TJ-AM forma nova comissão para acompanhar concurso com 160 vagas

O TJ-AM designou nova comissão responsável por acompanhar o concurso com 160 vagas para os níveis médio e superior.

O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), desembargador Yedo Simões, designou a nova comissão para acompanhar o concurso com 160 vagas de assistentes e analistas judiciários. Os integrantes do grupo foram publicados no Diário da Justiça Eletrônico de segunda-feira, 24.

Com isso, a comissão temporária de atos preparatórios para o concurso, formada em julho de 2018, foi desfeita. O novo grupo é presidido por Yedo Simões, tem dois coordenadores e cinco membros servidores.

A comissão está autorizada a adotar todas as medidas administrativas necessárias para realização do concurso TJ-AM. A seleção será para preencher cargos vagos supridos, atualmente, por contratações temporárias.

Por isso, não haverá aumento da despesa pública permanente. Os preparativos para o edital do concurso estão em andamento. O Cebraspe, por exemplo, já foi contratado como banca organizadora. Essa foi uma ação realizada pela comissão temporária de atos preparatórios.

Presidente do TJ-AM (ao centro) forma nova comissão para 
acompanhar concurso de servidores (Foto: Divulgação)

 

O extrato do contrato entre a banca e o TJ-AM foi publicado no dia 31 de maio no Diário da Justiça Eletrônico. O prazo de vigência será de dois anos ou até a homologação do resultado final do concurso. A estimativa, de acordo com o documento, é que a seleção atraia 50 mil candidatos.

O presidente do tribunal adiantou que o edital deve ser divulgado no início do segundo semestre, ou seja, a partir de julho. Já as provas podem ser aplicadas no final do ano, em novembro. No interior do estado, todas as vagas serão para assistente, de nível médio.

O valor da taxa de inscrição para o cargo de assistente judiciário (nível médio) deverá ser fixado em R$90 e em R$150 para o cargo de analista (nível superior). 

• Concurso TJ-AM: edital com 160 vagas deve sair a partir de julho

Oferta do concurso TJ-AM será para capital e interior

O TJ-AM já confirmou que a oferta do concurso será de 160 vagas. Desse total, 140 oportunidades serão para assistentes judiciários, cargo que exige ensino médio completo. As demais 20 chances serão para analistas judiciários, carreira que tem como pré-requisito o ensino superior.

As remunerações iniciais são de R$4.588,34 e R$8.936,96, respectivamente. Os servidores também recebem auxílio-alimentação de R$1.669,38 e auxílio-saúde de R$390,85. As vagas serão regionalizadas, para as comarcas da capital, Manaus, e do interior do Estado. 

Ao todo, sete serão para a Sub-Região do Alto Solimões (abrangendo as comarcas de Atalaia do Norte, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Içá, Tabatinga e Amaturá).

Além de seis vagas para a Sub-Região do Baixo Amazonas (com as comarcas de Parintins, Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Nhamundá, São Sebastião do Uatumã e Urucará). Essas duas regiões eram as únicas que não foram contempladas pelo último concurso regionalizado do tribunal.

Confira a distribuição das vagas na tabela abaixo:

Cargo Nº de vagas Especialidades
Assistente judiciário (nível médio) Capital - 127 vagas Sem especialidade (100 vagas)
Programador (10 vagas)
Suporte ao Usuário de Informática (15 vagas)
Técnico de Segurança do Trabalho (2 vagas)
Interior - 13 vagas Assistente judiciário geral (11 vagas)
Suporte ao Usuário de Informática (2 vagas)
Analista judiciário (nível superior) Capital - 20 vagas Analista de sistemas (5 vagas)
Arquivologia (1 vaga)
Biblioteconomia (1 vaga)
Contabilidade (3 vaga)
Direito (2 vagas)
Engenharia Civil (2 vagas)
Estatística (1 vaga)
Médico do Trabalho (1 vaga)
Psicologia (2 vagas)
Serviço Social (2 vagas)

 

De acordo com levantamento de maio, o tribunal tem 371 cargos vagos, sendo 201 assistentes judiciários (nível médio) e 170 analistas judiciários (nível superior). Isso representa que o cadastro de reserva do novo concurso TJ-AM poderá ser bem utilizado.

O órgão deve convocar mais aprovados durante a validade do concurso para suprir as carências. Seja por aposentadorias, mortes ou exonerações.

Concurso TJ-AM terá provas objetivas e de títulos

Em entrevista coletiva, o presidente do TJ-AM também confirmou que todos os candidatos serão avaliados por provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório. Apenas os concorrentes aos cargos de analista judiciário também serão submetidos a avaliação de títulos.

O exame objetivo para os cargos de assistente e analista, tanto para provimento na capital quanto no interior, deverão ser aplicadas no mesmo dia (em um domingo), porém em turnos diversos. A data ainda será definida.

• Provas do concurso TJ-AM devem ocorrer até novembro, diz presidente

Com isso, uma mesma pessoa poderá se inscrever a cargos dos níveis médio e superior. As provas objetivas serão compostas por itens
de ‘certo’ ou ‘errado’, como é característica da banca Cebraspe (antigo Cespe/UnB).

Os candidatos às vagas para a Sub-Região do Alto Solimões deverão realizar as provas exclusivamente no município de Tabatinga. Já os inscritos para a Sub-Região do Baixo Amazonas deverão realizar os exames exclusivamente em Parintins. 

Confira como estudar para concursos de tribunais em 2019: 



Comentários