Concurso TJ-AL para juiz: banca confirma suspensão e adia provas

A Fundação Carlos Chagas confirmou a suspensão do concurso TJ-AL para juiz substituto. A convocação para as próximas fases foi suspensa.

A Fundação Carlos Chagas - a FCC, organizadora, confirmou a suspensão do concurso TJ-AL. O Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas visa preencher vagas para o cargo de juiz substituto.

A nota de esclarecimento foi publicada no site da banca e suspende a aplicação das provas de segunda etapa, que já tinham datas confirmadas.

"A Fundação Carlos Chagas, em cumprimento à medida liminar deferida pelo Conselho Nacional de Justiça, referente à aplicação da Prova Objetiva Seletiva do Concurso Público do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas para provimento de cargos de Juiz Substituto, suspende a Aplicação das Provas da Segunda Etapa do certame, até decisão ulterior", diz o comunicado.

O edital de convocação para a segunda etapa do concurso TJ-AL já havia sido divulgado e previa provas em três datas distintas. A primeira, aconteceria no último domingo, 12, pela manhã, sendo:

Prova Data Período
Discursiva 12 de janeiro Manhã
Sentença Cível 18 de janeiro Tarde
Sentença Criminal 19 de janeiro Manhã


Todas as provas teriam duração de cinco horas. Quando pela manhã, os portões seriam abertos às 8h e fechado às 8h30, enquanto que à tarde a abertura seria às 13h30 e o fechamento às 14h.

O local de prova também já estava definido e os exames seriam realizados na Faculdade de Tecnologia de Alagoas - FAT (Avenida Muniz Falcão, 1200, Bloco A, Térreo/1º Andar, Barro Duro, Maceió/).

(Foto: Divulgação)
TJ-AL tem concurso para juiz substituto suspenso
(Foto: Divulgação)

Concurso TJ-AL: candidatos apontaram irregularidades na aplicação

As provas objetivas foram aplicadas no dia 6 de outubro, com os gabaritos preliminares sendo divulgados alguns dias após. No entanto, algumas irregularidades foram registradas e por candidatos, sobretudo no Centro Universitário Tiradentes - Unit.

A reportagem de FOLHA DIRIGIDA chegou a conversar, na época, com alguns candidatos que se sentiram prejudicados e representaram junto ao Conselho Nacional de Justiça - o CNJ as suas alegações e justificativas. O grupo pedia a impugnação da aplicação das provas.

Os candidatos informaram que, naquele dia, mesmo com detectores de metais muitos permaneciam dentro de sala com seus celulares. Tempo após todos estarem em suas respectivas salas, uma coordenadora chega ao local e comunica sobre o ocorrido com um dos malotes.

O que aconteceu? Uma pessoa que carregava um dos malotes tropeçou, derrubou o pacote e o mesmo acabou violado. A organização tentou explicar aos candidatos que o rasgo não seria suficiente para impedir a aplicação e que tudo seria posto em ata.

"Ela frisou  que o espaço do rasgo nao seria suficiente para passar uma prova. Todos questionaram o tamanho do dano em razão de uma queda porque esse tipo de envelope é resistente e normalmente quando os fiscais vão abrir fazem bastante força; abrem com os dentes; ou usam material cortante", disse o candidato 1.

"Nessa hora (quando ela mostrou) algumas pessoas até riram e perguntaram como assim abriu, porque aquele tipo de pacote é dificil de abrir, muitos até abrem com chaves. E ela respondeu que era possível, sim, porque tem ar dentro", disse o candidato 2.

Além disso, outras irregularidades fizeram parte da aplicação desse concurso. Fiscais permitiram o folheamento das páginas antes do início, além de coordenadores com aparelhos telefônicos no momento da aplicação, estando ainda ligados e com o modo tocar ativado.

O edital do concurso TJ-AL foi publicado em julho e visa preencher 20 vagas mais cadastro de reserva para o cargo de juiz substituto, cuja remuneração inicial da carreira é de R$31,9 mil, composto pelo subsídio de R$30.404,42 mais o auxílio alimentação de R$1.520,22.

Comentários