TRF3 formará comissão para avaliar orçamento do novo concurso

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região formará comissão para o novo concurso. Cargos de técnico e analista estão confirmados.

*Matéria atualizada em 26/07/2019, às 10h12

Após ter sido autorizado e ter os cargos confirmados nos últimos dias, o próximo passo do concurso TRF3 será formar a comissão organizadora da seleção. O grupo avaliará as condições orçamentárias e dever agilizar os preparativos rumo à publicação do edital.

Feito isso, a próxima etapa será a contratação da empresa para organizar e realizar o concurso. A comissão será a responsável por definir a modalide e receber as propostas das interessadas, bem como avaliar a que mais se encaixa de acordo com os requisitos do projeto básico.

O projeto básico contará com todas as regras e será enviado para as interessadas. O documento terá detalhes sobre cargos, taxas, etapas de seleção, entre outros. A escolhida ficará responsável por receber as inscrições e aplicar as etapas do concurso.

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região, com sede em São Paulo e no Mato Grosso do Sul, não trabalha com uma data exata para oficializar a contratada, tampouco revela se tem alguma instituição mais cotada.

+ Concurso TRF 3 2019: presidente autoriza edital para área de apoio

Concurso TRF3 já tem cargos definidos

O concurso público do TRF3 já tem cargos e especialidades definidas. A informação foi confirmada oficialmente pela Assessoria de Comunicação Social do tribunal, que informou ainda a previsão de oferta de vagas.

Foi detalhado ainda para qual seção judiciária será ofertada cada oportunidade, confira:

  • Técnico judiciário (área administrativa) - TRF3, seções de judiciárias de São Paulo e do Mato Grosso do Sul;
  • Técnico judiciário (apoio especializado - área informática) - TRF3;
  • Analista judiciário (área judiciária) - TRF3 e seção de São Paulo; e
  • Analista judiciário (apoio especializado - área informática) - TRF3.

A previsão do órgão é a de oferecer uma vaga imediata para cada carreira. Isso porque as autorizações para provimentos têm sido reduzidas. Entretanto, há, ainda, a previsão de preencher mais vagas através do cadastro de reserva que será formado.

O cadastro deverá ser composto por todos os candidatos que tiverem as provas discursivas corrigidas. Estes, poderão ser chamados durante todo o prazo de validade, que deverá ser de dois anos prorrogável por mais dois.

O TRF3 já havia confirmado que o concurso seria destinado ao preenchimento de vagas de técnico judiciário (nível médio), técnico judiciário da área de informática e analista. Com o novo anúncio, a novidade é a confirmação das especialidades do analista e do técnico da área administrativa.

TRF3 prepara concurso para a área de apoio (Foto: WesleyMcallister / AscomAGU)
TRF3 prepara concurso para a área de apoio
(Foto: Wesley Mcallister / AscomAGU)

Para o analista, a exigência será ter curso de nível superior, enquanto que para o técnico judiciário, áreas administrativa e de informática, a cobrança será o nível médio - para técnico de informática, esta foi a exigência no último concurso. Já o analista da área judiciária exigirá superior em Direito e o de Informática, na respectiva área.

Um dos atrativos desse próximo concurso serão as ótimas remunerações. Conforme dados obtidos junto ao Portal da Transparência do órgão, em início de carreira, o servidor poderá receber até R$13 mil, fazendo jus ainda a benefícios, como o auxílio-alimentação no valor de R$910,08. Confira os cargos e valores a seguir.

CARGO REQUISITOS REMUNERAÇÃO
Técnico administrativo Nivel médio R$8.501,45
Técnico de informática Nível médio/técnico R$8.501,45
Analista de direito Nível superior em Direito R$13.365,38
Analista de informática Nível superior em Informática R$13.365,38

Último concurso já perdeu a validade

Quem deseja ser aprovado no concurso do TRF3 deverá iniciar a preparação o quanto antes. Antecipar os estudos é uma forma de largar na frente na luta por uma vaga de técnico ou analista. E, para isso, é possível tirar como base o edital anterior.

Em 2013, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região realizou concurso que já perdeu a validade. Sem cadastro de reserva válido, o tribunal não pode mais convocar. Na época, a organizadora foi a Fundação Carlos Chagas - FCC.

Foram oferecidas 260 vagas, sendo 125 destinadas ao cargo de analista judiciário e 135 para técnico judiciário, com exigência de nível superior e médio, respectivamente. Em São Paulo, teve vagas na capital e no interior, além de outras várias cidades, enquanto que no Mato Grosso do Sul apenas Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Naviraí, Ponta Porã e Três Lagoas. 

"Temos uma carência grande de servidores, sem possibilidade de novas nomeações”, disse a presidente do tribunal, Therezinha Cazerta.

Confira o material de preparação da FOLHA DIRIGIDA e comece já os estudos para o concurso!

E-books 
Provas para download
Artigos sobre concursos
Editais verticalizadosª Regi
Vídeos com dicas 

ASSINE

Para ter acesso a este conteúdo, notícias e preparativos

ASSINAR


Comentários