Concurso PF: primeiro ano de Moro mantém déficit e reduz operações

Com menos servidores, o primeiro ano de Sergio Moro à frente da Segurança Pública apresentou queda nos índices de prisões e operações.

Após completar um ano como ministro da Justiça e Segurança Pública, os números de Sergio Moro não são favoráveis. Dois indicadores importantes apresentaram uma redução nesse período, sendo eles os de prisões e operações. Além disso, manteve-se o déficit de policiais na Polícia Federal.

Toda essa queda na produtividade pode ser caracterizada de maneira evidente pela falta de servidores na PF. A corporação é uma das que apresentam uma grande necessidade de pessoal.

"Faltam 4 mil policiais em nossos quadros", disse o delegado Edvandir Paiva, presidente da Associação dos Delegados da Policia Federal - a ADPF.

Segundo informações do Jornal Estadão, desde 2013 que os dois indicadores não registram uma queda parecida. De lá para cá, o número de prisões e operações subia, com recorde em 2018.

O presidente da associação considera que a carência de servidores na PF é um dos principais motivos que atrapalha o trabalho da polícia no combate ao crime. Ele ainda cita o fato de que a Polícia Federal ficou dez anos sem concurso, de 2004 a 2014.

"A Polícia Federal chegou a um ponto em que, realmente, se não houver mais investimento, ela vai estacionar ou até diminuir o número de operações. Nós estamos extraindo o máximo possível com efetivo e orçamento que temos", comenta.

(Foto: Divulgação)
Primeiro ano da gestão de Moro é marcado por queda nos indicadores
(Foto: Divulgação)


PF envia pedido de concurso e espera resposta do Governo

Se o problema para resolver é a queda na produtividade pela falta de servidores, a solução é realizar um novo concurso. Para isso, a Polícia Federal encaminhou ao Governo Federal um pedido para divulgar um novo edital de concurso PF.

Em junho, a Polícia Federal confirmou o envio de pedido de concurso ao Governo, no prazo limite de até 31 de maio. Dois meses depois, a diretora de Gestão de Pessoal substituta, Vanessa Gonçalves Leite Souza, confirmou uma demanda para cargos de níveis médio e superior, das áreas Administrativa e Policial.

Juntos, somam-se 834 vagas. Um dos pedidos tem como objetivo preencher 600 vagas de agente policial, que exige nível superior em qualquer área e carteira de habilitação e proporciona ganhos de R$12.441,26.

Foi confirmado, também, um pedido para o cargo de agente administrativo, pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio Boudens, com exclusividade à FOLHA DIRIGIDA. O pedido da área de apoio contemplará a 234 vagas.

Todavia, esse quantitativo ainda poderá ser maior. Isso porque o próprio presidente da ADPF confirmou a possibilidade de uma autorização para 3 mil vagas.

Sobre esse quantitativo, o presidente da federação, Luis Boudens, comentou que a PF enviou, junto ao pedido, uma minuta que solicita a permissão para 3.460 vagas a mais, nessas mesmas áreas.

Para Boudens, essa demanda ainda pode ser maior, pois há uma luta, junto ao Governo, para a criação de novos cargos administrativos, podendo chegar a 5 mil vagas. Mas, essas informações seguem apenas em estudo. Apenas após o aval do governo é que será conhecido o quantitativo oficial.

Pedido de concurso PF 2020

Carreira Requisitos Remuneração
Agente administrativo Nível médio completo R$4.710,76
Plano Especial de Cargos da PF Nível superior em várias áreas  R$5.554,87
Agente policial Nível superior em qualquer + CNH R$12.441,26

 
Curso de formação do concurso PF é suspenso, após Coronavírus

Os aprovados na última seleção da Polícia Federal devem ficar atentos. Isso porque na última semana a PF suspendeu a matrícula e realização da segunda turma do Curso de Formação Profissional (CFP) do concurso PF 2018.

O comunicado foi divulgado no Diário Oficial da União e já está em vigor. A suspensão também foi anunciada pelo Cebraspe, a banca organizadora. A paralisação permanecerá enquanto perdurar o estado de emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Coronavírus (COVID-19).

O curso de Formação Profissional da Polícia Federal é realizado com caráter eliminatório como última etapa do concurso público. O regime é o de internato, que exige do aluno uma dedicação em tempo integral com frequência obrigatória e dedicação exclusiva.

Assim que retomado, e iniciado o período do curso e da matrícula, os alunos deverão comprovar idade mínima de dezoito anos completos, estando capacitados física e apresentar a seguinte documentação:

  1. Atestado médico de que está apto para a prática de atividades físicas, expedido há, no máximo, 15 dias antes do início do curso, conforme modelo constante no edital;
  2. Declaração de não estar cumprindo sanção por inidoneidade, aplicada por qualquer órgão público e(ou) entidade da esfera federal, estadual e(ou) municipal, a ser preenchida no momento da matrícula;
  3. Autorização para obtenção, pela Polícia Federal, de dados médicos referentes ao candidato, a ser preenchida no momento da matrícula;
  4. Autorização para obtenção, pela Polícia Federal, de dados funcionais junto a órgãos públicos, autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista e pessoas jurídicas de direito privado, a ser preenchida no momento da matrícula.
     

Confira o material de preparação da FOLHA DIRIGIDA e comece já os estudos para o concurso!

✔ E-books 
✔ Provas para download
✔ Artigos sobre concursos
✔ Editais verticalizados
✔ Vídeos com dicas