Concurso INSS: procuradora já elabora ação para levar caso à Justiça

O concurso INSS está perto de parar da Justiça. Procuradora já realiza levantamento para encaminhar ação que recomenda a seleção.

Após o Ministério da Economia rejeitar a recomendação do Ministério Público Federal (MPF) para que fosse autorizado o concurso INSS, o órgão de fiscalização disse que vai levar o caso à Justiça. Nesta segunda-feira, 24, foi confirmado que a ação inicial já está sendo elaborada por uma das procuradoras responsáveis pelo caso. 

A informação foi transmitida pela Procuradoria da República no Distrito Federal (PRDF). Ainda são necessários alguns documentos e o levantamento de dados para subsidiar a ação civil pública. Por isso, o órgão não pode precisar ainda quando o caso será ajuizado. 

A Recomendação do MPF para uma autorização do concurso INSS foi assinada em conjunto pelas procuradoras Deborah Macedo Duprat de Britto Pereira, da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e Eliane Pires Rocha, da PRDF. 

. Governo rejeita recomendação e MPF vai pedir concurso INSS na Justiça

INSS (Foto: Divulgação)
MPF pediu autorização do concurso INSS para mais de 10 mil vagas
(Foto: Divulgação)

Economia disse que situação fiscal impede autorização de concurso

O pedido do MPF era para que o concurso fosse autorizado até maio, a fim de suprir o déficit de mais de 10 mil servidores na autarquia. No entanto, o Governo não acatou a Recomendação. Em nota, o Ministério da Economia disse que não seria possível dar o aval por conta da situação fiscal do país. 

"A situação fiscal do país limita a atuação da Administração Pública em ações que acarretem impactos orçamentário-financeiros tanto para este ano quanto para os exercícios subsequentes, o que impossibilita a autorização de realização de um concurso público para o INSS neste momento."

Enquanto isso, o número de cargos vagos tem prejudicado a prestação de serviços. Além dos mais de 10 mil já desocupados, outros 9 mil poderão sofrer vacâncias a qualquer momento por conta de aposentadorias.

O pedido de concurso do INSS encaminhado para análise do Governo prevê 7.888 vagas em um novo edital, além de outras 2.580 referentes à chamada de aprovados do concurso de 2015, com validade expirada.

Das oportunidades, 3.984 são para técnicos de nível médio, cuja remuneração inicial é de R$5.186,79. As outras são para o nível superior, sendo 1.692 de analista e 2.212 de médico perito, com iniciais de R$7.659,87 e R$R$12.638,79, respectivamente.

Como começar a estudar para o INSS

 

Cursos e preparação para o INSS

Medidas adotadas não suprem déficit de servidores

Questionado a respeito das medidas adotadas para lidar com o déficit de servidores no INSS, o Ministério da Economia disse que, entre elas, estão o mapeamento, otimização e automação de processos; a revisão de procedimentos e modernização de normativos internos; e a realocação de pessoal entre unidades do próprio órgão. 

A digitalização dos serviços e a cessão de funcionários da Infraero são outras medidas que já haviam sido anunciadas. Contudo, especialistas garantem que nenhuma delas extingue a necessidade de contratar servidores para o Instituto. 

Recursos de aposentadoria viram digitais, mas concurso INSS é necessário

Outra questão relacionada á falta de concurso no INSS é que, segundo a Recomendação assinada pelas procuradoras Deborah Macedo Duprat de Britto Pereira e Eliane Pires Rocha, isso tem gerado gastos muito altos para a Administração Pública. São valores proveniente de processos judiciais, além de multas. 

Em março do ano passado, eram 2,1 milhões de processos pendentes que aguardavam análise no INSS. Agora, com o déficit crescente de servidores, são quase 3 milhões. Os dados são da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps). 

Falta de concurso INSS gera gastos de R$4,6 bi aos cofres públicos

Último concurso INSS foi aberto em 2015

O último concurso para técnicos e analistas do INSS foi aberto há quatro anos com oferta de 950 vagas. O número, no entanto, já era considerado inexpressivo naquela época.

O organizador foi o Cebraspe. Já para médicos peritos, a seleção anterior ocorreu em 2011, com 375 vagas. A organização ficou por conta da Fundação Carlos Chagas (FCC).

Os candidatos a técnico foram avaliados por meio de prova objetiva com 120 questões sobre:

  • Ética no Serviço Público
  • Regime Jurídico Único
  • Noções de Direito Constitucional
  • Noções de Direito Administrativo
  • Língua Portuguesa
  • Raciocínio Lógico
  • Noções de Informática
  • Conhecimentos Específicos

Já os concorrentes a analista responderam a questões sobre:

  • Português
  • Raciocínio Lógico
  • Noções de Informática
  • Direito Constitucional
  • Direito Administrativo
  • Legislação Previdenciária
  • Legislação da Assistência Social
  • Saúde do Trabalhador e da Pessoa com Deficiência

Para peritos, a seleção foi composta de provas objetiva e de títulos. Na primeira foram 30 questões sobre:

  • Português
  • Ética no Serviço Público
  • Noções de Direito Constitucional
  • Noções de Direito Administrativo
  • Conhecimentos Específicos



ASSINE

Para ter acesso a este conteúdo, notícias e preparativos

ASSINAR


Comentários