condições das instalações;
  • Direção defensiva de veículos oficiais
  • Registro de ocorrências que fogem à rotina e de incidentes ocorridos com veículos; e
  • Execução de atividades de prevenção e combate a incêndios.

⇒ Técnico judiciário — especialidade em Tecnologia da Informação

Esses profissionais oferecem suporte técnico aos usuários em diversas áreas da TI. Nesse caso, a exigência também é o ensino médio completo. Dentre as atividades desses servidores, constam:

  • Auxiliar no controle da qualidade dos sistemas desenvolvidos e serviços prestados, avaliando o código fonte gerados;
  • Produzir e atualizar a documentação de softwares, serviços e dispositivos;
  • Elaborar e realizar testes de softwares, serviços e dispositivos;
  • Acompanhar e avaliar sistemas implantados e serviços prestados;
  • Instalar, configurar e manter ativos de infraestrutura e rede, físicos e virtualizados;
  • Monitorar a utilização e o desempenho dos ativos de microinformática, infraestrutura e rede, identificando os problemas e promovendo as correções necessárias; 
  • Elaborar pareceres técnicos;
  • Auxiliar na elaboração de especificações técnicas de bens e serviços de TI.

A remuneração para técnicos do TRF4 é de R$8.501,45, já contando o valor da Gratificação de Atividade Judiciária e o auxílio-alimentação de R$910,08. Somente o salário para o cargo de técnico de segurança e transporte é um pouco maior que os demais, fica em R$9.608,52.

Já as vagas de analistas contemplam os cargos de analista judiciário área judiciária, Oficial de Justiça Avaliador Federal Sistemas de Tecnologia da Informação e Infraestrutura em Tecnologia da Informação. Veja quais são as atribuições de cada cargo: 

⇒ Analista judiciário — área Judiciária 

A função exige o nível superior em Direito e tem como objetivo oferecer suporte técnico e administrativo aos magistrados e órgãos julgadores. Além de outras atividades, como:

  • Compreende o processamento de feitos;
  • Elaboração de pareceres, certidões e relatórios estatísticos; 
  • Análise e pesquisa de legislação, doutrina e jurisprudência; e
  • Envolve a indexação de documentos e o atendimento às partes.

⇒ Analista judiciário —especialidade Oficial de Justiça Avaliador

Os interessados nesse cargo também devem ter formação em Direito. Basicamente, esses profissionais atuam no cumprimento de ordens judiciais. Também têm como atribuições a realização de diligências externas relacionadas com a prática de atos de comunicação processual e de execução.

⇒ Analista judiciário — especialidade em Sistemas de Tecnologia da Informação 

Os servidores que atuam nessa área são responsáveis por cuidar do processamento de informações e precisam ter formação específica na área para concorrer a essas vagas. O cargo engloba a seguintes atribuições:

  • Planejamento, desenvolvimento, otimização, documentação, implantação e sustentação dos sistemas informatizados de processamento de informações; 
  • Definição de estratégias e de novas metodologias a serem utilizadas para processamento, arquivamento e recuperação automática de informações;
  • Prospecção de soluções e novas tecnologias;
  • Elaboração de pareceres e especificações técnicas e o conjunto de artefatos necessários para contratação de bens e serviços de tecnologia da informação;
  • Fiscalização e gerenciamento de contratos e supervisão de atividades e projetos de soluções de Tecnologia da Informação.  

⇒ Analista judiciário — especialidade em Infraestrutura em Tecnologia da Informação

Esses profissionais, que também atuam na área de TI e necessitam de formação específica, trabalham com toda parte de infraestrutura. Suas atribuições são:

  • Planejamento, organização, documentação e execução das rotinas necessárias à administração e sustentação dos serviços de comunicação, armazenamento, banco de dados, tecnologias de rede, sistemas operacionais, tecnologias de colaboração e segurança da informação;
  • Prospecção de soluções e novas tecnologias; 
  • Elaboração de pareceres e especificações técnicas e o conjunto de artefatos necessários para contratação de bens e serviços de tecnologia da informação;
  • Fiscalização e gerenciamento de contratos e supervisão de atividades e projetos de soluções de Tecnologia da Informação.

Para analistas a remuneração oferecida é de R$13.345,38, exceto para a especialidade de Oficial de Justiça Avaliador Federal, que terão uma remuneração de R$16.719,66. Os valores também já contam com a Gratificação de Atividade Judiciária e o auxílio-alimentação de R$910,08.

A carga de trabalho dos servidores será de 40 horas por semana. Todos os servidores do TRF4, com jurisdição nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, serão inscritos no Plano de Benefícios do Judiciário da União (Funpresp-Jud), assim que iniciarem suas atividades.

• Como escolher o seu concurso público? Especialista responde!

• Concursos para cadastro de reserva valem a pena? Descubra!

Concurso TRF4 oferece vagas para cadastro de reservas para técnicos e analistas
(Foto: Pixabay)

Inscrições podem ser feitas até o dia 26 de junho

Lembrando que todas as vagas são para formação de cadastro de reserva. Os interessados terão até o dia 26 de junho para se candidatar, no site da Fundação Carlos Chagas (FCC), organizadora. A taxa de inscrição é de R$61 para os cargos de técnicos e de R$71 para analistas.

Os inscritos deverão realizar as provas objetivas do concurso no dia 4 de agosto. Também nesse dia serão aplicadas as provas discursivas, cuja tarefa será a elaboração de um Estudo de Caso para analistas e uma Redação para técnicos.

A prova objetiva terá 50 questões, distribuídas por itens de Português, Raciocínio Lógico-Matemático e Conhecimentos Específicos. O exame será aplicado nas cidades de Canoas, Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas, Porto Alegre, Santa Maria, Santo Ângelo e Uruguaiana, no Estado do Rio Grande do Sul.

Também haverá aplicação de provas nas cidades de Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Joinville e Lages, no Estado de Santa Catarina; e Cascavel, Curitiba, Guarapuava, Londrina e Umuarama, no Estado do Paraná.

Prepare-se para o concurso TRF4

Concurso TRF4 terá etapa de teste físico

Para os candidatos que concorrem ao cargo de técnico judiciário na área de Segurança e Transporte haverá uma etapa de teste físico. O exame será aplicado, no dia 3 de novembro, apenas para os aprovados nas provas objetiva e discursiva. Na ocasião serão exigidas as seguintes atividades: 

  1. Teste de flexo-extensão de cotovelos sobre o solo
  2. Teste abdominal em 1 minuto
  3. Teste de corrida de 12 minutos

A expectativa é que o TRF4 tenha um cadastro de reserva de 2.556 classificados, usando como referência a quantidade de provas discursivas a serem corrigidas. Para a prova física, serão convocados até 288 candidatos, sendo 96 em cada estado. Os testes serão realizados em Florianópolis, Porto Alegre e Curitiba.

O concurso TRF4 terá validade de dois anos, contados a partir da data de homologação do resultado final. O prazo ainda poderá ser prorrogado, uma vez, por igual período, a critério do tribunal.

Como planejar estudos para concurso? 




Comentários


NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações