Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Concurso segue suspenso, sob investigação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) comunicou a suspensão das demais etapas do concurso para 216 vagas de agente administrativo, cujas provas objetivas foram aplicadas no último domingo, dia 25. 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) comunicou a suspensão das demais etapas do concurso para 216 vagas de agente administrativo, cujas provas objetivas foram aplicadas no último domingo, dia 25. A seleção foi suspensa administrativamente até a conclusão da análise conjunta do departamento e da Consultoria Jurídica do Ministério da Justiça dos documentos recebidos da Funcab, organizadora do concurso, a respeito do incidente ocorrido em um dos locais de prova na cidade de Campo Grande (MS). Na noite do último domingo, 25, dia da prova do concurso, a PRF comunicou que cerca de 415 candidatos que fariam as provas no colégio Dom Bosco, na capital sul-mato-grossense, não receberam os cadernos de prova.
 
O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF-MS) instaurou inquérito civil público, na quarta, 28 de maio, para apurar as denúncias de irregularidades na aplicação das provas do concurso. Ao MPF, os candidatos relataram que chegaram ao local da prova, se identificaram e receberam o cartão de respostas, tendo sido logo em seguida informados que não havia cadernos de questões disponíveis para eles. Mais de uma hora após o horário previsto para o início do exame (14h), e sem informações precisas dos fiscais, os candidatos deixaram o local sem realizar o concurso.
 
Na manhã da segunda, 26, a fundação informou que estava tomando as providências cabíveis e apurando as denúncias, e divulgou um comunicado na página do concurso na internet (íntegra abaixo), por meio do qual afirmava que a seleção transcorria normalmente, além de negar que o fato ocorrido na cidade de Campo Grande tenha colocado o concurso em risco. No decorrer do dia, o comunicado foi retificado, estando entre as alterações a retirada da parte final, onde era destacado que as condições para a realização das provas foram restabelecidas a tempo.
 
As provas objetivas da seleção foram aplicadas em todas as capitais do país e, ao todo, eram esperados 259.136 candidatos. O número de faltosos ainda não foi divulgado. O cargo de agente administrativo tem requisito de ensino médio completo e remuneração inicial de R$3.937,77, incluindo o auxílio-alimentação, de R$373. A seleção visa à substituição de terceirizados irregulares. A interrupção da seleção foi comunicada na noite da última terça-feira, dia 27, data em que estava prevista a divulgação do gabarito da prova objetiva, por meio da página da PRF no Facebook (leia, abaixo, a íntegra do comunicado). No mesmo dia, a Funcab informou em seu site apenas que a divulgação do gabarito não seria realizada naquela data a pedido da comissão nacional do concurso. Além das provas escritas, a seleção prevê investigação social.
 
 
Íntegra do comunicado da PRF nesta terça, 27:
 
“Nesta terça-feira (27/05), a Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (FUNCAB) protocolou junto à Polícia Rodoviária Federal documentos com informações sobre incidente ocorrido em Campo Grande/MS durante aplicação de provas objetivas do concurso para agente administrativo da PRF.
 
Estes documentos estão sob análise conjunta da Polícia Rodoviária Federal e Consultoria Jurídica do Ministério da Justiça e em razão disso todas as outras etapas previstas no edital do concurso estão suspensas até que se tenha posicionamento definitivo.”
 
 
 
 
 
Íntegra do comunicado da Funcab na última segunda, dia 26:
 
"A FUNCAB informa que a aplicação das provas do Concurso Público da Polícia Rodoviária Federal em todo o território nacional foi realizada com sucesso, e que o concurso transcorre normalmente. Uma situação pontual ocorreu na cidade de Campo Grande, porém, não houve, em momento algum, quebra da lisura e nenhum vício que coloque o certame em risco.
 
Informamos, ainda, aos candidatos presentes no bloco E do colégio Dom Bosco, na cidade de Campo Grande, que o atraso no início das provas e as consequências geradas em função desse atraso, estão sendo analisados e, o mais breve possível, a FUNCAB irá deliberar, em conjunto com os órgãos e as comissões competentes, e divulgará amplamente seu posicionamento a sociedade."

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações