Concurso Ibram: presidente alerta que 121 servidores já podem se aposentar

O concurso Ibram 2017/2018 é fundamental para suprir aposentadorias, alerta presidente do Ibram, Marcelo Araujo.

Presidente do Ibram, Marcelo Araujo fala do concurso Ibram 2017/2018
"Dos nossos 522 servidores, 121 já poderiam se aposentar",
revela presidente do Ibram (Foto: Divulgação)
O concurso Ibram 2017/2018, sob análise do Ministério do Planejamento, é fundamental para suprir as aposentadorias de servidores. O alerta é do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Mattos Araujo.
 
"Dos nossos 522 servidores, 121 já poderiam se aposentar mas estão recebendo abono de permanência. Isso representa um quinto do nosso quadro de pessoal. A importância desse concurso é exatamente para responder essa demanda”, informou, em entrevista à FOLHA DIRIGIDA.
 
Hoje, o Ibram atua com 617 servidores, sendo 522 do quadro próprio e 95 de outros órgãos.
 
O envelhecimento do quadro pessoal do instituto é, na visão de Marcelo Araujo, um problema da Administração Pública, sendo motivo de preocupação.
 
“Se todos os servidores decidissem usufruir da aposentadoria que eles já têm direito, teríamos uma situação bastante difícil aqui no Ibram”, revelou.
 
E são exatamente as aposentadorias que deverão fazer com que o Ibram consiga, em 2018, a autorização para a abertura de concurso. Isso porque o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciou que o governo vai retomar os concursos no ano que vem, priorizando órgãos que vão perder servidores por aposentadoria.
 
De acordo com dados do próprio Ministério do Planejamento, 216 mil servidores se aposentarão até 2027. A quantidade equivale a 40% do quadro atual de servidores públicos federais.

Maior parte das vagas será para o Rio de Janeiro, confirma presidente

Marcelo Araujo confirmou a solicitação de 306 vagas, em cargos dos níveis médio e superior. Ainda segundo ele, a maior parte das vagas, se autorizadas, serão destinadas ao Rio de Janeiro, estado com maior quantidade de museus nacionais.
 


Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida

Comentários