Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

A cada semana um novo teste especial

O concurso para a área de apoio do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJ-MG) sairá no segundo semestre deste ano. A organizadora Consuplan e o TJ-MG já iniciaram os preparativos para publicar o edital, que vai contemplar vagas imediatas e cadastro para os cargos de oficial de apoio judicial (Justiça Comum e Juizado Especial) e oficial judiciário (Comissário da Infância e da Juventude), ambos com exigência de nível médio completo (antigo 2º grau).

O concurso para a área de apoio do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJ-MG) sairá no segundo semestre deste ano. A organizadora Consuplan e o TJ-MG já iniciaram os preparativos para publicar o edital, que vai contemplar vagas imediatas e cadastro para os cargos de oficial de apoio judicial (Justiça Comum e Juizado Especial) e oficial judiciário (Comissário da Infância e da Juventude), ambos com exigência de nível médio completo (antigo 2º grau).

Enquanto o concurso é aguardado, os futuros candidatos devem iniciar ous estudos e avaliar seus conhecimentos por meio de exercícios. A cada semana, FOLHA DIRIGIDA traz um teste especial elaborado pelos grandes nomes da área de concurso em Minas Gerais. No arquivo a seguir, os futuros candidatos podem resolver teste com questões comentadas de Língua Portuguesa, elaboradas pelo professor Hermano Henrique, que leciona no curso Pleno, de Belo Horizonte.

O TJ-MG informará nas próximas semanas pontos importantes do certame, como o número de vagas para preenchimento imediato. No último concurso, em 2009, a seleção criou um cadastro de reserva que contratou mais de 4 mil novos servidores durante a validade (terminada em dezembro de 2014), sendo 4.237 para oficial de apoio judicial. Em função do grande déficit de pessoal, o TJ-MG deverá convocar muitos aprovados também para o próximo concurso.

O termo de referência divulgado pelo órgão estipula alguns detalhes, como a remuneração inicial das carreiras, de R$3.238,54, já incluído o valor de R$799 referente ao auxílio-alimentação. Ainda segundo o referencial, será cobrada taxa de inscrição de R$60 para as duas funções. Já sobre as etapas, o termo estipula que as provas objetivas serão aplicadas nos municípios de Belo Horizonte, Diamantina, Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Uberlândia e Varginha. Sobre o exame, segundo o documento, os candidatos deverão responder a 20 questões de Língua Portuguesa, 15 de Noções de Informática, 20 de Noções de Direito e 25 de Atos de Ofício. Os aprovados para o cargo de oficial de apoio judicial ainda passarão por uma segunda fase, de de prova prática de digitação.

Provas de nível intermediário
Não é fácil conquistar um espaço na tão sonhada área pública e, por isso não se deve poupar esforços com os estudos. Sendo assim, o Professor de Lingua Portuguesa do curso preparatório Pleno, Hermano Henrique de Oliveira, preparou algumas dicas de estudo e questões com gabarito comentado.

Tendo como organizadora a Consulplan o professor acredita que as provas serão de nível intermediário a difícil, com questões bem definidas e claras. "O candidato que ficar atento aos enunciados não terá dificuldade em compreender o que foi solicitado", assegura Hermano. Os textos não costumam ser longos e as questões textuais mesclam entre compreensão e interpretação. Em relação ao conteúdo programático, o professor ressalta que os candidatos devem ter atenção ao aspecto gramatical. A organizadora costuma cobrar pronomes, conjunções (ligados à coesão textual), pontuação, relações semânticas, ortografia, verbos e concordância.

 Segundo o docente, os conteúdos de Lingua Portuguesa normalmente não são muito alterados, relações de sentido estabelecido pelas conjunções estão sempre presente em diversas provas da Consuplan. É claro que cada prova tem uma abordagem diferente do mesmo assunto, portanto, o candidato deve ficar atento em relação aos empregos de pronomes, conjunções, advérbios e figuras de linguagem.

"A resolução de questões cobradas em provas anteriores é sempre uma boa pedida. O conteúdo não fica defasado" ressalta Hermano. Ao resolver as questões de provas anteriores, o candidato nota o grau de dificuldade e a linguagem que a banca utiliza.

Tratando-se de concursos públicos, é necessário elaborar um cronograma de estudos. Toda matéria é importante. Logo um plano de estudos é fundamental. “O cursinho é uma extensão da casa de vocês. O estudo começa lá. Tragam suas dúvidas para sanarmos aqui”, destaca. O professor deixa um recado: "Conquistar um espaço no setor público não é fácil, mas é preciso que o candidato tenha determinação, foco e tranquilidade. Então, não se 'afobe', estude, mas dedique um tempo ao lazer e à família. Há, ainda, muito tempo para a prova, portanto organize seu dia. Estude aquilo que você tem mais dificuldade. Bons estudos e boa sorte!"

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações