Folha Dirigida Entrar Assine

Presidente de Associação diz que Inca já solicitou concurso para 2020

Presidente da Associação dos Funcionários do Instituto Nacional de Câncer diz que é urgente a abertura de um novo concurso Inca para 2020

*Matéria atualizada em 20/05/2019, às 13h34

A presidente da Associação dos Funcionários do Instituto Nacional de Câncer (Afinca), Beatriz de Souza Moreira, afirma ser urgente que ocorra um novo concurso para o Inca. Segundo a dirigente, o Instituto Nacional de Câncer já solicitou um novo concurso ao Ministério da Economia.

Embora tenha informado que um novo pedido já foi feito ao Ministério da Economia, para que o edital saia em 2020, a presidente do Afinca não soube informar quando ocorreu a solicitação e nem quantas vagas foram solicitadas.

FOLHA DIRIGIDA entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do Inca para confirmar o envio do pedido e saber quantas vagas foram solicitadas. Em resposta, o instituto confirmou que está está realizando a atualização de seu dimensionamento de pessoal, observando as diretrizes governamentais a respeito da realização de novos concursos e o Decreto 9.739/2019, que introduziu novos critérios e regras para a realização de concursos e entrará em vigor em 1º de junho.

Assim que essa atualização for completada, o instituto encaminhará ao Ministério da Saúde solicitação de novo concurso público. Caberá ao Ministério da Saúde enviar o pedido ao Ministério da Economia.

Comece já a sua preparação para o concurso Inca


A dirigente da Afinca também cobra a convocação dos aprovados da seleção de 2014 para auxiliar na emergência. O Ministério Público Federal (MPF) moveu uma ação civil pública, com pedido de liminar, para que a União realize a chamada de, pelo menos, 269 aprovados no último concurso, ocorrido em 2014. A ação pede, também, que o prazo de validade seja prorrogado até o julgamento do processo.

Segundo Beatriz Moreira, a ação do MPF terá uma resposta da justiça até dia 17 de maio. Para ela, o ideal é que a ação visasse à contratação de 50% da reserva do concurso de 2014. Mesmo que ocorram essas contratações, a presidente do Afinca declarou que ainda se faz necessário que seja realizado o novo concurso, pois essas convocações de 2014 serviriam apenas para ajudar em emergências.

A juíza responsável pela ação julgou que não se fazia necessária esta nova convocação pelo fato de que o instituto tem profissionais alocados em diversos outros órgãos. Sua ideia era chamar estes servidores de volta ao Inca para cobrir a carência.

No entanto, houve uma troca de responsáveis para julgar a ação, por isso, o Inca ainda espera um novo julgamento para saber se chamará ou não os aprovados no último concurso.

Com o julgamento positivo com relação às chamadas, o Inca poderá trabalhar com mais calma no planejamento deste novo certame, o que não quer dizer que a situação no quadro de pessoal não seja preocupante.

Na ação, o procurador da República, Alexandre Ribeiro Chaves, alega que a omissão da União em recompor o quadro de pessoal do Inca vem agravando risco de descontinuidade de serviços essenciais prestados nas áreas de Educação, Pesquisa, Prevenção e Vigilância de câncer.

Da mesma forma, o MPF alega que há risco de interrupção de serviços assistenciais do instituto, com a consequente redução de consultas, cirurgias, exames, atendimentos quimioterápicos, transplantes, fechamento de banco de tumores, sessões quimioterápicas, entre outros.

Concurso Inca já teria sido solicitado ao governo (Foto: Divulgação)
Concurso Inca já teria sido solicitado ao governo (Foto: Divulgação)

Último concurso Inca aconteceu em 2016

O último concurso para o Inca aconteceu em 2016 e perde validade no próximo dia 31. Na época, foram oferecidas 558 vagas em cargos dos níveis médio, médio/ técnico e superior. 

Acesse notícias sobre concurso da área Administrativa

Na ocasião, foram oferecidas oportunidades para cargos de assistente em ciência e tecnologia, técnico e analista em ciência e tecnologia e tecnologista. A seleção foi organizada pela Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab).

Os candidatos foram avaliados por meio de provas objetiva e discursiva e/ou redação, além de uma análise de títulos. Os convocados contaram com remunerações entre R$3.324 e R$6.310,05.



Comentários