Concurso TRF3: órgão divulga especialidades de técnico e analista

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região confirmou as especialidades de técnico e analista que deverão ser oferecidas no próximo concurso.

O concurso TRF3 2019 da área de apoio já tem as especialidades de técnico e analista confirmadas. O Tribunal Regional Federal da 3ª Região confirmou as áreas e a previsão de vagas imediatas e em cadastro de reserva na seleção.

De acordo com a Assessoria de Comunicação do TRF3, as chances serão nos níveis médio, médio/técnico e superior. O tribunal ainda detalhou para qual seção judiciária será ofertada cada oportunidade.

  • Técnico judiciário (área administrativa) - TRF3, seções de judiciárias de São Paulo e do Mato Grosso do Sul;
  • Técnico judiciário (apoio especializado - área informática) - TRF3;
  • Analista judiciário (área judiciária) - TRF3 e seção de São Paulo; e
  • Analista judiciário (apoio especializado - área informática) - TRF3.

O tribunal informou ainda que a previsão é oferecer uma vaga imediata para cada cargo, tendo em vista que as autorizações para provimentos têm sido reduzidas. No entanto, mais vagas poderão ser preenchidas no decorrer da validade, que deverá ser de dois anos, podendo chegar a quatro. Isso indica a presença de um cadastro de reserva.

Na última semana, o órgão já tinha confirmado que o concurso seria destinado ao preenchimento de vagas de técnico judiciário (nível médio), técnico judiciário da área de informática e analista. A novidade é a confirmação das especialidades do analista e do técnico da área administrativa.

O cargo de analista tem como exigência o nível superior, enquanto que o técnico judiciário apenas o nível médio. Para o técnico de informática, será necessário o curso técnico na respectiva área. O analista da área judiciária, por sua vez, exige o superior em Direito e o de Informática, na respectiva área.

O TRF3 proporciona ótimas remunerações. Segundo dados obtidos junto ao Portal da Transparência do órgão, em início de carreira, é possível receber até R$13 mil.  Ambos os cargos ainda fazem jus a outros benefícios, como o auxílio-alimentação no valor de R$910,08. Confira os cargos e valores a seguir.

CARGO REQUISITOS REMUNERAÇÃO
Técnico administrativo Nivel médio R$8.501,45
Técnico de informática Nível médio/técnico R$8.501,45
Analista de direito Nível superior em Direito R$13.365,38
Analista de informática Nível superior em Informática R$13.365,38


Embora o TRF3 tenha confirmado uma vaga para cada cargo, recentemente o tribunal foi autorizado a preencher 69 vagas oriundas de aposentadorias. Tais provimentos poderiam acontecer por meio de concurso, que foi autorizado oficialmente na última quinta-feira, 18.  



'Carência grande de servidores', avalia presidente

Responsável pela autorização formal do concurso, que deu o sinal verde para o início dos preparativos, a presidente do TRF3, desembargadora Therezinha Cazerta, reconhece a grande carência de servidores e concorda com um novo concurso o quanto antes. 

"Temos uma carência grande de servidores, sem possibilidade de novas nomeações”, disse a presidente do tribunal.

No final de 2018, a presidente esteve reunida com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, e comentou sobre a reestruturação da primeira instância. Na ocasião, ela reforçou a necessidade de contratações.

No início de 2019, voltou a reconhecer a importância do concurso após reunião com o Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal - Sintrajud. 

+ Estuda e trabalha? Saiba como superar esse desafio

TRF3 confirma especialidades e edital se aproxima (Foto: Divulgação)
TRF3 confirma especialidades e edital se aproxima (Foto: Divulgação)

Último concurso foi em 2013 e perdeu a validade

Outro fator que reforça a urgência por um novo concurso o quanto antes é a ausência de um cadastro de reserva válido. O último concurso TRF3 foi realizado em 2013 e não tem mais cadastro de reserva que possibilita a chamada de remanescentes.

A seleção foi organizada pela Fundação Carlos Chagas, a organizadora, que publicou o edita com 260 vagas, das quais 125 eram destinadas ao cargo de analista judiciário e 135 para técnico judiciário, com exigência de nível superior e médio, respectivamente.

A FCC também foi a responsável em receber as inscrições e aplicar as provas. Em São Paulo, as chances foram para a capital e o interior, em várias cidades. Já no Mato Grosso do Sul foram contempladas apenas as cidades de Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Naviraí, Ponta Porã e Três Lagoas. 

Confira o material de preparação da FOLHA DIRIGIDA e comece já os estudos para o concurso!

E-books 
Provas para download
Artigos sobre concursos
Editais verticalizados
Vídeos com dicas 



Comentários