Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

TJ-MG - Candidato não deve esperar o edital -

O edital do concurso para o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJ-MG) já está em fase final de elaboração pela organizadora Consulplan. Sendo assim, os concurseiros que almejam bons salários e estabilidade empregatícia devem seguir com seus estudos. Serão oferecidas vagas imediatas e cadastro, em todo o estado, para oficial de apoio judicial (Justiça Comum e Juizado Especial) e oficial judiciário (Comissário da Infância e da Juventude). A remuneração inicial para ambos é R$3.238,54, já com o auxílio-alimentação de R$799.

O edital do concurso para o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJ-MG) já está em fase final de elaboração pela organizadora Consulplan. Sendo assim, os concurseiros que almejam bons salários e estabilidade empregatícia devem seguir com seus estudos. Serão oferecidas vagas imediatas e cadastro, em todo o estado, para oficial de apoio judicial (Justiça Comum e Juizado Especial) e oficial judiciário (Comissário da Infância e da Juventude). A remuneração inicial para ambos é R$3.238,54, já com o auxílio-alimentação de R$799.

Especialistas afirmam que quem começar os estudos imediatamente sairá na frente, pois esperar o edital é um erro estratégico na preparação. O professor de Informática, Paulo França, acredita que se organizar por meio de um curso preparatório faz toda diferença. Além, claro, de muito estudo em casa e realizar provas antigas da atual organizadora. "Não acredito que ter o último edital como base fundamental seja o indicado, pois a última prova foi elabora da pela organizadora Makiyama, e suas características são bem distintas quando comparada a Consulplan", observa.

Paulo França, que leciona no Curso Atuallys, recomenda aos candidatos iniciantes a estudarem duas horas por dia, entretanto, quando o edital for publicado será necessário criar horários alternativos e ampliar esta carga horária em pelo menos mais uma hora. Em Informática, Paulo sugere aos futuros candidatos a se aterem em Redes (internet e intranet) e planilhas eletrônicas como o LibreOffice Calc, pois de acordo com ele, a banca utiliza estes dois tópicos com muita frequência.

As avaliações serão feitas por meio de prova objetiva, com 20 questões de Língua Portuguesa, 15 de noções de Informática, 20 de noções de Direito e 25 de Atos do Ofício. A segunda fase será uma prova prática de digitação.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações