Folha Dirigida Entrar Assine

Senado altera comissão do novo concurso para técnicos e analistas

Após a autorização para um novo concurso, o presidente do Senado Federal alterou a comissão examinadora com a inclusão de novos membros

A comissão examinadora do concurso Senado teve mudanças em sua estrutura nesta segunda-feira, 7. O presidente da Casa, senador Davi Alcolumbre, nomeou mais dois integrantes para dar prosseguimento aos trâmites do novo edital. 

De acordo com publicação no Diário Oficial da União, um servidor deixou o grupo e novos foram designados. Com as alterações, a comissão passa a ter sete integrantes para trabalhar nos preparativos.

O concurso Senado obteve autorização na quinta-feira, 3 de outubro. No dia seguinte, a comissão examinadora foi formada. Os membros são responsáveis pela parte interna da seleção.

O que inclui, por exemplo, a viabilização das provas, avaliação de candidatos e contratação da banca organizadora. A oferta do concurso será de 40 vagas imediatas mais formação de cadastro de reserva.

Profissionais dos níveis médio e superior poderão se inscrever, com salários superiores a R$30 mil. A lotação dos aprovados será em Brasília, no Senado Federal. As provas, no entanto, devem ser aplicadas em todas as capitais do país, assim como no último concurso. 

Senado Federal tem novo concurso público autorizado
(Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado))

 

Das chances, 24 serão para técnico legislativo, na especialidade de policial legislativo. A carreira tem como pré-requisito somente o ensino médio completo e tem salário inicial de R$19.573,46. 

Haverá ainda quatro oportunidades para ingresso como advogado, cuja exigência será o nível superior em Direito. A remuneração, após a admissão, será de R$33.003,05. 

O concurso terá também 12 vagas para analista legislativo, em carreiras que exigem nível superior em áreas específicas. Elas estarão distribuídas pelas seguintes especialidades: Administração (duas), Arquivologia (uma), Assistência Social (uma), Contabilidade (uma), Enfermagem (uma). 

Além de Informática Legislativa (uma), Processo Legislativo (uma), Registro e Redação Parlamentar (uma), Engenharia do Trabalho (uma), Engenharia Eletrônica e Telecomunicações (uma). Os salários dos aprovados, nessas funções, serão de R$25.764,85. 

Os valores incluem as gratificações e R$982,28 de auxílio-alimentação. Os servidores ainda têm direito a R$147,83 de auxílio-transporte, R$676 de assistência médica e odontológica, R$831,95 de assistência pré-escolar, exames periódicos, além de capacitações. 

+ Assine a Folha Dirigida e turbine sua preparação!
+ Projeto apresentado propõe novos concursos para o Senado

Último concurso Senado ocorreu há sete anos

Em 2012, foi realizado o concurso do Senado. O edital, na época, trouxe a oferta de 246 vagas para carreiras dos níveis médio (93), médio/técnico (11) e superior (142). As remunerações chegavam a R$13.833 para técnico legislativo, R$18.440 para analista e R$23.826 para consultor.

Para conquistar a aprovação foi preciso passar por provas objetivas e discursivas. Os concorrentes à especialidade de Taquigrafia ainda foram submetidos a avaliações práticas, já os participantes a consultor legislativo realizaram uma prova de títulos.

A primeira etapa foi realizada em todas as capitais do país. Os exames objetivos tiveram de 70 e 80 questões, a depender da escolaridade. As provas discursivas, por sua vez, foram compostas por uma redação e uma pergunta de tema específico. 

Sem concurso, Senado acumula 2 mil cargos vagos

À espera de novos concursos desde 2012, o Senado Federal atingiu um grande déficit em seu quadro de pessoal. Em janeiro deste ano, por exemplo, registrou 1.859 cargos vagos.

Já em abril, a carência passou para 2.163. A maior necessidade está na carreira de técnico legislativo de nível II, com 1.518 cargos desocupados.

Desse quantitativo, as especialidades de processo legislativo (235) e o cargo de policial legislativo federal (162), ambos de nível médio, apresentam a maior carência. 

A urgência para o novo concurso para o Senado foi apontada pelo senador Lasier Martins, durante apresentação do Projeto de Resolução do Senado (PRS). De acordo com ele, cresce o número de servidores aptos a aposentadoria.

"O Senado precisa rever tudo isso, inclusive, tendo em vista a necessidade de futuros concursos públicos, que acabarão sendo necessários, ante o grande contingente de servidores já aptos a se aposentarem, e que poderão, a qualquer momento, exercer esse direito", disse o senador em projeto.

Saiba mais detalhes do novo concurso Senado! 



Comentários