Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

EXCLUSIVO! Reveja prova de técnico, com gabarito extra-oficial

Foi em clima de bastante tranqüilidade que os candidatos que concorrem ao cargo de técnico de nível médio para o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística, IBGE, fizeram o exame no Instituto de Educação na Tijuca neste domingo 17 de abril. Felizmente, as manifestações pró e contra Impeachment não atrapalharam a chegada dos participantes ao local de prova.  O número de faltosos ainda não foi divulgado. Os gabaritos preliminares serão liberados na terça, dia 19.

Foi em clima de bastante tranqüilidade que os candidatos que concorrem ao cargo de técnico de nível médio para o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística, IBGE, fizeram o exame no Instituto de Educação na Tijuca neste domingo 17 de abril. Felizmente, as manifestações pró e contra Impeachment não atrapalharam a chegada dos participantes ao local de prova.  O número de faltosos ainda não foi divulgado. Os gabaritos preliminares serão liberados na terça, dia 19, e poderão ser consultados aqui na FOLHA DIRIGIDA Online. Será aprovado quem conseguir acertar 40% da prova, sem zerar nenhuma disciplina. Quem discordar das respostas poderá recorrer, no site da FGV, entre os dias 20 e 22.
 
Enquanto aguardam o gabarito oficial preliminar, os candidatos a técnico do IBGE podem, nos anexos abaixo, rever a prova Tipo 3 AMARELA e conferir o gabarito extra-oficial, elaborado por uma equipe reunida pela FOLHA DIRIGIDA: Alexander Ruas e Carlos Henrique (do Curso Multiplus, sobre as questões de Matemática / Raciocínio Lógico), Vitor Augusto (do curso Flávia Rita/MG, respondendo às questões de Geografia / Atualidades), Wanderson Feitosa (do Multiplus, Língua Portuguesa) e Aline Moreira (Conhecimentos do IBGE, também professora do curso Flávia Rita/MG).
 
A Fundação Getulio Vargas, organizadora do concurso, buscou alocar os candidatos nos locais mais próximos às suas residências. A maior parte dos participantes seguiu a recomendação da organizadora em chegar com uma hora de antecedência. Entretanto, houve candidatos que confundiram o local de prova e por isso acabaram chegando a poucos minutos para o início das provas. Uma participante entrou às 12h58, faltando apenas dois minutos para o fechamento dos portões. Houve ainda três candidatos que chegaram após o fechamento, que foi exatamente às 13h, como previsto no edital.

O concurso, que ocorre simultaneamente em 165 cidades, de todas as regiões do país, visa a preencher 460 vagas para técnico em informações geográficas e estatísticas (nível médio, com remuneração de R$3.556,85). No Estado do Rio de Janeiro foram inscritas 68.04 pessoas, só na capital o número ultrapassou 40 mil. Em todo o país o total foi de 476.437 candidatos às vagas de 2º grau. As contratações serão feitas sob o regime estatutário, que garante estabilidade.

Os exames tiveram início às 13h, mas os primeiros candidatos só puderam sair após as 15h. E somente após as 16h foi permitida a saída com o caderno de provas. O exame de caráter eliminatório e classificatório foi composto por 60 questões objetivas que testaram os candidatos em Língua Portuguesa (20), Matemática (15), Geografia (15) e conhecimentos do IBGE (10). De acordo com o edital, os gabaritos serão divulgados na terça-feira (19). Já o resultado final poderá ser consultado a partir de 11 de maio. Confira abaixo alguns depoimentos de concorrentes que fizeram a prova neste domingo.

“Eu vim confiante, me preparei bem. Fiz cinco meses de cursinho. Mas posso garantir que não é uma prova fácil.” Jonathas Silva, 35 anos.

“Eu vim tentar uma boa oportunidade para começar a vida. Estou nervosa, mas sinto que estou preparada” Letícia Tavares, 17 anos.

“Como eu sempre busquei estabilidade, resolvi tentar. Comecei os estudos antes mesmo de abrir o edital oficialmente”
Adriana Santos,  38 anos.

“Quem estudou, acertou. As questões estavam com nível de dificuldade do Enem, bem ensino médio mesmo. Só sou contra a tantas questões de interpretação de texto.” Damião Gonçalves, 25 anos.

“Eu quero estabilidade. Tenho um bom cargo na minha empresa, mas tudo é incerto. Ainda mais na atual situação do país.” Santo Braga, 40 anos.

“As questões de matemática me complicaram. Mas acredito ter ido bem nas outras matérias” Alessandra Vieira, 39 anos.

“Fiz a prova tranqüilo. O edital foi bem amplo e me auxiliou bastante no conteúdo a ser estudado” Daniel Vieira, 21 anos.
 

Foco na estabilidade e possibilidade de ascensão

Na tarde deste domingo, 17, o calor intenso e o trânsito agradável formaram a ocasião perfeita para a prova do concurso público do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As provas foram distribuídas por todo RJ. Na cidade do Rio, uma das unidades foi o Centro Educacional Augusto Motta (UNISUAM), de Bonsucesso. A aplicação da prova ocorreu tranquilamente, sem registro de atraso. O último concorrente chegou à rua da faculdade correndo, cena que arrancou aplausos de todas as pessoas que ali estavam. Deu tempo. O jovem cruzou os portões exatamente às 13h.

As provas desse domingo foram para o cargo de técnico, para concorrentes de nível médio, porém nem só de ensino médio foi composto o quadro de concorrentes. As provas para o nível superior foram aplicadas no domingo anterior, 10 de abril. Muitas pessoas de nível superior também arriscaram a vaga de nível médio. Como no caso de Mauricio Vieira de Araujo, 50 anos e técnico em automação, atuante na área desde a formação, mesmo não sendo do seu nível de escolaridade, ele resolveu arriscar seus conhecimentos na prova do técnico do IBGE. “Conciliar trabalho e estudos é complicado, mas eu mantive 2h de estudos por dia e estou confiante. Tudo em busca da minha estabilidade financeira.”

Junto com os participantes, muitos familiares estavam ali para fazer companhia até o final da avaliação, assim como Victor Manuel, de 49 anos, padrasto de Tamara dos Santos Rosa, que sempre acompanha sua enteada nas provas. Ele, na verdade, acha fundamental a presença dos familiares nesse processo de evolução de seus membros. “Ela é casada e tem a familia dela, mas eu acho importante estar perto, faço questão de trazer e buscá-la sempre.”

Já as irmãs Thayane Regina, de 23 anos, e Thaynara Regina, de 18, foram juntas até o local de prova, - a mais velha servindo de bom exemplo para a mais nova e mostrando o caminho de concurseiro. Thayane é recepcionista e já trabalha na área, mesmo assim busca sua estabilidade em concurso. Ela se mostrou confiante, pois acredita ter estudado o suficiente. “Como o IBGE nos oferece um ótimo plano de carreira, meu objetivo é crescer dentro da instituição. Além, é claro, de garantir a minha estabilidade,” afirmou Thayne.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações