Folha Dirigida Entrar Assine

Como fazer um planejamento financeiro para o concurso INSS

Especialista em finanças pessoais ensina como se organizar financeiramente para o concurso INSS.

Engana-se quem pensa que está pronto para o concurso INSS – Instituto Nacional de Seguro Social – apenas estudando. É importante também realizar um bom planejamento financeiro. Afinal, são necessários vários investimentos em cursos, livros, apostilas e até viagens, no caso daqueles que pretendem concorrer às vagas de outros estados.

FOLHA DIRIGIDA convidou o especialista em finanças pessoais Felipe Silveira para dicas sobre o assunto. Ele ensina como os futuros candidatos devem administrar o dinheiro desde a etapa de preparação até as provas. 

 

Felipe Silveira (Foto: Divulgação)
Silveira é educador, coach financeiro e palestrante
(Foto: Divulgação)

É verdade que ainda não se sabe quando o edital do concurso INSS será publicado, mas organizar as finanças com antecedência é fundamental para evitar surpresas. Assim, garante Silveira, o candidato conseguirá cumprir todas as etapas sem preocupação com dívidas e despesas.

“O primeiro benefício indiscutível é diminuir as preocupações e ter mais tempo para manter o foco. O segundo é conseguir planejar tudo (...), aumentando a segurança ao realizar a prova. Outro benefício é saber exatamente quanto e com o que irá gastar, o que evita despesas desnecessárias.”

O INSS já enviou ao governo um pedido para 7.888 vagas nos níveis médio e superior. A solicitação aguarda aval do Ministério da Economia. 

Cargos Vagas Escolaridade Remuneração
Técnico 3.984 nível médio  R$5.186,79
Perito 2.212 nível superior R$12.638,79
Analista 1.692 nível superior R$7.659,87

 

. Concurso INSS: digitalização não extingue necessidade de servidores
. Com pedido de concurso, INSS tem 676 aposentadorias apenas este ano
. Como estudar para o INSS sozinho?

Os cinco passos para iniciar o planejamento

Para tornar mais fácil o planejamento, Felipe Silveira lista cinco passos a serem seguidos pelos futuros candidatos do concurso INSS. 

1. Controle das despesas

Tenha um caderno especial para controlar entradas - todo o dinheiro que entra no seu bolso – e saídas – todos os gastos. 

2. Investimentos

Fazer um concurso do nível do INSS exige uma série de investimentos, como os mencionados acima na matéria. Liste todos aqueles que são necessários para saber para onde vai seu dinheiro. 

3. Anote os preços

Não vale só colocar o nome do investimento. Pesquise, escolha e anote também o quanto de dinheiro vai sair em cada um deles. 

“Considere sempre uma margem de variação de 10% para cima, é melhor dar uma folga no caixa, do que correr o risco de faltar.”

4. Estipule um valor mensal

Faça o cálculo com base em todas as anotações e descubra quanto será necessário reservar todo mês para arcar com as despesas. 

5. Obtenha recursos

Falar de gastar é fácil. Mas não esqueça de planejar também como vai obter os recursos necessários. Organize-se para ter despesas compatíveis com sua renda mensal. 

. Confira análise da prova de Português do INSS

O candidato que trabalha deve se organizar para que a preparação caiba no seu orçamento pessoal. Não existe um percentual específico para reservar, depende da necessidade e da realizade de cada um.

“Quanto maior o montante separado mensalmente, mais rápido ele terá o capital necessário acumulado e não precisará continuar a separar ele mensalmente.”

Já os que não possuem renda, devem pensar em empreender. Algumas sugestões são vender ou revender coisas, levando em conta o público do cursinho e os conhecidos do trabalho e vizinhança. O candidato também pode pedir patrocínio a familiares e amigos, fazer rifas. Esse é um momento que requer criatividade.

Como ser um concurseiro

O que considerar no planejamento financeiro

Na hora de planejar as finanças para o concurso INSS, o candidatos devem levar tudo em conta. Mas o que é “tudo”? Como explica o especialista em finanças, desde lanches e passagens, até livros e mensalidades de cursos, inclusive o valor da taxa de inscrição. Algumas peculiaridades também precisam ser consideradas:

“Ao se inscrever no cursinho, o candidato deve se informar, por exemplo, sobre qual é a média de aulas extras nos fins de semana, quantas aulas extras em período integral costumam ser agendadas etc.”

É o tipo de situação que aumenta os custos com alimentação e passagem. Sabendo dessas informações é possível buscar maneiras de diminuir sua despesa: conseguindo caronas, levando alimentação de casa etc.

Sendo assim, aí vai uma lista do que pode ser considerado na hora de colocar todos os gastos no papel:

  • investimento em materiais de preparação (livros, apostilas etc)
  • mensalidades de cursos e assinaturas
  • despesas de deslocamento e alimentação para cursos
  • taxa de inscrição
  • deslocamento e alimentação para o dia da prova
  • reserva para gastos extras

Atenção: os gastos aumentam com a proximidade das provas.

O planejamento para concursos em outros estados é mais complexo, principalmente quando não se tem data ainda, como no caso do INSS. Mas esse fator não pode deixar de ser acrescentado ao planejamento. 

É preciso considerar gastos com passagem, estadia e alimentação no estado da prova. Nesses casos, deve ser aplicada uma variação de 20%, visto que passagem e estadia têm variação maior com a proximidade da reserva.

. Baixe o e-book "Guia para concurseiros Itinerantes"

Economizar é palavra de ordem quando o assunto é orçamento. Mas o especialista alerta: nem sempre o mais barato é melhor. É preciso considerar custo e benefício. Avalie muito bem antes de investir em um produto ou serviço.

“Avalie sempre o que está sendo prometido e pesquise com outros consumidores o que realmente está sendo entregue para evitar ser enganado. Essa é uma decisão que deve ser racional e não emocional.”

Planejamento financeiro para concursos: saiba como fazer o seu



ASSINE

Para ter acesso a este conteúdo, notícias e preparativos

ASSINAR


Comentários