Folha Dirigida Entrar Assine

TCE aponta supostas irregularidades no edital do concurso TJ-AM

Em representação expedida na quinta-feira, 11, o TCE-AM aponta supostas irregularidades no edital do concurso para servidores do TJ-AM.

A presidência do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) expediu na quinta-feira, 11, uma representação contra possíveis irregularidades no edital do concurso para o Tribunal de Justiça do Estado (TJ-AM). As ausências de reserva de vagas para pessoas com deficiência, bibliografia e pontuação da prova objetiva foram apontadas.

De acordo com a representação, há uma discordância entre o quantitativo mínimo de vagas para pessoas com deficiência. Além disso, o órgão regulador aponta que o edital, publicado no dia 3 de julho, não tem a inclusão da bibliografia usada para formulação das provas.

Segundo o TCE-AM, também não constam o número de questões de cada disciplina e seus respectivos valores individuais e pesos. Assim como a previsão específica de vagas para pessoas com Síndrome de Down.

A representação pede, cautelarmente, a suspensão do edital do concurso TJ-AM até o saneamento das supostas impropriedades. Tais questões foram originadas por uma manifestação na ouvidoria e admitidas pelo presidente do Tribunal de Contas em exercício, Mario Manoel Coelho de Mello.

O TJ-AM terá o prazo de cinco dias úteis para apresentar as justificativas e documentos acerca das supostas irregularidades.

TJ-AM abre concurso com 160 vagas para níveis médio e 
superior (Foto: Divulgação/TJAM)

 

A reportagem da FOLHA DIRIGIDA entrou em contato nesta sexta-feira, 12, com a Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça para saber quais medidas serão tomadas. O órgão, até o momento, não se manifestou.

O concurso TJ-AM tem a oferta de 160 vagas imediatas para assistentes e analistas judiciários, para as comarcas da capital, Manaus, e do interior do estado. O tribunal ainda aprovará 3 mil candidatos em cadastro de reserva.

+ Concurso TJ-AM terá até 3 mil aprovados nos níveis médio e superior

Concurso TJ-AM: inscrições a partir de 23 de julho

A princípio, as inscrições do concurso para o TJ-AM terão início às 10h de 23 de julho. Os cadastros poderão ser feitos até 21 de agosto, pelo site do Cebraspe, banca organizadora. As taxas são de R$90 para assistentes e R$150 para analistas.  

Das oportunidades do concurso, 140 são para assistente judiciário. Para se candidatar é necessário ter o ensino médio completo. A remuneração inicial é de R$4.558,34.

As demais 20 oportunidades são para carreira de analista judiciário, que exige nível superior na área de interesse. Os vencimentos em início de carreira são de R$8.936,96. Os servidores também recebem auxílio-alimentação de R$1.761,20 e auxílio-saúde de R$412,34. 

Confira a distribuição das vagas na tabela abaixo:

Cargo Nº de vagas Especialidades
Assistente judiciário (nível médio) Capital - 127 vagas Sem especialidade (100 vagas)
Programador (10 vagas)
Suporte ao Usuário de Informática (15 vagas)
Técnico de Segurança do Trabalho (2 vagas)
Interior - 13 vagas Assistente judiciário geral (11 vagas)
Suporte ao Usuário de Informática (2 vagas)
Analista judiciário (nível superior) Capital - 20 vagas Analista de sistemas (4 vagas)
Arquivologia (1 vaga)
Biblioteconomia (1 vaga)
Contabilidade (2 vaga)
Direito (2 vagas)
Engenharia Civil (2 vagas)
Estatística (1 vaga)
Médico do Trabalho (1 vaga)
Psicologia (2 vagas)
Oficial de Justiça Avaliador (2 vagas)
Serviço Social (2 vagas)

Provas do concurso TJ-AM serão em outubro

Os concorrentes ao concurso TJ-AM serão avaliados por provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório. A aplicação será no dia 13 de outubro. 

Na parte da manhã, será a vez dos inscritos para nível superior. Já no turno da tarde, de nível médio. 

Os candidatos às vagas para a Sub-Região do Alto Solimões realizarão os exames no município de Tabatinga. Já os inscritos para a Sub-Região do Baixo Amazonas, exclusivamente em Parintins. 

Para assistente judiciário, por exemplo, serão cobradas 100 questões, sendo 40 de Conhecimentos Básicos e 60 de Conhecimentos Específicos.

Já para analista judiciário serão 120 questões, das quais 40 de Conhecimentos Básicos e 80 de Conhecimentos Específicos.

Somente os classificados aos cargos de analista judiciário também serão submetidos a avaliação de títulos, de caráter apenas classificatório.



Comentários