Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Candidatos apostam nos estudos. Veja novos vídeos de Português!

Apesar da demora na autorização do concurso do Instituto Nacional do Seguro Social, os pré-candidatos continuam motivados e fazem planos para colocá-los em prática, caso alcancem a aprovação. Boa remuneração, estabilidade empregatícia, atuar em uma instituição renomada e grande quantidade de vagas. (...)

Apesar da demora na autorização do concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), os pré-candidatos continuam motivados e fazem planos para colocá-los em prática, caso alcancem a aprovação. Boa remuneração, estabilidade empregatícia, atuar em uma instituição renomada e grande quantidade de vagas. Esses são alguns dos motivos apontados pelos interessados na seleção do INSS, que vivem, rotineiramente, a expectativa do aval. Veja em enquete nesta página como os interessados no concurso têm transformado ansiedade pela autorização em estudo, que poderá garantir a vaga no futuro.

Dando continuidade à proposta de auxiliar na preparação dos candidatos do concurso do INSS, a FOLHA DIRIGIDA Online publica neste sábado seis novos vídeos sobre Língua Portuguesa: quatro deles têm o formato de resolução de questões, com o professor Alexandre Soares, tratando do tópico Ortografia. Os outros dois vídeos, com o professor Dorival Conte, são aulas sobre os temas 'Gramática na FCC' e 'Questão de Vozes Verbais'. Interessou? Então, clique e confira!
 
A espera já leva mais de um ano, mas o Legislativo e sindicatos têm tentado fazer desse processo o mais breve possível. O que atrapalhou e retardou a autorização foi a crise econômica e o ajuste fiscal do governo. No entanto, a situação precária da autarquia, que corre riscos de entrar em colapso, caso a seleção não ocorra, torna o concurso inevitável. Além disso, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, já disse que, dentro da pasta, a seleção do INSS é prioritária. A pressão da Câmara dos Deputados aparecem por meio de ofícios, dois deles de Chico Alencar (Psol-RJ) e um da Simone Morgado (PMDB-PA), parlamentares que cobram prioridade do Ministério do Planejamento ao instituto.

Chico Alencar acredita que disso depende o prosseguimento da desigualdade social no país, e tem o apoio de outros 21 parlamentares. A deputada Simone Morgado preocupa-se com o seguro defeso dos pescadores no Pará, que começará em novembro, sem que haja servidores para os atendimentos. Para ambos, porém, ainda não houve respostas. Por parte dos sindicatos, a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) aprovou indicativo de greve para o dia 7 de julho e a Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social (Anasps) apoiou o movimento. A greve, segundo a Fenasps, é resultado da falta de negociação e da demora na autorização do concurso e de outras reivindicações.

Quem revelou os riscos do INSS foi o Tribunal de Contas da União (TCU), que flagrou crise de mais de 5 mil servidores em todo o país, e mais de 10 mil em condições de se aposentar. Diante disso, o concurso torna-se inevitável. Foram solicitadas 4.730 vagas, sendo 2 mil de técnico do seguro social, de nível médio, 1.580 de analista do seguro social, de nível superior, e 1.150 de perito médico, para graduados em Medicina. Os rendimentos são de R$4.620,91 para técnico, R$7.504,45 para analista e R$10.559,64 para perito.

“Vou participar do concurso para técnico do INSS, pois é uma grande oportunidade para ter estabilidade e entrar em uma instituiçâo conceituada. A demora para autorização do concurso está sendo ruim porque me deixa ansiosa, mas apesar disso tenho mais tempo para me preparar. Estudo em média quatro horas no curso e uma em casa. Conciliar o trabalho com o preparatório é complicado, mas vou me dedicar mais no segundo semestre. Se eu for aprovada, pretendo comprar a minha casa própria.”
Rosilene da Silva,
31 anos, auxiliar administrativa


“Decidi participar do concurso principalmente porque o cargo oferece estabilidade financeira. A demora está sendo péssima por causa da ansiedade, mas por outro lado é bom porque dá mais tempo para estudar e se preparar. Como o curso é longe do meu trabalho, só estou estudando lá mesmo, porque em casa não tenho tempo e acabo ficando com sono e muito cansada. No entanto, nos finais de semana procuro dedicar pelo menos meia hora para ler alguma coisa.”
Liliane do Carmo Araújo,
30 anos, auxiliar administrativa


“Vou fazer o concurso buscando estabilidade e pensando no meu futuro. Como eu trabalho em uma empresa privada, a qualquer momento posso ser demitida. A demora para aprovação não está me afetando porque eu comecei a estudar agora e não estou preparada ainda. Não estou me dedicando tanto agora, pois estou dando mais prioridade para o meu trabalho atual. Por enquanto, estudo só no curso mesmo. Caso eu passe, tenho o sonho de comprar o meu imóvel e me casar.”
Amanda de Souza Marinho,
26 anos, bancária


“O maior atrativo do concurso do INSS para mim é a estabilidade, mas essa demora para autorizar o concurso está sendo um pouco frustrante. Apesar de tudo, estou conseguindo ter mais tempo de me preparar, o que é bom. Consegui fazer um horário e estou estudando quatro horas no curso e mais quatro em casa. Não tenho muitos sonhos agora, penso mesmo em passar, por isso deixei de sair e de fazer algumas coisas que eu gosto para não perder tempo.”
Patrícia Amaral,
45 anos, contadora


“Estou me preparando para esse concurso porque a quantidade de vagas é muito ampla e exige apenas o ensino médio, além do salário ser atrativo e oferecer estabilidade. Essa demora para a aprovação já era de se esperar e está sendo vantajosa para se preparar porque a matéria é bem parecida com a das outras seleções federais. Tive que sair do meu emprego para me dedicar aos estudos e agora além das quatro horas do curso, estudo mais três horas em casa.”
Luan Bernardo Dias,
25 anos, estudante

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações