Folha Dirigida Entrar Assine

Com mais de 4 mil cargos vagos, PF precisará de novo concurso

O número de cargos vagos da Polícia Federal cresce a cada mês. O cargo de agente já apresenta uma carência de 2.425 servidores.

A Polícia Federal sofre com uma grande carência em seu quadro de pessoal. Embora a corporação e suas devidas categorias lutem para que haja uma chamada de excedentes da seleção em andamento, a melhor solução será a realização de um novo concurso público.

Isso porque a chamada de apenas mil novos policiais não resolveria nem a metade do problema da corporação. De acordo com dados obtidos junto a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), estão em falta 4.330 servidores.

Desses mais de 4 mil cargos vagos, a maior demanda é na carreira de agente. O déficit é de 2.425 profissionais para o cargo que costuma ter a maior procura, pois exige apenas o nível superior em qualquer área.

Os cargos de escrivão e delegado são as carreiras que também contam com grande déficit. O primeiro necessita de 970 servidores para repor a carência, enquanto para delegado o número chega a 680 cargos vagos.

As carreiras de perito e papiloscopista vêm logo atrás com 130 e 125 servidores em falta, respectivamente. Dessa forma, nem as 500 vagas previstas em edital, tampouco a chamada de uma nova turma serão capazes de suprir toda a necessidade da corporação.

Confira na tabela abaixo o número de cargos vagos e a quantidade de vagas do último edital:

Carreira Cargos vagos Vagas do edital 2018
Agente 2.425 180
Escrivão 970 80
Delegado 680 150
Perito 130 60
Papiloscopista 125 30

Concurso PF deve ter mais uma turma de aprovados

Além das 500 vagas previstas em edital, a PF deverá chamar mais uma turma de aprovados e somar mil convocados nessa seleção. A informação foi passada pelo presidente da ADPF, Edvandir Paiva, e confirmada pelo vice-presidente, Luciano Leiro, em entrevista exclusiva à FOLHA DIRIGIDA.

Luciano Leiro explicou que as tratativas junto ao Governo Federal, para que essa medida seja concretizada, está caminhando em passos largos. Segundo ele, havia uma indecisão se a melhor alternativa seria chamar mais aprovados e formar duas turmas com 500 candidatos cada ou realizar um novo concurso. 

Sobre esse impasse, Luciano acredita que o governo e o Ministério da Justiça já chegaram a um consenso, segundo foi passado pela própria PF, embora ainda não haja uma confirmação oficial.

"Havia uma dúvida se a intenção seria abrir um novo concurso ou aproveitar os excedentes. O que nos foi passado é que essa decisão (em vez de fazer um novo concurso chamar os excedentes) já teria sido tomada", disse o vice-presidente da associação.

O vice-presidente da ADPF, no entanto, deixa claro que mesmo com a decisão eles ainda lutarão para que um novo concurso possa ser realizado. A asssociação entende a necessidade e reconhece que apenas mil vagas não serão suficientes para suprir o déficit de servidores da PF.

PF sofre com déficit e novo concurso é solução (Foto: Planalto)
PF precisa de novo concurso para amenizar défict de pessoal
(Foto: Planalto)

Sobre o último concurso

Após muita espera, o edital do último concurso da PF (que ainda está em andamento) foi publicado em junho de 2018 com a oferta prevista de 500 vagas. Os cinco cargos em disputa exigem nível superior, sendo apenas o escrivão e agente em qualquer área e os demais em específicas.

Foram recebidas mais de 147 mil inscrições, sendo a maior procura para a carreira de agente. Desses, todos foram convocados paras as provas, mas quase 35 mil não compareceram ao exame objetivo e foram eliminados do concurso.

A seleção foi composta por diversas etapas, sendo elas:

 - Prova objetiva;
- Prova discursiva;
- Exame de aptidão física;
- Prova oral (somente delegado);
- Avaliação médica;
- Avaliação psicológica;
- Avaliação de títulos (somente delegado e perito);
- Prova prática de digitação (somente escrivão).
- Investigação social;
- Curso de formação.

A maioria das fases foram realizadas em todas as capitais, além do Distrito Federal. Os contratos serão pelo regime estatutário, que assegura a estabilidade. 



Comentários