MP apura supostas irregularidades no teste físico do concurso PM-RN

Possível irregularidade no teste físico do concurso PM-RN motivou um inquérito civil pelo Ministério Público do Estado. Entenda!

O Ministério Público do Rio Grande do Norte abriu um inquérito civil para apurar supostas irregularidades no teste de aptidão física (TAF) do concurso PM-RN para soldados. O motivo foi o possível favorecimento de um candidato na etapa.

A portaria que instaura o inquérito foi publicada no Diário Oficial do Estado de 15 de outubro. De acordo com o texto, um participante aprovado no teste físico não teria completado um dos exercícios solicitados na etapa para ingresso na Polícia Militar do Rio Grande do Norte.

Os demais companheiros de turma teriam visto que o candidato não concluiu o requisitado em edital. Segundo a investigação, ele passou de “inapto” no resultado preliminar para “apto” no resultado final. 

O promotor responsável pelo caso, Vitor Emanuel de Medeiros Azevedo, da comarca de Natal, determinou o envio, em cinco dias, da cópia de gravação do TAF. Assim como o recurso e o julgamento positivo para o candidato favorecido.

Teste físico do concurso PM-RN gera suspeita de irregularidades
(Foto: Divulgação/Governo do Amapá)

 

Conforme o promotor, o inquérito não atrapalha o andamento das demais fases do concurso PM-RN, porque se trata de um caso isolado. A Polícia Militar do Rio Grande do Norte ainda não se posicionou sobre a investigação.

Os testes de aptidão física foram realizados entre os meses de setembro e outubro. Na execução dos exercícios, foram concedidas duas tentativas ao candidato, exceto na corrida de 12 minutos e no abdominal remador.

De acordo com calendário divulgado no dia 8 de julho, o curso de formação para aprovados no concurso PM-RN está previsto para janeiro de 2020. As aulas devem acontecer até agosto do mesmo ano.

Assine a Folha Dirigida e turbine sua preparação

Concurso PM-RN oferece mil vagas para soldados

Aberto em 2018, o concurso PM-RN tem a oferta de mil vagas para carreira de soldado. Para se inscrever foi necessário ter nível superior; altura de 1,65m para homens e 1,60m para mulheres; idade entre 21 e 30 anos; e carteira de habilitação na categoria B. 

Durante o curso de formação, os aprovados terão direito a bolsa de R$954. Depois de formado, o valor pago ao soldado na classe inicial passa para R$2.904.

A seleção atraiu o total de 12.841 candidatos. Mais da metade, no entanto, cerca de 60%, não compareceu à aplicação das provas objetivas, em setembro do ano passado.

Os exames foram realizados nas cidades de Natal, Mossoró e Caicó. Os participantes tiveram até cinco horas para responder a 80 questões de múltipla escolha. Além de escrever uma redação dissertativa.

Para ser considerado aprovado foi preciso alcançar 60% do total de pontos e, no mínimo, 40% em cada disciplina. Os habilitados foram submetidos ao TAF. As próximas avaliações serão: avaliação psicológica, investigação social, análise de títulos e o curso de formação. 

Comentários