Concurso PC-SP é autorizado com 2.939 vagas e ganhos de até R$9,8 mil

Concurso PC-SP é autorizado pelo governador João Doria. O aval é para a Polícia Civil-SP preencher 2.939 vagas.

Concurso está previsto para ser lançado em 2020
Concurso PC-SP é autorizado, com 2.939 vagas 
(Foto: Divulgação)

Está autorizado o concurso PC-SP 2019, que contará com 2.939 vagas em cargos de nível superior. O aval foi concedido pelo governador de São Paulo, João Dória. 

O despacho de autorização saiu no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira, 4.

A Polícia Civil de São Paulo iniciará agora os preparativos da seleção e definirá a banca que organizará a seleção.

A Fundação Vunesp vem organizando as seleções da corporação e, por isso, é a mais cotada para ficar à frente do concurso.

O aval do governo é para o preenchimento de 1.600 vagas de escrivão, 900 de investigador de polícia, 250 de delegado de polícia e 189 de médico legista.

A autorização prevê a realização do concurso para 2019 e contratação no ano que vem.

• Demora em concursos e nomeações deixa PC-SP com déficit e envelhecida
• Com 13 mil cargos vagos, Polícia Civil-SP prepara novo concurso

“À vista dos elementos de instrução do processo, da representação do Secretário da Segurança Pública e das manifestações da Secretaria da Fazenda e Planejamento, autorizo a Pasta requerente a adotar as providências necessárias para a abertura de concurso público”, diz o despacho do governador. 



Estude para o concurso PC-SP

O que precisa para fazer o concurso PC-SP?

Os cargos do concurso PC-SP são destinados a quem possui o nível superior e carteira de habilitação. As remunerações variam de R$ 3.743,98 a R$ 9.888,07, de acordo com o cargo. Confira abaixo:

CARGO REQUISITO VAGAS SALÁRIO INICIAL
Delegado de polícia Nível superior em Direito e
experiência de dois anos
250

R$ 9.888,07

Médico legista Nível superior em Medicina 189

R$8.285,66

Escrivão de polícia Nível superior em qualquer área
e CNH B ou superior
1.600

R$ 3.743,98

Investigador de polícia Nível superior em qualquer área
e CNH B ou superior
900

R$ 3.743,98


Para o cargo de delegado de polícia, o pré-requisito é o curso de bacharel em Direito, além de experiência de dois anos.

A carreira de médico legista exige nível superior em Medicina e teve a última seleção realizada no ano de 2014, quanDo foram disponibilizadas 140 vagas.

As funções de escrivão e investigador de polícia exigem formação de ensino superior em qualquer área e tiveram o último concurso realizado no ano passado, quando 800 oportunidades foram ofertadas para o primeiro cargo e 600 para o segundo. 

Concursos anteriores tiveram cinco etapas

As quatro carreiras contempladas neste novo concurso tiveram concursos organizados nos últimos seis anos pela Fundação Vunesp.

O concurso para investigador e escrivão foi realizado em cinco etapas em 2018: prova objetiva, prova escrita, comprovação de idoneidade mediante investigação social, prova oral e prova de títulos.

Os candidatos responderam a 100 questões na primeira fase nas áreas de Língua Portuguesa, Noções de Direito, Noções de Informática, Criminologia, Lógica e Atualidades.

Quem disputou a carreira de delegado de polícia em 2018 foi submetido a provas objetiva, escrita e oral, investigação social e prova de títulos.

A avaliação objetiva teve 100 questões de múltipla escolha de Direito Penal, Direito Processual Penal, Legislação Especial, Direito Constitucional, Direitos Humanos, Direito Administrativo, Direito Civil, Medicina Legal e Noções de Informática.

A seleção para contratação de médico legista em 2014 teve cinco fases: prova objetiva de múltipla escolha, prova de aptidão psicológica (PAP), prova de aptidão física (PAF), comprovação de idoneidade e conduta escorreita, e prova de títulos.

O caderno de prova objetiva foi constituído de 100 questões distribuídas entre Língua Portuguesa, Noções de Direito, Criminologia, Lógica, Informática e Conhecimentos Específicos.

Atribuições dos cargos

São atividades inerentes ao exercício do cargo de investigador de polícia:

  • realizar diligências investigatórias e de policiamento preventivo especializado;
  • cumprir requisições escritas ou verbais atinentes ao trabalho de polícia judiciária, emanadas pela Autoridade Policial;
  • cumprir mandados;
  • elaborar documentos de polícia judiciária e relatórios circunstanciais;
  • escoltar presos;
  • realizar prisões e apreensões;
  • manter a segurança de locais onde se desenvolve a atividade policial civil;
  • atender ao público interno e externo, no desempenho da atividade policial;
  • intervir, a qualquer tempo, em ocorrências de natureza criminal;
  • conduzir viaturas policiais;
  • transportar pessoas e coisas vinculadas a ocorrências policiais, conservar, manusear e empregar armas de fogo e equipamentos menos letais;
  • portar arma de fogo e atuar em campo com possibilidade de exposição a situações de conflito armado;
  • executar demais atos compatíveis com a atividade de polícia judiciária e administrativa.

O candidato que tomar posse no cargo de escrivão de polícia terá as seguintes atividades:

  • elaboração de registros digitais de ocorrência - RDO;
  • termos circunstanciados;
  • inquéritos policiais em todas as suas formas de instauração;
  • processos administrativos;
  • sindicâncias;
  • apurações e demais peças e documentos policiais, tendo ainda como atribuição a organização cartorária, sob a presidência direta do Delegado de Polícia), além das funções previstas na Portaria DGP nº 30/12 e na Lei nº 207, de 5 de janeiro de 1979 (Lei Orgânica da Polícia do Estado de São Paulo).

Ao delegado de polícia, compete:

  • exercer atos inerentes à gestão dessa atividade;
  • presidir os atos de polícia judiciária e a apuração das infrações penais, praticar atos de polícia administrativa e exercer policiamento preventivo especializado;
  • presidir a investigação criminal e as ações a ela relacionadas, dentre as quais aquelas previstas no Código de Processo Penal e na legislação extravagante;
  • portar arma e atuar com possibilidade de exposição a situações de risco;
  • mediar conflitos.

De acordo com último edital, para o preenchimento de vagas para o posto de médico legista, são competências básicas da função:

  • executar autópsias ou exames necroscópicos em humanos, em partes de cadáveres putrefeitos e esqueletizados;
  • executar perícias de exumação;
  • coletar amostras biológicas de humanos, para fins de exames complementares;
  • realizar exames periciais de natureza antropológica;
  • realizar exames periciais em vivos: lesões corporais, sexológicos, embriaguez, toxicológicos e também nas especialidades médicas;
  • acompanhar equipes de perícia em local de crime contra a pessoa, quando necessário, a critério da Autoridade requisitante;
  • zelar pela cadeia de custódia;
  • dirigir viaturas e portar armas;
  • atender locais de crimes com características diversificadas, incluindo contato direto com pessoas portadoras de doenças contagiosas ou com substâncias tóxicas (agentes físicos, químicos e/ou biológicos);
  • atender ao público em geral. 



Comentários