Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Agente de apoio: candidatos enfrentam longa viagem

O domingo começou bem cedo para os candidatos que foram fazer a prova do concurso para agente de apoio da Prefeitura do Rio, um cargo com requisito de ensino médio completo e remuneração de R$1.373, fora a estabilidade. O exame estava marcado para começar às 9h.

O domingo começou bem cedo para os candidatos que foram fazer a prova do concurso para agente de apoio da Prefeitura do Rio, um cargo com requisito de ensino médio completo e remuneração de R$1.373, fora a estabilidade. O exame estava marcado para começar às 9h. Nas estações de trem, a movimentação era bastante grande logo nas primeiras horas da manhã. O trem parador que saiu da estação Santa Cruz em direção à Central do Brasil pouco depois das 6h rapidamente atingiu a sua lotação máxima, o que, no entanto, não significou um limite para a entrada de mais passageiros. Em uma das estações, a movimentação incomum para o dia e horário foi denunciada por um dos que iniciavam a viagem, que, desavisado, não hesitou em perguntar a plenos pulmões. “Todo mundo resolveu trabalhar hoje?”

As características das pessoas que se aglomeravam dentro das composições deixavam claro que não se tratava de um dia comum de trabalho: uma massa formada em sua maioria por mulheres das mais variadas idades. Uma multiplicação dos vagões femininos, embora nesse caso fosse permitida a presença de homens, que era ofuscada, no entanto, pela inquietude das mulheres. O entreouvido traduzia o que era a experiência. “Estou aqui em uma lata de sardinha. A zona Oeste inteira está aqui”, dizia uma ao telefone. “Tem gente que já está acostumada com isso”, lamentou outra, lembrando que a aventura de uns naquele momento é a rotina de centenas de milhares de cariocas.

No zigue-zague e no para e segue da linha férrea, a viagem prosseguia na base de muita conversa e, é claro, reclamações, mas sem perder o bom humor. “Imagina na Copa”, entoou alguém o bordão, agora defasado, que antes do campeonato mundial de futebol servia para dizer que as coisas ainda podiam ficar piores. “Se ainda tivesse gringo aqui isso não tava assim”, afirmou outro passageiro, trazendo os lamentos de volta para o tempo certo. A Copa já passou. “Viagem padrão Fifa”, ironizou um terceiro. A chegada a cada estação era cercada de expectativa em torno do número de passageiros que entrariam e sairiam. “Sai um para entrar cinco”, observou um dos viajantes em uma delas. Um pouco de alívio, que mereceu gritos de comemoração, só mesmo na estação Deodoro, onde muitos saltam para fazer baldeação para os outros ramais da Supervia, concessionária de trens do Rio de Janeiro.

Mais adiante, após o trem fechar as portas na estação de Madureira sem ter deixado quase nenhum passageiro, uma gaiato soltou: “Ué! Achei que o trem estava cheio por causa da Parada Gay”, disse para a risada de muitos, fazendo referência à 14ª edição da Parada do Orgulho LGBT realizada no bairro da zona Norte neste domingo. Cerca de uma hora e meia e 32 estações depois de iniciar seu itinerário, o trem chegava à estação Maracanã, onde a grande maioria iria desembarcar, em busca de uma das 150 vagas oferecidas no concurso. A cena só não podia ser confundida com a chegada em dias de 'clássico' pela falta de cantos, bumbos, bandeiras e camisas de time.

Uma caminhada de menos de dez minutos levava à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Ainda havia uma prova a se fazer. “É difícil, mas a gente tem que tentar”, conformou-se a auxiliar de limpeza, Andreia dos Santos, que estudou durante seis semanas para o concurso, por meio de um curso preparatório. “Só não deu para estudar em casa, porque eu trabalho, tenho filho”, explicou ela, que saiu do conjunto Jardim Palmares (Nova Iguaçu/RJ), onde mora, a mais de 40 quilômetros de distância, para fazer a prova. “Eu tô muito nervosa. Agora vou dar um última lida e tentar relaxar um pouco até a prova. E pedir a Deus, né? Eu acredito!”, uniu fé e esperança. A parte mais difícil do dia já havia passado.

Concorrentes consideram a prova fácil


As primeiras impressões daqueles que deixavam as salas de prova na Uerj eram as de uma prova fácil e de boa expectativa quanto à aprovação. “Para quem estudou estava bem fácil. Eu só fiquei surpresa com a quantidade de pessoas mais velhas fazendo o concurso”, contou a esteticista Kessilin Moares. “Não tive muita dificuldade. A prova de Português foi toda baseada em um único texto. Foi bem tranquila. Matemática também estava bem simples”, relatou Lucas Coelho que trabalha como motorista de caminhão. Por já ter terminado os estudos há muitos anos, a merendeira Maria da Glória disse ter encontrado um pouco de dificuldade nas questões de Língua Portuguesa e Matemática. Já as de Conhecimentos Básicos na Área de Atuação podiam ser resolvidas com um pouco de bom senso, garantiu ela. “Não estudei muito, mas deu para responder usando o raciocínio lógico.”


Gabaritos estão previstos para esta terça, dia 22

A divulgação do gabarito preliminar das provas objetivas do concurso para 150 vagas de agente de apoio Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME-Rio) está prevista para esta terça-feira, dia 22. As respostas oficiais serão publicadas no site da Secretaria Municipal de Administração (SMA-Rio), que organiza o concurso, e poderão ser conferidas também no site da FOLHA DIRIGIDA tão logo estejam disponíveis. Junto ao exame objetivo, também foi aplicada neste domingo, dia 20, a prova de redação. Ao todo, a seleção teve 16.560 inscritos. O número de faltosos ainda não foi informado. Os  recursos contra o gabarito preliminar das objetivas serão recebidos nestas quarta e quinta-feiras, dias 23 e 24, também por meio do site da SMA-Rio. O resultado da prova objetiva está previsto para o dia 8 do mês que vem e o da redação, para o dia 29 do mesmo mês.

As provas objetivas foram compostas por 50 questões, sendo dez de Língua Portuguesa, dez de Matemática e 30 de Conhecimentos Básicos da área de atuação. Para ser aprovado no exame objetivo, será preciso ter obtido os mínimo de 4 pontos em Língua Portuguesa, 4 em Matemática e 12 em Conhecimentos Básicos, além de 60 pontos no total da avaliação. Na prova discursiva, que vale 50 pontos, o desempenho mínimo para aprovação é 25 pontos, sendo que só terão os textos corrigidos os habilitados na prova objetiva. O resultado final do concurso tem divulgação programada para 17 de outubro. A validade do concurso será de dois anos, podendo dobrar.
 
Serviço
Recursos:
www.rio.rj.gov.br/concursos/

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações