Concurso PF administrativo: aposentadorias deverão agravar déficit

À espera de concurso para área de apoio, Polícia Federal tem déficit de 5 mil profissionais e 679 aptos a se aposentar.

A área administrativa da Polícia Federal (PF), sem reposição de pessoal há mais de cinco anos, também é motivo de preocupação para a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef). Por isso, a entidade conclui um estudo aprofundado sobre a atual carência na área de apoio, a fim de mostrar à corporação que um pedido de concurso para a área de apoio é fundamental.

Em nova entrevista à FOLHA DIRIGIDA, o presidente da Fenapef, Luís Antônio Boudens, detalhou mais sobre o déficit de pessoal, que gira em torno de 5 mil servidores, e disse que essa carência vai aumentar em virtude das aposentadorias.

"Temos ampla necessidade de reposição de servidores administrativos nas unidades onde são executadas atividades de controle e fiscalização, como portos, aeroportos e fronteiras. Além disso, também nas delegacias, onde há múltiplas demandas nos setores de controle de produtos químicos e de segurança privada, passaporte e imigração, bem como do trabalho essencial desses profissionais nos setores de logística, contratos, telecomunicações e de recursos humanos."

Boudens pontua ainda que a área de apoio, chamada também de atividade- meio, não é menos importante do que a atividade-fim do órgão (ou seja, os policiais federais).

"Esse suporte exige conhecimento técnico, disponibilidade igual ao dos policiais em muitas situações, principalmente na área de Saúde e de suporte técnico-logístico
(materiais, passagens, diárias, etc.). Sem eles, a Polícia Federal poderia parar ou reduzir drasticamente o fluxo de operações regulares do órgão", explicou.

Com relação a aposentadorias, o presidente da Fenapef revela que, dos cerca de 3 mil servidores administrativos da PF que atuam hoje, 679 deles já estão aptos a se aposentar.

"Em um cenário de reforma da Previdência, é muito provável que as aposentadorias ocorram em massa e o quadro, que já é reduzido, seja esvaziado de forma a comprometer a boa prestação de serviços pela PF", observa.

concurso PF (Foto: Divulgação/ PF)
Polícia Federal tem déficit de, aproximadamente, 5 mil na área de apoio
(Foto: Divulgação/ PF)


Nos últimos acordos estabelecidos entre as entidades da PF, já havia, segundo Luís Antônio, o indicativo da necessidade de contratação de, pelo menos, 5 mil servidores administrativos.

"Na reunião mais recente, esse número foi repetido e a direção-geral do órgão prometeu empenho máximo para que o quantitativo de servidores do Plano Especial de Cargos seja restabelecido", destacou.

• PF quer chamar mil policiais aprovados e pode abrir novo concurso
• Concurso PF: excedentes querem mudanças no edital e convocações
• Concurso PF vai ter mais uma turma de aprovados, sinaliza ADPF

Fenapef pedirá 2 mil vagas para concurso PF de agente administrativo

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef),  Luís Antônio Boudens, já havia informado com exclusividade à FOLHA DIRIGIDA que a federação finalizava um estudo com dados de déficit da área de apoio da corporação e o objetivo é que a PF solicite um novo concurso para servidores administrativos ao Ministério da Economia.

Segundo Boudens, será solicitada a contratação de mais 2 mil oficiais de Polícia Federal, que ocupam cargos da área de apoio. Entre eles, está o cargo de agente administrativo. 

Os interessados nesta carreira devem possuir o ensino médio. A remuneração é de R$4.710,76 já com o auxílio-alimentação de R$458. O regime de contratação é o estatutário, que assegura a estabilidade.

A demanda de novo concurso para a carreira de agente administrativo da PF também foi levantada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL). Recentemente em sua conta no Twitter, o parlamentar  defendeu a contratação de mais agentes administrativos da Polícia Federal.

.Concurso PF nível médio: Eduardo Bolsonaro pode levar demanda a Moro

De acordo com ele, esses servidores devem ser direcionados às tarefas de fiscalização e de controle, para que os policiais de carreira possam se dedicar apenas às investigações.

Por compactuar com a causa, ele pode ser o responsável por levar a demanda de um novo concurso para o cargo de nível médio ao ministro da Justiça, Sérgio Moro. No dia 11 de abril, o parlamentar se reuniu com servidores administrativos da Polícia Federal, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

.Escritório de inteligência de Sérgio Moro deve exigir concursos PF

Último concurso PF para área de apoio foi em 2013

Em 2013, a Polícia Federal abriu seu último concurso para a área de apoio, que trouxe 566 vagas. Desse número, 534 delas foram destinadas apenas para a carreira de agente administrativo, que requer somente o nível médio.

O Cebraspe foi o organizador da seleção, que foi composta por uma prova objetiva para todas as funções, além de um exame discursivo para o nível superior. As carreiras ofertadas para graduados foram nos cargos de administrador, assistente social, psicólogo e contador, entre outros.

O concurso reuniu 324.497 inscritos em todo o país, sendo 318.832 apenas para o cargo de agente de nível médio.