Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Autorizado concurso com oferta de 202 vagas

O governador Geraldo Alckmin autorizou, no último dia 27, a realização de concurso público para o preenchimento de 202 vagas junto à São Paulo Previdência (SPPrev), sendo 165 para técnico em gestão previdenciária e 37 para analista em gestão previdenciária. No primeiro caso, para concorrer é necessário possuir ensino médio e para analista, nível superior em qualquer área. Os vencimentos podem chegar  a R$2.298,65 para técnicos e R$5.448,82 para analistas, já considerando complementos, com jornada de trabalho de 40 horas semanais. A expectativa é de que o edital seja divulgado ainda no primeiro semestre. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, já está iniciando o processo de escolha da empresa ou fundação organizadora, no sentido de agilizar a realização do concurso.

O governador Geraldo Alckmin autorizou, no último dia 27, a realização de concurso público para o preenchimento de 202 vagas junto à São Paulo Previdência (SPPrev), sendo 165 para técnico em gestão previdenciária e 37 para analista em gestão previdenciária. No primeiro caso, para concorrer é necessário possuir ensino médio e para analista, nível superior em qualquer área. Os vencimentos podem chegar  a R$2.298,65 para técnicos e R$5.448,82 para analistas, já considerando complementos, com jornada de trabalho de 40 horas semanais. A expectativa é de que o edital seja divulgado ainda no primeiro semestre. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, já está iniciando o processo de escolha da empresa ou fundação organizadora, no sentido de agilizar a realização do concurso.

Os salários-base são de R$1.544,20 para técnicos e R$2.085,74 para analistas. Porém, os aprovados recebem um Prêmio de Incentivo à Qualidade Previdenciária (PIQPREV), instituído em 26 de dezembro de 2011, pela Lei Complementar 1.162, que reestrutura as carreiras do órgão. O prêmio pode ser de 50% sobre o salário, que constitui R$1.921,43 para técnicos e R$4.820,11 para analistas, ou 100%, que representa, respectivamente, R$2.298,65 e R$5.448,82.

Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, a decisão se o complemento será de 50% ou 100% ocorre por meio de avaliação de desempenho, feita pela chefia do servidor a cada três meses. Explicam que, no momento, os atuais servidores estão recebendo somente o benefício de 50%, mas os aprovados no concurso já poderão contar com os 100%, que depende apenas da sanção do governador Geraldo Alckmin, de uma alteração na lei 1.162, que prevê apenas o benefício de 50%. O órgão já contava com um concurso em pauta para os dois cargos, com um total de 82 vagas. Porém, está confirmado que estas já fazem parte da recente autorização do governador.

Os interessados já podem dar início aos estudos, mesmo antes da publicação do edital, com base nos concursos anteriores do órgão. Para técnico, o último ocorreu em 2011. Na ocasião foram registrados 25.739 inscritos para a oferta de 156 vagas. Para analistas, o último foi em 2009, com 8.027 inscritos para 75 vagas. Para técnico, o último concurso foi organizado pela Fundação Carlos Chagas e a prova objetiva contou com 60 questões, sendo 20 de Língua Portuguesa, 20 de Matemática e Raciocínio Lógico e 20 de noções de Informática. Para o próximo está prevista uma segunda fase, com análise de títulos. Este foi o segundo concurso para o cargo. O primeiro, organizado pela Vunesp, em 2009, contou com 66.469 inscritos para a oferta de 250 vagas. Para analistas só ouve um concurso, organizado pela Fundação Vunesp, que contou com três fases: prova objetiva, análise de títulos e curso de formação. A prova objetiva contou com 50 questões, sendo dez de Língua Portuguesa e 40 de Conhecimentos Específicos. Na ocasião, o diretor presidente do órgão, Carlos Henrique Flory, ressaltou a importância de os candidatos, além de estudar o conteúdo programático para as provas, procurassem conhecer as atribuições do órgão e das carreiras, para ter uma noção do que representa a SPPrev e sua importância junto ao estado.As contratações serão feitas pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações