Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Saiba como serão as provas e entenda critérios de aprovação

A prova objetiva do concurso do INSS, única etapa da seleção, está marcada para o dia 15 de maio, em todas as capitais, além de outras cidades do país. Serão propostas 120 questões, pela manhã, para os concorrentes a analista, e à tarde, no caso dos candidatos a técnico. Os participantes podem concorrer a vagas de outras unidades federativas, fazendo as provas em outros estados. Essas opções devem ser apontadas no ato da inscrição. Conforme consta do item 7.4.1 do edital, “o candidato deverá optar pelo cargo/gerência executiva a que deseja concorrer e por uma cidade de realização de provas”.

A prova objetiva do concurso do INSS, única etapa da seleção, está marcada para o dia 15 de maio, em todas as capitais, além de outras cidades do país. Serão propostas 120 questões, pela manhã, para os concorrentes a analista, e à tarde, no caso dos candidatos a técnico. Os participantes podem concorrer a vagas de outras unidades federativas, fazendo as provas em outros estados. Essas opções devem ser apontadas no ato da inscrição. Conforme consta do item 7.4.1 do edital, “o candidato deverá optar pelo cargo/gerência executiva a que deseja concorrer e por uma cidade de realização de provas”.
 
Os candidatos a técnico responderão a 50 questões de Conhecimentos Básicos (Ética no Serviço Público, Regime Jurídico Único, Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo, Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Noções de Informática) e 70 de Conhecimentos Específicos. Para analista, haverá a mesma estrutura, mas as disciplinas são distintas. Em Conhecimentos Básicos, serão cobrados Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Noções de Informática, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Legislação Previdenciária, Legislação da Assistência Social, Saúde do Trabalhador e da Pessoa com Deficiência.
 
Será aprovado quem conseguir, pelo menos, dez pontos em Conhecimentos Básicos, 21 em Conhecimentos Específicos e 36 na soma das duas. Embora o objetivo principal do concurseiro seja passar dentro do número de vagas, esse concurso do INSS promete um bom número de convocações extras, o que aumenta as chances de contratação. Isso porque o Tribunal de Contas da União (TCU) fez uma auditoria recomendando a reposição das iminentes aposentadorias (mais de 10 mil) e afirmando que, caso isso não aconteça, o instituto poderá entrar em colapso. Segundo o maior órgão de fiscalização do país, até 2017, 18.420 servidores do instituto estarão em condições de aposentar-se, havendo a necessidade de repor essas vacâncias.

Por isso, é muito provável que o INSS solicitará um adicional de 50% das vagas do concurso ao Ministério do Planejamento, assim como fez nas últimas seleções, quando recebeu o aval da pasta. Em 2011, ano do último concurso, foram ofertadas 1.500 vagas de técnico, e o INSS fez 4.500 convocações. Isso porque, além do adicional de 50%, houve um despacho da presidente Dilma Rousseff autorizando mais contratações. Ciente das necessidades e com o desejo de aproveitar ao máximo o atual concurso, o INSS especificou em edital a formação de cadastro, mostrando aos candidatos que valerá a pena fazer parte dele.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações