Concurso PM-RJ: Governo autoriza convocação de 1.380 aprovados

Mais de 1.300 aprovados no concurso PM-RJ serão convocados para o Curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP).

*matéria atualizada no dia 05/07/2018, às 17h07

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, assinou nesta quinta-feira, 5 de julho, o decreto para convocação de 1.380 aprovados no concurso PM-RJ para iniciar o curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP). Os novos agentes serão convocados por turmas de 500 alunos, conforme a classificação no concurso realizado em 2014.

Atualização: No evento, o governador disse que seriam convocados 1.373 aprovados. No final da tarde desta quinta, 5, a Assessoria de Imprensa do Governo disse à FOLHA DIRIGIDA que o número, na verdade, é de 1.380 concursados. 

A previsão é que os policiais estejam atuando em diversas regiões do estado a partir de 2019. Durante a cerimônia realizada no Palácio do Catete, o governador destacou a importância dos novos profissionais para a Segurança Pública do Estado.

“É um sangue novo que entra para corporação. Isso rejuvenesce a polícia e nós precisamos de mais. De uma Polícia Militar rejuvenescida, ostensiva, presente em todas as áreas do estado para dar à população a sensação de segurança que ela merece”.

Sobre a possibilidade de abertura de novos concursos para Polícia Militar do Rio de Janeiro, Pezão disse que não será possível, tendo em vista que ainda existem concursados para serem contratados. A expectativa, segundo ele, é que a seleção seja renovada na nova gestão do governo estadual.

“Se surgirem mais vagas, nós vamos contratar para repor o efetivo na medida em que possamos ir pagando. Esse concurso deve ser renovado, se nós tivermos condições. Os concursos estão excepcionalizados, mas nós podemos contratar”, exclamou o governador do Rio.

Governador Pezão anunciou a contratação de 1.300 novos policiais militares
no Rio de Janeiro (Foto: Bruna Somma)

 

O concurso PM-RJ teve início há quatro anos, com oferta de 6 mil vagas para soldado. Desde então, apenas 1.175 ingressaram na corporação em 2015. Os demais aprovados aguardavam a convocação para o curso de formação. "(Eles) ficaram pendurados no meu 'zap' por oito meses", brincou Pezão sobre a cobrança dos concursados. 

Um deles é Alex Medeiros, representante dos aprovados no concurso PM-RJ. "Estamos felizes porque as coisas voltaram a andar. Entrando essas três turmas e começando o curso de formação, vai ficar faltando muito pouco para completar o total de vagas", disse em entrevista à FOLHA DIRIGIDA.

O principal impeditivo para chamada de aprovados era a questão financeira e o regime de recuperação fiscal, ao qual o estado do Rio de Janeiro se encontra desde setembro de 2017. “É um momento de satisfação, porque fizemos um concurso para 6 mil policiais e estamos conseguindo contratar 1.380 aprovados. Deu muito trabalho”, apontou Pezão.  

Estado do Rio de Janeiro perde 2 mil policiais militares por ano

De acordo com o governador do Rio de Janeiro, a Polícia Militar do Estado conta com déficit de 2 mil agentes por ano. Tal quantitativo inclui tanto aposentadorias quanto mortes em combates. Para suprir a carência, a Administração Estadual busca recursos junto ao governo federal.

“Eu queria que o estado estivesse em uma situação melhor para repormos tudo o que a gente perde. São quase 2 mil policiais por ano que se aposentam e morrem em combates. Conversamos com o presidente Michel Temer para excepcionalizar as áreas de saúde, educação e segurança pública. Porque, mesmo com a crise, não poderia deixar de estar repondo profissionais nessa área”.   

O regime de recuperação fiscal impede que novos concursos sejam realizados no estado do Rio de Janeiro. Pezão, no entanto, destacou a importância do ingresso no serviço público através dos concursos. “Nas nossas administrações, sempre valorizamos os concursos públicos privilegiando as áreas que são essenciais. Eu acredito no servidor público”, destacou.

Aprovados em outros concursos de segurança também serão convocados

Ao longo do evento para anunciar a convocação de 1.380 policiais militares, também foi debatida a chamada de aprovados em outros concursos de Segurança Pública do Rio de Janeiro. O governador Pezão, por exemplo, destacou as convocações também para Polícia Civil.

Cerimônia para assinatura da convocação dos novos policiais militares
(Foto: Bruna Somma)

 

Hoje, 96 papiloscopistas aguardam as nomeações para que comecem a atuar. O processo já está em tramitação na Secretaria de Casa Civil e Desenvolvimento Econômico do Rio. O deputado estadual, André Siciliano - presidente interino da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) – também esteve presente na cerimônia e disse que a convocação dos policiais militares é apenas o primeiro passo para a recomposição dos quadros de segurança.

“Temos outros concursados para serem chamados, mas demos o primeiro passo para que possamos minimizar essa área que precisa tanto de atenção. Com a intervenção, esperamos que o Rio consiga sair dessa fase difícil na segurança”. Foram lembrados os oficiais de cartório, pilotos policiais, agente penitenciários que aguardam por novas chamadas de seus concursos.

Comentários