Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

O candidato do Psol defende a concepção de \"um governo do povo e para o povo\"

Um governo do povo e para o povo, é o que defende Robeto Robaina, candidato a prefeito da cidade de Porto Alegre pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol). Formado em História, com mestrado em Filosofia, o candidato tem como concepção de governo a utilização dos recursos públicos para os interesses da população, em áreas sociais como saúde e habitação.

Um governo do povo e para o povo, é o que defende Robeto Robaina, candidato a prefeito da cidade de Porto Alegre pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol). Formado em História, com mestrado em Filosofia, o candidato tem como concepção de governo a utilização dos recursos públicos para os interesses da população, em áreas sociais como saúde e habitação. Segundo Robaina, hoje, a terceirização faz com que o dinheiro público seja destinado aos cofres das empresas privadas, que realizam o serviço que os órgãos do governo deveriam fazer.
 
"Nós queremos combater essa lógica fazendo com que os recursos sejam destinados prioritariamente às áreas sociais. E ao mesmo tempo cortar drasticamente os privilégios dos partidos e dos políticos com um corte de 70% dos cargos de confiança, para que seja um governo do povo mobilizado e dos servidores públicos concursados." Uma de suas apostas é na área de transporte e, segundo Robaina, Porto Alegre é uma das capitais que ainda não possui um plano de investimento para o cambate ao excesso de tráfego de veículos. "A cidade não têm metrô ainda, o que é inacreditável. Os governantes estão prometendo que haverá uma linha em 2017. Infelizmente temos visto essas promessas sendo feitas em torno das campanhas eleitorais e não sendoo cumpridas, então é uma demanda necessária. Só que isso exige um governo que não diga 'sim senhora, presidente' sempre, mas que cobre do governo federal os recursos para a construção".
 
O candidato ainda afirma que além desse investimento que exige a parceria e a aposta do governo federal, há modalidades que podem ser desenvolvidas a partir da iniciativa da própria prefeitura, como o transporte hidroviário, que seria uma modalidade barata e combateria o excesso de tráfego. Robaina vê nesta proposta a saída para o controle do transporte público, que hoje em Porto Alegre, é feito por empresas privadas. "É uma concessão pública, mas é feito por empresas que aplicam tarifas altas. Então, nós queremos fazer corretamente as licitações e estabelecer um controle público desse modelo de transporte."
 
Em relação a Saúde e a Educação, o candidato é incisivo na questão dos concursos públicos e ressalta a importância de uma política de saúde que não a transforme em mercadoria. "Aqui em Porto Alegre a gestão da saúde é péssima. No município o que nós queremos fazer é levar o debate nacional sobre uma política de saúde que não a transforme em uma mercadoria como é hoje, aumentar as equipes de saúde da família realizando concursos públicos e tirando a gestão da saúde dessas terceirizadas", disse Robaina, completando: "A necessidade de recursos para a Educação sempre é grande. Mas aqui, a maior carência que existe é a falta de professores. Tem que ter concurso público, é inevitável. Precisamos ter um plano de contratação para eles, o que pressupõe aumento da receita.
 
Quando questionado sobre o tema Segurança, o candidato ressalta que medidas como iluminação na cidade e aumento de efetivo da guarda municipal são importantes, mas, além disso, a junção de uma política de investimento social é imprescindível, como cultura e esporte, principalmente para os jovens. "Um ponto que, para nós, é importante é que se a prefeitura cortar os cargos de confiança e combater os privilégios, isso já vai ser uma revolução. Uma medida como essa permite que a sociedade se desenvolva", finalizou Robeto Robaina.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações