Concurso PM-RJ: 400 aprovados são convocados para curso de formação

A Polícia Militar do Rio de Janeiro convocou 400 aprovados no concurso PM-RJ para iniciar o curso de formação de soldados.

Na próxima segunda-feira, 23 de julho, cerca de 400 aprovados no concurso PM-RJ começarão o Curso de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP). Esse quantitativo faz parte da autorização concedida pelo governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, no inicio do mês, para que sejam convocados 1.380 concursados.

De acordo com a Assessoria de Imprensa da Polícia Militar do Rio todos os aprovados já foram notificados e estão cientes da documentação que precisam apresentar. O curso terá duração de um ano. Por isso, os novos policiais só estarão nas ruas a partir de julho de 2019.

No curso, os alunos terão aulas teóricas e práticas. Além disso, os futuros agentes farão estágio auxiliando no patrulhamento preventivo, sobretudo em grandes eventos. Primeiro, os concursados receberão salário de aluno de R$2.213,62. Depois de formados, esse valor passa para R$3.452,55 – que é a remuneração inicial da carreira de soldado.

Curso de Formação tem aulas práticas e teóricas para os novos policiais
militares (Foto: PMERJ)

 

Dos 400 convocados para o Curso de Formação de Soldados, 221 são oriundos de concursos anteriores e foram chamados por força de decisão judicial. O restante prestou o concurso PM-RJ 2014. Sobre a proporção de gênero, a corporação segue o critério de 10% das vagas para mulheres.

A Assessoria da PM-RJ informou à FOLHA DIRIGIDA, no entanto, que “no caso específico dessa primeira turma, não há como garantir que essa proporcionalidade será seguida, porque mais da metade dos convocados foram chamados por força de decisão judicial”. 

Outros 981 aprovados do concurso PM-RJ 2014 serão convocados

Para chegar as 1.380 convocações que o governador autorizou, a Polícia Militar terá que chamar mais 981 aprovados para iniciar o curso de formação. Segundo a corporação, essas chamadas serão feitas de acordo com a ordem da classificação final do processo seletivo.

A Polícia Militar do Rio de Janeiro também trabalha na recuperação das instalações do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças para atender ao maior número de alunos possível. Questionada sobre prazos para as novas nomeações, a corporação disse que não pode precisar uma data.

No entanto, garantiu que todos os 981 concursados restantes serão convocados. “O ingresso está garantido, já que há autorização do Governo do Estado para convocá-los”, respondeu a assessoria da PM-RJ por nota. Durante a cerimônia realizada no Palácio do Catete para anunciar as convocações, o governador destacou a importância dos novos profissionais para a Segurança Pública do Estado.

“É um sangue novo que entra para corporação. Isso rejuvenesce a polícia e nós precisamos de mais. De uma Polícia Militar rejuvenescida, ostensiva, presente em todas as áreas do estado para dar à população a sensação de segurança que ela merece”.

concurso PM-RJ teve início há quatro anos, com oferta de 6 mil vagas para soldado. Desde então, apenas 1.175 ingressaram na corporação em 2015. Os demais aprovados aguardavam a convocação para o curso de formação. "(Eles) ficaram pendurados no meu 'zap' por oito meses", brincou Pezão sobre a cobrança dos concursados. 

Aprovados em outros concursos de Segurança também serão convocados

Ao longo do evento para anunciar a convocação de 1.380 policiais militares, também foi debatida a chamada de aprovados em outros concursos de Segurança Pública do Rio de Janeiro. O governador Pezão, por exemplo, destacou as convocações também para Polícia Civil.

Hoje, 96 papiloscopistas aguardam as nomeações para que comecem a atuar. O processo já está em tramitação na Secretaria de Casa Civil e Desenvolvimento Econômico do Rio. O deputado estadual, André Siciliano - presidente interino da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) – também esteve presente na cerimônia e disse que a convocação dos policiais militares é apenas o primeiro passo para a recomposição dos quadros de segurança.

“Temos outros concursados para serem chamados, mas demos o primeiro passo para que possamos minimizar essa área que precisa tanto de atenção. Com a intervenção, esperamos que o Rio consiga sair dessa fase difícil na segurança”.

Foram lembrados os oficiais de cartório, pilotos policiais, agente penitenciários que aguardam por novas chamadas de seus concursos.

No vídeo abaixo, assista à entrevista com o coronel Roberto Vianna:



Comentários