Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

PM-TO: polícia explica suspensão e fala sobre futuro do concurso

PM-TO: polícia explica suspensão e fala sobre futuro do concurso

FOLHA DIRIGIDA conversou com a assessoria da Polícia Militar do Tocantins, que explicou os próximos passos do concurso.

*Matéria atualizada em 16/04/2018, às 13h. 
 
Uma das seleções que têm deixado os concurseiros ansiosos é o concurso da Polícia Militar de Tocantins, que foi suspenso em razão da cassação do mandato do governador Marcelo Miranda. Após o ministro do STF, Gilmar Mendes, ter decidido preliminarmente pela suspensão da cassação do governador, surgiu a dúvida do que pode acontecer então com o concurso da PM-TO.
 
soldados PM-TO

PM-TO aguarda decisão judicial para continuar concurso
(Foto: Divulgação)

FOLHA DIRIGIDA entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da polícia e conversou com o capitão Gleidson Carvalho, que explicou o futuro do concurso. Ele informou que a seleção  ainda não está definida porque aguarda decisão judicial a fim de dar continuidade à seleção.
 
“A cassação do governador Marcelo Miranda vai ser julgada amanhã (esta quinta, 12 de abril). Está um impasse sobre quem vai assumir o estado, se é o governador cassado ou o interino. Nós precisamos que essa situação se defina para que o concurso prossiga”, explicou o capitão Carvalho.
 
Até o momento da publicação desta matéria, o julgamento dos embargos do governador Marcelo Miranda estava marcado para o dia 12 de abril, mas posteriormente foi remarcado para o a data de provável de 17 de abril, a partir das 19h. 

Procuradoria entrou com recurso contra decisão do Tribunal de Justiça

O assessor da PM-TO também informou que a Procuradoria Geral de Justiça de Tocantins entrou com recurso na noite da última terça-feira, 10, com o intuito de viabilizar a volta do concurso público. O entendimento da Procuradoria é de que o concurso não é capaz de dar prejuízo ao Estado.
 
Capitão Gleidison explicou também que a decisão do TJ ordenava que o governador Marcelo Miranda não provocasse mais gastos para o Estado até ter a situação de seu mandato definida. Por isso, foi interpretado que o concurso da PM-TO devia ser suspenso, por se tratar de um gasto.
 
“Eu acredito que essa interpretação é um equívoco. Eu acho que as fases do concurso, que já estavam em andamento, poderiam continuar. Os gastos só viriam na contratação, então o Estado não ia poder nomear, mas daria para realizar as fases do concurso”, revelou.

Banca AOCP já tem resultado da primeira fase do concurso 

Outra informação importante dada pela Assessoria de Comunicação da Polícia Militar-TO é de que o resultado da primeira fase do concurso, que foi realizada antes da suspensão, já foi contabilizado pela banca AOCP.
 
Mas, mesmo com os resultados em mãos, a banca organizadora do concurso não poderá divulgá-los enquanto não sair a decisão judicial. Enquanto isso, os concurseiros devem aguardar as próximas atualizações.
 
As provas objetivas e dissertativas do concurso foram realizadas no dia 11 de março. Os classificados nessas avaliações ainda terão exame de capacidade física, avaliação psicológica, avaliação médica e odontológica e investigação social.

Seleção PM-TO não sofre risco de ser cancelada

Em conversa anterior com a assessoria da PM-TO, foi informado à FOLHA DIRIGIDA que mesmo estando suspenso, o concurso não corre risco de ser anulado. "Não há possibilidade de cancelamento do concurso, mas é necessário aguardar a posse de novo governador e deliberações posteriores", ressaltou o membro do setor.
 
A Polícia Militar de Tocantins reforçou ainda que realizou todo o planejamento do concurso dentro da legalidade da lei, na intenção de receber novos membros o quanto antes. “No que tange ao trâmite legal do concurso, este corre normalmente, sem questionamentos. A instituição realizou planejamento para a execução da seleção, visando o ingresso dos novos membros às fileiras da corporação o mais breve possível”, explicou.

Concurso PM-TO está suspenso: entenda

Segundo decisão do Tribunal de Justiça, o concurso da Polícia Militar do estado está suspenso. O motivo seria a cassação do mandato do governador do estado, Marcelo de Carvalho Miranda. A informação foi divulgada no portal no Ministério Público no dia 26 de março.

O MP foi o órgão que solicitou a suspensão do concurso ao TJ. Segundo a notícia publicada em seu site, a ação foi motivada pela investigação que o governador do estado está sofrendo devido à denúncias de condutas em desacordo com a lei. Os mandatos do chefe de estado e de sua vice-governadora foram definitivamente cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 22 de março.

Seleção recebeu mais de 120 mil inscrições

Com o último concurso da PM-TO realizado em 2013, os concurseiros de Tocantins estavam ansiosos por uma nova seleção. Em 2018, 120 mil candidatos se inscreveram para concorrer a uma das 1.040 vagas ofertadas.

A seleção pública para a Polícia Militar do Tocantins preencherá 1.040 vagas, sendo mil para o cargo de soldado, distribuídas em 900 para o sexo masculino e 100 vagas para feminino. E as demais 40 para o cargo de cadete I, com 36 para homens e quatro para mulheres.
 

SEU CONCURSO TEM TESTE FÍSICO? CONFIRA AS DICAS! 

CADASTRE-SE AGORA E VEJA MAIS SOBRE ESTE CONTEÚDO

OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações