Fiscal do trabalho: pedido de concurso do MTE pode ser maior em 2017

O cargo de auditor do trabalho tem como requisito o ensino superior completo em qualquer área e garante remuneração inicial de R$16.201, havendo ainda previsão de reajuste.

O cargo de auditor do trabalho tem como requisito o ensino superior completo em qualquer área e garante remuneração inicial de R$16.201, havendo ainda previsão de reajuste.
 
Após o Ministério do Trabalho (MTE) ter confirmado que a moção aprovada pela Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), no mês passado, recomendando a realização imediata de concurso 2017 para auditor-fiscal do trabalho poderá sim servir de subsídio para um novo pedido de concurso para o cargo, a expectativa é pela apresentação da solicitação ao Ministério do Planejamento no primeiro semestre de 2017.
 
Este ano, o órgão enviou ao Planejamento solicitação visando à abertura de concurso para 847 vagas no cargo, que posteriormente foi atualizado, requerendo a liberação de 1.107 vagas para a seleção, como informou recentemente o MTE. O pedido, no entanto, não foi aprovado em função da suspensão dos novos concursos no Poder Executivo federal.
 
Leia também

Carência atual é de 1.144 vagas



Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida

Comentários