SME-Rio finaliza contratos de agentes educadores e de educação infantil

SME-Rio convoca agentes educadores temporários para realização de trâmites referentes ao encerramento do contrato de trabalho.

A Coordenadoria Geral de Recursos Humanos da Prefeitura do Rio de Janeiro publicou no Diário Oficial do Município nesta segunda-feira, dia 13, orientações para agentes de educação infantil e agente educadores temporários, cujos contratos foram encerrados. Os profissionais deverão comparecer à prefeitura no prazo indicado para devolução dos cartões RioCard.

De acordo com a publicação, os convocados devem comparecer à prefeitura, localizada na Rua Afonso Cavalcanti, 455, Centro Administrativo São Sebastião, 1º andar, sala 102 - Cidade Nova, Rio de Janeiro, no horário de 9h às 17h. O prazo máximo para os candidatos se apresentarem no local é de oito dias úteis, contados a partir da data de publicação da convocação.

Ou seja, até o dia 22 de janeiro. Segundo a prefeitura, o objetivo é encerrar a formalidades legais, tendo em vista o término do prazo dos respectivos contratos de trabalho.

Confira lista de profissionais convocados à comparecer na prefeitura

Processos seletivos somaram mais de 2 mil vagas temporárias

Para agente de educação infantil, foram 1.652 vagas. Para se candidatar ao cargo era preciso ter o ensino médio completo na modalidade Normal.

A remuneração era de R$1.248,61, para carga de 40 horas nas unidades da Secretaria Municipal de Educação (SME-RJ). Os aprovados ainda tiveram direito a vale-transporte e benefício alimentação.

Já o  processo seletivo para agente educador da SME-Rio ofertou 400 vagas temporárias. Para concorrer, a exigência era o nível médio. 

O salário ofertado era de R$1.350,63, para uma carga de trabalho de 40 horas semanais. Além do vencimento inicial, foram oferecidos aos profissionais outros benefícios, como vale-transporte e auxilio-alimentação. 

O regime de contratação era o celetista. O contrato teve duração de seis meses, prorrogáveis  por mais três, de acordo com a necessidade da SME-Rio. 

Agente educador
Agentes educadores auxiliam na inspeção de alunos nas escolas 
(Foto: Beto Faria/PMSJC)

Convocação de efetivos não deve demorar a acontecer

Na época da publicação do edital do concurso, em abril de 2019, a assessoria de imprensa da SME-Rio havia informado à FOLHA DIRIGIDA que a contratação desses profissionais preencheria vagas em aberto até a convocação dos aprovados no concurso para efetivos. 

Considerando o início dos encerramentos dos contratos, a expectativa é que a lista de convocados para as vagas efetivas não demore a ser publicada.

O concurso para efetivos também ofereceu 400 vagas para agente educador. Os ganhos oferecidos aos profissionais são de R$1.792,73.

O valor já soma o salário base, de R$1.350,53; o auxílio-alimentação, de R$264; e o auxílio-transporte, de R$178,20. A jornada de trabalho será de 40 horas semanais.
 
O regime de contratação é o estatutário, que garante estabilidade empregatícia ao servidor. As 400 oportunidades serão distribuídas pelas 11 Coordenadorias Regionais de Educação (CRE) da SME-Rio. 

Os agentes educadores trabalharão prestando apoio às atividades educacionais realizadas nas escolas. O profissional deverá orientar e inspecionar a conduta dos alunos, para contribuir para a segurança e bem estar de crianças e jovens matriculados na rede municipal de ensino. 

Estão entre as principais atribuições para o cargo, as seguintes atividades: 

  • Acompanhar as atividades livres e extracurriculares, zelando pelo bem-estar, saúde, educação, cultura, recreação e lazer dos alunos;
  • Orientar e informar aos alunos quanto às regras, procedimentos, regimento e regulamento das unidades escolares;
  • Orientar os alunos quanto ao cumprimento dos horários; e
  • Auxiliar na organização do ambiente escolar, bem como inspecionar os diversos ambientes da unidade.

Candidatos do concurso agente educador-RJ foram avaliados por provas objetivas

Os candidatos do concurso SME-Rio para agente educador II foram avaliados por uma prova objetiva. As questões foram distribuídas pelas disciplinas de: Língua Portuguesa, Matemática e Estatuto da Criança e do Adolescente.

Para ser considerado aprovado, era preciso obter o mínimo de 60% de acertos no total da prova. O percentual equivalia a 48 pontos, considerando que cada item do exame tinha valor de dois pontos.

Também era preciso garantir 20% de acerto em cada umas das disciplinas cobradas no exame. Ou seja, quatro pontos em Português, quatro em Matemática e oito em Estatuto da Criança e do Adolescente.

A Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro já convocou os classificados no concurso para entrega de documentos referentes à tomada de posse. A publicação foi feita em Diário Oficial em novembro de 2019.

Comentários