Provisório da redação deve sair nesta terça-feira

O resultado provisório da redação do concurso para soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PM-RJ) está previsto para às 20h desta terça-feira, dia 4 de novembro, no site da Exatus, organizadora. O prazo de vista da redação e entrega de recursos é de 4 a 10 deste mês. O resultado dos recursos da redação, junto com a classificação, estão marcados para o dia 20.

O resultado provisório da redação do concurso para soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PM-RJ0 está previsto para às 20h desta terça-feira, dia 4 de novembro, no site da Exatus, organizadora. O prazo de vista da redação e entrega de recursos é de 4 a 10 deste mês. O resultado dos recursos da redação, junto com a classificação, estão marcados para o dia 20.

Serão aprovados na prova objetiva os candidatos que não zerarem nenhuma disciplina e alcançarem o mínimo 50% de acertos (20 pontos). Para ser aprovado na redação, que vale dez pontos, também é necessário obter 50% dos pontos. Serão corrigidos os textos dos candidatos aprovados na prova objetiva até o limite de cinco vezes o número de vagas. Para efeito de desempate, terá vantagem aquele que tiver a maior nota, na seguinte ordem: redação, Português, História, Sociologia, Geografia, Informática, Legislação de Trânsito e Direitos Humanos. Por último, maior idade.

A segunda etapa do concurso será o exame psicológico, eliminatório, tendo como objetivo aprovar os candidatos que possuem funções mentais e habilidades específicas, além de características de personalidade compatíveis com o cargo. Já a terceira fase constará de exame antropométrico, mediante verificação do Índice de Massa Corporal (IMC), de acordo com a tabela no subitem 12.3.2 do edital. Ainda haverá exame físico, teste toxicológico, exame médico e pesquisa social e documental (4ª, 5ª, 6ª e 7ª etapas, respectivamente). A seleção destina-se ao preenchimento de 6 mil vagas, 600 delas para mulheres.
 
Em virtude das supostas irregularidades, a deputada estadual Janira Rocha (Psol) deu entrada em ação popular pedindo a anulação do concurso. Os candidatos cobram também do Ministério Público a investigação do caso. O consultor na preparação de candidatos do projeto “Cursultoria” e especialista na área de concursos, Marcus Silva, orienta os candidatos que se sintam prejudicados a recorrerem ao Poder Judiciário. "Minha sugestão é que aqueles que tenham se sentido prejudicados e que desejam ter seus direitos reparados procurem a via adequada, o Poder Judiciário, levantando todas as provas que julguem cabíveis", disse.

Serviço
Resultado: www.exatuspr.com.br

Comentários