Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Candidatos consideram prova do técnico do TRE-SP bem elaborada

As questões da prova do concurso para técnico judiciário na área administrativa do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) estavam bem elaboradas na opinião dos candidatos. Segundo eles, os enunciados estavam objetivos, de fácil compreensão. Os candidatos divergem sobre as disciplinas que apresentaram mais dificuldade.

As questões da prova do concurso para técnico judiciário na área administrativa do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) estavam bem elaboradas na opinião dos candidatos. Segundo eles, os enunciados estavam objetivos, de fácil compreensão. Os candidatos divergem sobre as disciplinas que apresentaram mais dificuldade.

"Achei a prova fácil. A parte de Conhecimentos Específicos exigia um pouco mais de estudos, mas as questões de Língua Portuguesa foram bem fáceis. Para mim, a parte mais difícil foi a de Arquivologia. Mas, felizmente, tinha poucas questões. Acho que a parte mais fácil, para mim, foi a de Língua Portuguesa. Era somente ler e prestar atenção. As provas estavam bem elaboradas, sim. Estudei seis meses para a prova"

Carla Alves de Lima Marti, 32, tradutora

"Acho que o nível de dificuldade da prova foi bastante aceitável. Eu diria que foi razoável. Estava dentro daquilo que eu esperava. A parte mais difícil, para mim, foi a que cobrava conhecimentos do próprio TRE. Já a mais fácil, foi a de Língua Portuguesa. os enunciados estavam bem elaboradas, exceto as questões de Arquivologia, que pareciam um pouco confusas. Estudei durante dois meses e estou bem confiante."

Charles Biano Cardoso, 31, analista logístico

"A prova não estava difícil, mas estava bem específica. Achei a prova bem detalhista. Não estava muito fácil, também. A parte mais difícil para mim foi a de Legislação. Já a mais tranquila foi Informática. Em termos de elaboração, as provas estavam bem claras. Era possível compreender com tranquilidade o que estava sendo cobrado, principalmente em Língua Portuguesa. Estudei durante dois meses, mas não sei se fui bem por causa de Direito."

Cauê Hideo Bandeira Machado, 22, estudante

"Achei que a prova contou com muitas questões de Língua Portuguesa, com muitos textos. Informática estava fácil. No geral , achei a prova difícil. A parte mais complicada para mim foi Língua Portuguesa e a mais fácil, Informática. Estudei para este exame durante aproximadamente um mês. Os enunciados das questões estavam simples. Trabalhei durante a noite e acho que isto atrapalhou um pouco meu desempenho."

Bruno Leme da Silva, 25, auxiliar de farmácia

"Eu achei que a prova tinha um nível bem elevado. Não estava fácil não. Mas acho que quem se preparou um pouco mais tem boas chances. A parte que senti mais dificuldade foi a de Conhecimentos Específicos. Para mim, a mais fácil foi a de Informática. As questões estavam mais ou menos simples. Tive um pouco de dificuldade, mas após duas ou três leituras, conseguia entender. Estudei para este exame durante três meses."

Carlos Alberto de Abreu Batista, 33, professor de Educação Física

"Achei que a prova foi mediana. Pensei que seria mais difícil. Acredito que se tivesse estudado um pouco mais, teria mais facilidade. Achei que Direito Constitucional foi a parte mais díficil. Língua Portuguesa foi a disciplina mais fácil, na minha opinião. Os enunciados , em geral, estavam bem elaborados. Apenas uma questão senti dificuldade para compreender, pois achei que as alternativas estavam confusas, sem uma resposta correta."

Camila Pacheco Martins, 28, auxiliar administrativo

 


Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações