Aroeiras-PB homologa resultado final de concurso com 153 vagas

A Prefeitura de Aroeiras, na Paraíba, publicou a homologação do resultado final do concurso que ofertou 153 vagas.

Foi homologado o resultado final do concurso para a Prefeitura de Aroeiras, na Paraíba. A publicação foi feita no site da Contemax Consultoria, organizadora, no último dia 25.

A partir desta data, o concurso passa a ter validade de dois anos. O prazo ainda poderá ser prorrogado, uma vez, por igual período.

Agora, os candidatos devem aguardar a publicação do edital de convocação. No documento deverá constar todos os procedimentos necessários para a posse dos aprovados.

O concurso Aroeiras-PB ofereceu 153 vagas, distribuídas por cargos de todos os níveis de escolaridade. Foram contempladas vagas de agente administrativo, agente comunitário de saúde e agente fiscal de tributos, assistente social, cirurgião dentista, condutor socorrista, entre outras.

A remuneração oferecida pela prefeitura pode chegar a R$9 mil, dependendo da função. O regime de contratação é o estatutário, que garante estabilidade empregatícia ao servidor.

A primeira etapa de seleção do concurso foi a etapa de prova objetiva, aplicada a todos os candidatos. O exame foi realizado no dia 21 de julho.

Foram cobradas 40 questões, divididas pelas disciplinas de Português (12 questões), Município de Aroeiras (quatro), Conhecimentos Gerais/Atualidades (quatro) e Conhecimentos Específicos (20).

+ 45% dos aprovados em concursos perdem a nomeação. Veja como evitar!

Prova objetiva
Prova objetiva do concurso foi aplicada em duas datas (Foto: Divulgação)

Candidatos às vagas de professor tiveram que refazer suas provas

Os candidatos às vagas de professor ainda refizeram a prova, desta vez no dia 8 de setembro. A reaplicação do exame foi feita por recomendação do Ministério Público da Paraíba (MPPB).

Isso porque após a primeira avaliação alguns candidatos denunciaram irregularidades. Segundo os concorrentes não havia cadernos de questões suficientes para todos os participantes.

Para resolver a situação, membros da comissão retiraram os cadernos de provas já entregues de alguns candidatos, para que fossem copiados em Lan Houses localizadas fora do local de aplicação do exame.

A promotora de justiça, Carolina Soares Honorato de Macedo, responsável por recomendar a suspensão do concurso, entendeu que a atitude comprometia a lisura do concurso.

“É pressuposto para validade do concurso público que seja garantida a isonomia entre todos os concorrentes e que, caso isso não ocorra, a consequência inarredável é que todo o procedimento restará viciado, devendo ser de pronto procedida à sua anulação”, defendeu a promotora.

Os candidatos aos cargos de condutor socorrista plantonista, digitador motorista, operador de motoniveladora, operador de retroescavadeira e tratorista aprovados na avaliação objetiva foram avaliados, ainda, por uma prova prática. Já os concorrentes às vagas de professor foram submetidos a uma avaliação de títulos.

Comentários