Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Representante dos analistas não crê em devolução do pedido

Presidente do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal (Sindireceita), avalia que ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, não teria encaminhado ao Ministério do Planejamento o pedido de concursos para o seu ministério e órgãos vinculados se não tivesse certeza da possibilidade e necessidade de sua realização. Quantitativo solicitado por ministro foi apenas para necessidades mais urgentes, mas, para sindicalista, necessidade foi subdimensionada. Pedido foi de 2.495 vagas, das quais 787 para assistente técnico-administrativo (de nível médio, com remuneração inicial de R$3.756,82) e 60 para analista técnico-administrativo (superior; R$4.969,02), na área de apoio, e  400 de auditor-fiscal (superior; R$18.754,20) e 600 de analista-tributário (superior; R$10.623,92), na área fiscal. Faça login e saiba mais! 

Presidente do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal (Sindireceita), avalia que ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, não teria encaminhado ao Ministério do Planejamento o pedido de concursos para o seu ministério e órgãos vinculados se não tivesse certeza da possibilidade e necessidade de sua realização. Quantitativo solicitado por ministro foi apenas para necessidades mais urgentes, mas, para sindicalista, necessidade foi subdimensionada. Pedido foi de 2.495 vagas, das quais 787 para assistente técnico-administrativo (de nível médio, com remuneração inicial de R$3.756,82) e 60 para analista técnico-administrativo (superior; R$4.969,02), na área de apoio, e  400 de auditor-fiscal (superior; R$18.754,20) e 600 de analista-tributário (superior; R$10.623,92), na área fiscal. Faça login e saiba mais! 
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações