Concurso Senado: saiba mais sobre o cargo de policial legislativo

Autorizado o concurso Senado 2019, o cargo de policial legislativo, com salário de R$19mil para nível médio, gera curiosidades. Saiba mais!

O concurso Senado foi autorizado e um dos destaques é o cargo de policial legislativo. O grande atrativo desta vaga é o salário de R$19.573,46 para um cargo em nível médio, e, por ser uma seleção nacional, deve atrair muitos interessados.

Porém, algumas dúvidas surgem, como: o que faz um policial legislativo? Quais requisitos e perfil para concorrer ao cargo? Como será a seleção?

Por isso, FOLHA DIRIGIDA resolveu listar as principais informações sobre a profissão para que os interessados em disputar uma vaga possam conhecer melhor a carreira, suas funções, além do contéudo das provas e dados do último concurso realizado.

http://admin.folhadirigida.com.br/filemanager/files/noticias/icones-ilustracoes/icone-policial.jpgAtribuições

O policial legislativo realizará o policiamento de todas as dependências do Senado Federal, assim como a fiscalização da entrada e saída de pessoas, assistência às autoridades na realização de inquéritos ou investigações policiais, e outras tarefas correlatas.

Assim como qualquer policial, este profissional tem como objetivo garantir a segurança e integridade física de pessoas e do patrimônio na área de jurisdição do policiamento do Senado Federal. Os policiais legislativos têm porte de arma e o armamento utilizado é uma pistola glock .40.

Além disso, ainda existe a possibilidade de trabalhar na área administrativa no Departamento de Polícia Legislativa (Depol). Também é possível ingressar em outras áreas, como inteligência, por exemplo.

http://admin.folhadirigida.com.br/filemanager/files/noticias/icones-ilustracoes/icone-policial.jpgRemuneração

Realmente a remuneração é bem atrativa, e o valor de R$19.573,46 já inclui as gratificações e R$982,28 de auxílio-alimentação. Mas, além disso, os policiais ainda têm direito a R$147,83 de auxílio-transporte, R$676 de assistência médica e odontológica, R$831,95 de assistência pré-escolar, exames periódicos, além de capacitações. 

A jornada normal de trabalho é de 40 horas. No entanto, em casos de viagens a serviço, é possível ganhar hora extra e diárias.

Concurso Senado: saiba mais sobre a cargo de policial legislativo
(​​Foto: Adilson Rodrigues/Agência Senado)

http://admin.folhadirigida.com.br/filemanager/files/noticias/icones-ilustracoes/icone-policial.jpg Requisitos

Além do nível médio completo, é necessário possuir Carteira Nacional de Habilitação, no mínimo, na categoria “B”, não sendo necessário altura mínima ou idade máxima, como acontece em outras seleções de policiais.

O cargo também não possui restrições enquanto ao uso de barba e/ou tatuagens. O cargo exige um perfil psicológico e entre as característica é necessário ter controle emocional, domínio psicomotor, resistência a frustração, maturidade, iniciativa e fluência verbal.

O candidato também precisa ter boa memória, responsabilidade, dinâmico, ser flexível e adaptável, além de não possuir fobias, ansiedade e impulsividade. Para quem deseja ingressar na carreira, é necessário ser aprovado em concurso público.

http://admin.folhadirigida.com.br/filemanager/files/noticias/icones-ilustracoes/icone-policial.jpg Último concurso

O último concurso do Senado foi realizado em 2012 e ofertou 25 vagas para o cargo de Policial Legislativo Federal. A remuranção inicial era de R$13.833 e o requisito era nível médio. A selação teve cinco etapas:

  1. Provas objetivas e discursivas;
  2. Teste de aptidão física;
  3. Avaliação psicológica;
  4. Investigação social documental;
  5. Curso de formação.

A primeira etapa foi aplicada em todas as capitais do país e as provas objetivas foram compostas por 70 questões, dividas entre Língua Portuguesa (vinte questões), Conhecimentos Gerais (dez), Noções de Informática (dez) e Conhecimentos Específicos (trinta).

As provas discursivas contaram com uma redação e uma pergunta de tema específico. Os aprovados passaram pelo teste físico para comprovação de capacidade física, e, além da avaliação médica, fizeram os seguintes testes: flexão de braços, abdominal, barra e corrida.

Todas as etapas foram eliminatórias, portanto só fez a próxima quem passou na anterior. Na terceira etapa, os candidatos fizem uma avaliação psicológica para comprovar se estavam no perfil exigido para o cargo.

Na penúltima etapa foi verificado a conduta irrepreensível e a idoneidade moral do candidato. Os aprovados em todas as etapas passaram por um curso de formação de 80 horas, realizado em Brasília.

Concurso Senado é autorizado

No dia 3 de outubro foi publicado o aval, no Diário Oficial da União, que autoriza o concurso Senado 2019. Serão ofertadas 40 vagas imediatas mais cadastro de reserva para o quadro efetivo da Casa.

Serão 24 vagas de nível médio para policiais legislativos e as outras oportunidades para nível superior.

De acordo com a portaria, a autorização foi concedida em função dos cargos vagos e o crescente número de servidores com direito a aposentadoria. A distribuição das oportunidades será feita da seguinte maneira:

  • Técnico Legislativo na especialidade Policial Legislativo (nível médio): 24 vagas;
  • Advogado na especialidade Advocacia (nível superior): 4 vagas;
  • Analista Legislativo na especialidade Administração (nível superior): 2 vagas;
  • Analista Legislativo na especialidade Arquivologia (nível superior): 1 vaga;
  • Analista Legislativo na especialidade Assistência Social (nível superior): 1 vaga;
  • Analista Legislativo na especialidade Contabilidade (nível superior): 1 vaga;
  • Analista Legislativo na especialidade Enfermagem (nível superior): 1 vaga;
  • Analista Legislativo na especialidade Informática Legislativa (nível superior): 1  vaga;
  • Analista Legislativo na especialidade Processo Legislativo (nível superior): 2 vagas;
  • Analista Legislativo na especialidade Registro e Redação Parlamentar (nível superior): 1 vaga;
  • Analista Legislativo na especialidade Engenharia do Trabalho (nível superior): 1 vaga;
  • Analista Legislativo na especialidade Engenharia Eletrônica e Telecomunicações (nível superior): 1 vaga.

O concurso já tem comissão examinadora formada. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, designou sete servidores para compor o grupo que será responsável pela parte interna do concurso, como a viabilização das provas, avaliação de candidatos e contratação da banca organizadora. 

Concurso Senado 2019: presidente nomeia comissão examinadora

Os trabalhos da comissão examinadora se concluirá com a homologação do resultado final. A lotação das vagas será em Brasília, porém, no último concurso, as provas foram aplicadas em todas as capitais.

Comentários