Concurso Receita Federal: confira um guia completo de estudos

FOLHA DIRIGIDA com a ajuda do professor e coach, Rubens Mauricio Corrêa, preparou um guia completo de estudos para a Receita Federal.

A espera pelo concurso da Receita Federal continua. O pedido que tramitava no extinto Ministério do Planejamento para 2.083 vagas, sendo 1.453 para o cargo de analista e 630 para auditor foi arquivado. Até o momento não há informações sobre quando um novo pedido será protocolado. Todavia, quem deseja garantir uma vaga no próximo concurso da Receita Federal deve iniciar os estudos o quanto antes. Isso porque esta é uma das seleções mais difíceis do país.

Se você está se perguntando por onde começar, fique tranquilo. FOLHA DIRIGIDA preparou um guia completo para você, com a ajuda do professor de Direito Previdenciário e coach do Estratégia Concursos, Rubens Mauricio Corrêa. Confira!

O primeiro passo para se sair bem nesta seleção é investir em uma rotina de estudos. O importante aqui, como explicou Corrêa, é desenvolver o hábito de estudar todos os dias e não apenas um dia ou outro. 

“A maioria dos concursandos acredita que só gênios passam em concursos de alto nível. Pois saiba que concurso é muito mais preparação e transpiração do que qualquer outra coisa. Se você conseguir manter uma boa sequência, será um fortíssimo candidato.”

O segundo ponto a ser destacado é que, durante os estudos, não basta apenas entender os conteúdos, é preciso memorizá-los. Para isso, o candidato deve ter uma preparação estratégica. Corrêa separou alguns passos que podem ajudar:

⇒ Passo 1: Antes de iniciar os estudos, pare por alguns segundos, dê uma respirada, e tente relaxar bastante. Isso vai deixar o seu cérebro mais sereno e prepará-lo para o que vem a seguir, facilitando bastante a sua memorização. 

⇒ Passo 2: Leia com muita calma e atenção. Não se preocupe, a princípio, com a velocidade com que você vai finalizar o material. Preocupe-se, nesse primeiro momento, com a qualidade da leitura.

⇒ Passo 3: Enquanto estiver lendo, faça questionamentos na sua mente, pequenas perguntas que você mesmo deve responder. 

O professor chama atenção para dois aspectos que merecem atenção nesse passo a passo:

  • Com o tempo será preciso melhorar a velocidade, achando um ponto de equilíbrio entre qualidade e velocidade. 
  • Tente não ler por mais de 2 horas sem descansar. A recomendação é fazer uma pausa de 5 minutos a cada uma hora ou 10 minutos a cada uma hora e meia de estudos. Levante, dê uma alongada, tome um copo de água e depois volte para os estudos. Mas tudo isso deve ser cronometrado.
Concurso para a Receita Federal é um dos mais disputados do país
(Foto: Divulgação)

Marcações nos materiais ajudam na memorização e nas revisões

Uma tática que também ajuda muito na memorização dos conteúdos é fazer a marcação das passagens mais relevantes durante a leitura. Essa estratégia auxiliará, também, na hora de revisar o material.  

O professor Corrêa explicou que, durante a primeira leitura, isso pode ser feito de forma mais rápida, marcando as citações com um lápis mesmo.  Em um segundo momento, o concurseiro pode voltar às passagens e grafar com diferentes cores as palavras-chave, as citações mais importantes, ou as que dão sustentação às respostas de algumas questões de prova. 

♦ Sem concurso, 'Receita Federal pode fechar unidades', diz sindicato

“Desta forma, no futuro, quando estiver revisando o material, você só precisará ir nestas partes que você marcou. Isso vai agilizar seu processo de revisão”, destacou Corrêa.  O coach montou um exemplo de esquema de cores que pode ser utilizado nesse processo:

AMARELA: é a cor mais estimulante da memória, então deve ser a mais utilizada. Use amarelo para tudo que for importante no corpo do texto;

VERDE: use junto com o amarelo, mas apenas para marcar detalhes muito importantes que mereçam destaque diferenciado. É para o destaque do destaque;

ROSA: use para os títulos e subtítulos maiores (aqueles que prenunciam vários outros subtítulos/categorias de assuntos);

LARANJA: use para subtítulos menores, de modo a separar os assuntos dentro de um capítulo ou aula;

AZUL: use para grifar as partes importantes das legislações citadas (lei seca) e jurisprudência;

VERMELHO: use para as negações.

