Comissões iniciam preparativos do concurso TCM-SP com 102 vagas

As comissões organizadoras do concurso TCM-SP estão iniciando os trabalhos para os editais com 102 vagas para os níveis médio e superior.

Após a autorização para abertura de concurso com 102 vagas nos níveis médio e superior, o Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCM-SP) já trabalha nos novos editais. As comissões organizadoras, designadas no dia 15 de junho, iniciaram os trabalhos de suas competências.

A informação foi passada pela Assessoria de Imprensa do tribunal à FOLHA DIRIGIDA na quinta-feira, 27. De acordo com o setor, ainda não há previsão para que essas atividades do concurso TCM-SP sejam concluídas.  

“As comissões acabaram de ser formadas e estão iniciando os trabalhos que são de sua competência, sem previsão de prazos para a conclusão das atividades”, consta em nota enviada à reportagem.

O órgão formou duas comissões: uma para ficar à frente dos trâmites do concurso de auxiliar de fiscalização (cargo de nível médio) e outra para agente de fiscalização (nível superior). Em ambos os casos, os servidores que integram o grupo são responsáveis por toda parte interna de planejamento da seleção.

O que inclui, por exemplo, a elaboração dos projetos básicos. Esses documentos são como um espelho para o edital e apresentam dados importantes, como estrutura de provas e calendário das etapas.

TCM-SP prepara novos concursos para profissionais dos níveis
médio e superior (Foto: Divulgação)

 

Quando prontos, os projetos básicos são enviados para as bancas organizadoras no processo de licitação. Isso ocorre para que as instituições interessadas em viabilizar a logística do concurso tenham todas as informações necessárias para fornecer seus preços.

Cabe também a comissão definir o modo de escolha da banca. Se por meio de dispensa, o processo tende a ser mais ágil. Em geral, os concursos só são abertos após a contratação da banca organizadora. Isso porque é ela que recebe as inscrições e aplica as etapas de seleção, como provas objetivas.

O que é concurso público? Descubra em 13 passos como funcionam as seleções!

Concurso TCM-SP: aprovados terão ganhos superiores a R$10 mil

O cargo de auxiliar técnico de fiscalização é destinado a quem possui apenas o ensino médio completo. O tribunal tem autorização para abrir dez vagas nessa área. O vencimento básico é de R$4.907,45 para 40 horas de trabalho por semana.

Depois de seis meses, os servidores podem receber a gratificação de incentivo à especialização e produtividade no valor de R$5.124,95. Dessa maneira, a remuneração pode chegar a R$10.032,40.

As demais 92 vagas autorizadas para o concurso TCM-SP serão para carreira de agente de fiscalização. Desse quantitativo, duas oportunidades serão imediatas e 90 para formação de cadastro de reserva. Para concorrer será preciso ter nível superior nas especialidades indicadas no edital.

Acesse cursos de preparação para concursos: 

FOLHA DIRIGIDA questionou o setor de Recursos Humanos do TCM-SP sobre as áreas que podem ser contempladas para o cargo de agente. O departamento, por sua vez, disse que os trabalhos ainda estão em estágio inicial e que não há nada definido.

Poderão ser oferecidas chances para administrador; assistente educacional; assistente social; bibliotecário; contador; Direito; economista; enfermeiro; engenheiro; escrivão de ata; Tecnologia da Informação.

Os agentes do TCM-SP recebem R$18.829,53, valor composto pelo salário básico de R$10.818,37 somado com a gratificação de R$8.011,16. O valor da remuneração, no entanto, pode se tornar ainda mais atrativos com os benefícios. Além disso, com a progressão na carreira, os profissionais podem ganhar R$29 mil.

Último concurso TCM-SP para auxiliar ocorreu em 2006

O concurso para auxiliar técnico de fiscalização do TCM-SP está autorizado desde janeiro de 2018. Mas, não teve registro de andamento desde então. No ano passado, servidores da comissão organizadora chegaram a ser escolhidos.

O setor de Recursos Humanos, contudo, esclareceu que para os trabalhos serem iniciados era preciso que os nomes saíssem no Diário Oficial. O tribunal explicou, na época, que a demora foi decorrente das mudanças na presidência do órgão. 

O último concurso para o cargo foi realizado há 13 anos. O último edital trouxe a oferta de 23 vagas para a área de suporte administrativo. Houve reserva de uma vaga para pessoas com deficiência. O Instituto Cetro foi a banca organizadora.

Os candidatos foram avaliados por provas objetivas e de redação, de caráter eliminatório e classificatório. A objetiva contou com 60 questões de Conhecimentos Gerais (Português, Matemática e Noções de Informática) e Conhecimentos Específicos relacionados ao cargo de legislação específica presente no conteúdo programático.

Foi habilitado na prova objetiva quem obteve nota mínima de 50 em cada uma das provas e total de pontos maior ou igual a 200. Os classificados foram avaliados ainda por uma redação, em que elaboraram dissertação sobre tema geral.

Somente foram corrigidas as redações dos primeiros habilitados e com melhor classificação na prova objetiva. 

Saiba como estudar para concursos de tribunais em 2019: 



Comentários