Folha Dirigida Entrar Assine

Governo de Sergipe autoriza 333 vagas temporárias para Educação

O Governo de Sergipe autorizou a contratação de 333 profissionais temporários para área da Educação e deve realizar novo processo seletivo.

O Governo do Sergipe autorizou a contratação 333 profissionais, em caráter temporário, para a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc). A informação foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira, dia 12.

Foi autorizada a contratação temporária de 155 profissionais para a função de instrutor/intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras). Esses atuarão na rede pública estadual de ensino da Seduc-SE pelo prazo de um ano. O contrato poderá ser prorrogado por mais um ano.

Além dessas, foram autorizadas outras 178 vagas para professores substitutos, que atuarão como professores da Educação Básica, também nas unidades escolares da rede pública estadual. Assim como os intérpretes de Libras, estes terão um contrato de um ano, prorrogável por igual período.

>> Prepare-se para concursos públicos <<

Agora, a autorização será encaminhada à Secretaria de Administração. O departamento dará início às providências para a realização de um processo seletivo, visando à contratação dos profissionais. Conforme diz o texto da autorização, a medida pretende garantir a eficiência dos serviços públicos relacionados à educação. 

• Como pontuar na prova de títulos do concurso

Professor
Ficaram autorizadas 178 vagas para professor da Educação básica
(Foto: Divulgação)

Secretaria de Educação realizou processo seletivo em 2018

O último processo seletivo para Educação em Sergipe foi realizado em 2018. Na época foram ofertadas 399 vagas temporárias, sendo 191 para professores da Educação Básica, 200 para merendeiros e oito para educadores do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem Urbano). 

As vagas de merendeiro exigiam o nível fundamental. A remuneração era de R$937, para uma carga de trabalho de 30 horas por semana. Para concorrer às vagas de educador do Projovem o salário era de R$1.534,59, para 20 horas de trabalho por semana.

Botão com link para assinatura FOLHA DIRIGIDA

Já a remuneração dos professores variava de acordo com a carga de trabalho. O salário era de R$ 3.437,49, para 200 horas de trabalho por mês; R$ 2.749,99, para 160 horas mensais; e de R$ 2.148,42 para 125 horas mensais. 

A função oferecia oportunidades para as especialidades de Educação Física, Geografia, História, Espanhol, Inglês, Português, Matemática e para professores polivalentes.

As inscrições foram feitas no site da Secretaria de Administração do governo, que ficou responsável por organizar a seleção. Os candidatos foram avaliados por meio de avaliação de títulos e de experiência profissional.

Comentários