Folha Dirigida Entrar Assine

Concurso INSS: confira nota de corte do técnico no edital de 2015

O último convocado para técnico do seguro social, em São Paulo, atingiu pontuação 2,8 vezes maior do que o mínimo exigido no concurso INSS.

Mais de um milhão de pessoas se inscreveram no último concurso INSS para técnico do seguro social, realizado em 2016. A alta concorrência para o cargo, que exige apenas o ensino médio completo, deve se repetir na próxima seleção para ingresso no Instituto Nacional do Seguro Social, solicitada ao Ministério do Planejamento.

Para sair na frente, um dos primeiros passos é saber quantos pontos serão necessários para aprovação. Como o novo concurso ainda aguarda por autorização do governo federal, a seleção anterior do INSS pode ser um bom guia para os estudos.

Há dois anos, São Paulo foi o estado que apresentou o maior número de vagas para técnico: 113. Desse quantitativo, apenas a gerência de Sorocaba, localizada a 87 kms da capital, ofereceu 20 vagas no concurso, sendo 17 de ampla concorrência.

O último convocado da lista geral para essa região fez 101 pontos na prova objetiva, cuja pontuação máxima era de 120. O edital, contudo, indicava que seria preciso obter apenas 36 pontos. Ou seja, para conquistar uma vaga como técnico do instituto o candidato teve que atingir pontuação 2,8 vezes maior do que o mínimo exigido.

INSS
INSS aguarda aval do Ministério do Planejamento para abrir novo
concurso para técnicos e analistas (Foto: Divulgação)

 

Além dos 36 pontos na prova objetiva, o concorrente deveria alcançar dez pontos em Conhecimentos Básicos e 21 em Conhecimentos Específicos. As disciplinas cobradas foram:

Conhecimentos Básicos:

  • Ética no Serviço Público;
  • Regime Jurídico Único;
  • Noções de Direito Constitucional;
  • Noções de Direito Administrativo;
  • Língua Portuguesa;
  • Raciocínio Lógico;
  • Noções de Informática.

Conhecimentos Específicos:

  1. Seguridade Social.

O concurso para o INSS teve oferta de 950 vagas, das quais 800 foram para técnico do seguro social (exigência de nível médio completo) e 150 para analista (com graduação em Serviço Social).

O instituto convocou, até o término da validade, em agosto deste ano, apenas o quantitativo imediato previsto no edital. O cadastro de reserva não foi utilizado, por falta de autorização do governo.

Somente este ano, 1.912 servidores do INSS se aposentaram

Sem a possibilidade de chamar mais aprovados no concurso, o órgão carece de novos servidores. O número de aposentadorias, por exemplo, aumenta a cada mês. Até setembro deste ano, 1.912 profissionais do INSS se aposentaram.

Veja, na tabela abaixo, o quantitativo de aposentadorias dos servidores do INSS desde a homologação do último concurso (agosto de 2016) até setembro de 2018. Os dados foram reunidos por meio do Painel Estatístico de Pessoal (PEP), do governo federal.  

Ano Nº de servidores do INSS aposentados
2016 (a partir de agosto) 299
2017 2.013
2018 (até setembro) 1.912

 

Outro dado agravante é que, de acordo com o próprio instituto, outros 16 mil servidores já reúnem condições necessárias para entrar com o pedido de aposentadoria, a partir de janeiro de 2019. Uma das principais consequências da falta de concurso para suprir esse déficit é a precarização dos serviços prestados pelo INSS.

Hoje população é obrigada a esperar mais tempo para conseguir a concessão de aposentadoria, auxílio-doença ou salário-maternidade. Há quem espere até seis meses para conseguir um desses benefícios.

INSS solicita abertura de 7.888 vagas em novo concurso

Para reverter essa situação, o INSS encaminhou ao Ministério do Planejamento pedido para autorização de concurso com 7.888 vagas. Desse número, 3.984 são para técnico (nível médio; R$5.186,79), 1.692 para analista (nível superior em áreas que ainda serão informadas; R$7.659,87) e 2.212 para perito (graduação em Medicina; R$12.638,79).

Em entrevista no começo de novembro, o presidente da autarquia, Edison Garcia, revelou que ainda não há uma resposta do governo sobre a autorização de concurso. No entanto, ele demonstrou esperança de que o pleito possa ser atendido em 2019.

“O Planejamento diz que há o ajuste fiscal, não tem previsão de concurso e está restritivo. A área técnica do Ministério do Planejamento diz que olha com bons olhos os órgãos que fazem o dever de casa para compensá-los com uma liberação de concurso. E como o INSS vem fazendo grande esforço de gestão, de mudança de procedimento e buscando eficiência, eles são muito animados com este trabalho e acham que é uma condição importante para um concurso em 2019”, disse Garcia. 

O orçamento da União para 2019 não consta verba para concurso INSS. Mesmo assim, ele poderá ser autorizado já que na verba consta uma reserva técnica de R$411 milhões para futuros concursos do interesse do próximo presidente.

Frente a grave necessidade por novos servidores, a expectativa é que a equipe econômica do presidente eleito, Jair Bolsonaro, possa autorizar concurso para a autarquia no ano que vem. No vídeo abaixo, saiba tudo sobre informática para o concurso INSS:



Comentários