Provas do concurso TJ-AM devem ocorrer até novembro, diz presidente

De acordo com o presidente do TJ-AM, as provas do novo concurso devem ser aplicadas até o mês de novembro.

As provas do concurso para o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) devem ocorrer até novembro. A previsão foi passada pelo próprio presidente do órgão, desembargador Yedo Simões, nesta quinta-feira, 23, durante a posse de aprovados no concurso da magistratura.

De acordo com o presidente, os preparativos do concurso TJ-AM estão na reta final. A questão da contratação da banca organizadora, por exemplo, já foi resolvida. O nome da instituição escolhida deve ser anunciado em breve.

“O concurso está em fase final de contratação. Surgiram alguns entraves na questão orçamentária, para se enquadrar nas normas do TCU (Tribunal de Contas da União). Agora, já concluímos todas as normas e penso que até novembro iniciaremos as provas do concurso público”, disse Simões em entrevista ao jornal Imediato.

Por mais que o nome da banca ainda não tenha sido revelado, o Cebraspe (antigo Cespe/UnB) é um forte candidato para ficar à frente do concurso. Isso porque, recentemente, uma comissão viajou à Brasília para uma reunião com a banca.

Essa instituição é conhecida por organizar concursos de abrangência nacional, incluindo os de tribunais. A solicitação para as passagens aéreas ocorreu entre março e abril. O tribunal, contudo, não informou se outras instituições também estavam na disputa para organizar o concurso para área de apoio do TJ-AM.

Desde o início de sua gestão, o presidente do TJ-AM, desembargador
Yedo Simões, anuncia novo concurso (Foto: Arquivo TJAM)

 

De acordo com o juiz Alexandre Novaes, membro da comissão de atos preparatórios do concurso, o edital pode sair ainda no primeiro semestre. Os aprovados, segundo ele, deverão começar a atuar em 2020.

• Concurso TJ-AM: presidente confirma edital
• Concurso TJ-AM: comissão organizadora se reúne com Cebraspe

Concurso TJ-AM será para níveis médio e superior

Alexandre Novaes ainda confirmou, em entrevista ao jornal Em Tempo, que o concurso terá vagas para dois cargos: assistente judiciário (nível médio) e analista judiciário (nível superior). As remunerações iniciais são de R$4.588,34 e R$8.936,96, respectivamente.

Os servidores ainda recebem auxílio-alimentação de R$1.669,38 e auxílio-saúde de R$390,85. A declaração do juiz desmente os rumores de que o cargo de auxiliar judiciário (nível fundamental) também estaria no concurso.

Participe do grupo de carreiras judiciárias no Telegram!

O magistrado adiantou ainda que o maior número de vagas será para nível médio, sobretudo para a capital Manaus.

"O maior número de vagas é para o nível médio. Há uma demanda grande no primeiro grau nas varas e juizados, que é realmente onde há uma carência maior, porque é direcionado um grande número de processos”, disse o juiz no dia 13 de março.

Tribunal do Amazonas acumula 368 cargos vagos

Segundo levantamento publicado em abril, o TJ-AM tem 368 cargos vagos que podem ser preenchidos por aprovados no próximo concurso. Faltam 167 analistas (nível superior) e 201 assistentes judiciários (nível médio).

Tal quantitativo ainda pode crescer em caso de aposentadorias, mortes, exonerações ou desligamento dos atuais servidores.

• Concurso TJ-AM terá edital até junho para assistente e analista

Em 2018, o presidente do órgão, Yedo Simões explicou que o ideal seriam mais de 400 vagas.

O TJ-AM, no entanto, está em processo de análise do impacto dos novos servidores nas contas públicas.

“Nossos funcionários têm um salário alto em relação ao restante do país, em função do nosso plano de cargos e salários, e estamos tentando contornar isso. O ideal seriam 400 vagas. O problema é que o tribunal não comporta essas vagas com os salários que temos hoje”, justificou.

A intenção, segundo o presidente do tribunal, é que as nomeações de aprovados sejam imediatas. O concurso para área de apoio é prometido por Yedo Simões desde o início de sua gestão, em julho de 2018.

Saiba como o Cebraspe exige Direito Constitucional em concursos de tribunais: 

ASSINE

Para ter acesso a este conteúdo, notícias e preparativos

ASSINAR


Comentários