“Além disso, use e abuse do lápis para fazer anotações pessoais, circular, puxar setas, escrever notas de rodapé. Enfim, tudo o que for ajudar no bom entendimento do assunto merece destaque”, indicou Corrêa.

E reforçou: “fazendo isso, ao bater os olhos na página que você estudou e marcou, seu cérebro esquematizará visualmente o assunto, e as revisões irão fluir com eficiência e eficácia”.

Professor recomenda a resolução de exercícios comentados

Depois de se dedicar à parte teórica chega o momento de resolver exercícios sobre o que foi estudado até o momento. “Recomendo que você faça apenas exercícios resolvidos/comentados. Hoje em dia isso é possível, porque a maioria dos cursos contém inúmeros exercícios resolvidos ao final de cada assunto, além dos sites de exercícios resolvidos na internet.”

De acordo com Rubens, resolver questões comentadas é importante por dois motivos. Ao errar, o concurseiro fica sabendo o que errou e ao acertar consegue identificar se acertou pelo motivo correto. 

Também é válido fazer a marcação dos exercícios que considerar mais importantes. Essa marcação pode ser feita por diversos motivos:

  • Assunto difícil; 
  • Assunto cobrado com frequência; 
  • Assunto polêmico;
  • Questão respondida errado;
  • Questão que acertou, embora não pelo motivo certo;
  • Questão que acertou, mas não pelo motivo completo;
  • Acertou no chute;

Prepare-se desde já para o concurso

♦ Tudo sobre concurso Receita Federal com o professor Alexandre Prado

Outra dica importante no momento da resolução dos exercícios é voltar à teoria para marcar as passagens teóricas que dão suporte às resoluções das questões. “Esse é um dos melhores jeitos de aprender: resolver exercícios seguido da leitura da teoria que fundamenta a resposta”, destacou o professor.

Feito isso, a próxima etapa é a revisão. Esse é um passo importante durante os estudos e que deve ser feito de forma sistemática e dentro de prazos estabelecidos.  “Revisões aleatórias, apesar de servirem para você relembrar naquele momento, praticamente não surtem nenhum efeito de longo prazo.”

O professor explicou que existem técnicas que ajudam a maximizar o armazenamento de informações no cérebro. Ele abordou a teoria da curva do esquecimento que defende que a primeira revisão precisa ser feita no dia seguinte à leitura daquela informação.

“Esta revisão é seguramente a mais importante. Em média, para cada hora estudada no dia anterior, você gastará em torno de 20% do tempo (12 minutos) revisando no dia seguinte.”

A segunda revisão deve ser feita uma semana após o conteúdo ter sido estudado. O concurseiro gastará, em média, 10 minutos de revisão para cada hora de estudo.

Já as outras revisões devem ser feitas após 30 dias. Nesse momento, é importante aliar as revisões e a resolução de questões. “Também recomendo que toda semana tenha um horário destinado à resolução de exercícios da semana anterior.”

enlightenedAtenção!

  1. Sempre que iniciar uma matéria, volte e revise o que estudou sobre aquele assunto da última vez;
  2. Aulas em vídeo ajudam quem quer entender algo que esteja complicado, mas ela não se presta, de modo muito efetivo, àqueles que querem memorizar o conteúdo. Ou seja, a aula em vídeo é um instrumento que pode ajudar muito, mas não pode ser o principal e único meio de se preparar para concurso; 
  3. A memorização de enormes quantidades de informações só vem com muitas horas de estudo, de forma consistente ao longo do tempo.

Confira concursos da área Fiscal

Por quais disciplinas começar a estudar?

Como o próprio professor alerta, concursos da área fiscal abrangem muitas disciplinas. Sendo assim, é comum se sentir perdido na hora de definir quais estudar primeiro. Corrêa indicou começar pelas seguintes disciplinas, que juntas compõem 55% da prova:

  • Direito Constitucional
  • Direito Administrativo
  • Direito Tributário
  • Contabilidade
  • Português
  • Raciocínio Lógico + Matemática

Para dar conta de todos os conteúdos o concurseiro pode montar um ciclo de estudos, planejando qual matéria estudar em cada dia. Esse planejamento deve incluir: revisões, exercícios, leitura de lei, simulados e demais materiais que serão utilizados durante a preparação.

♦ Concurso Receita sem Esaf? Professor orienta a preparação

O professor também recomendou que seja feito um controle estatístico detalhado de tempo de estudo por disciplina, páginas estudadas, questões resolvidas, número de acertos e erros e tempo de revisão.

Comentários